Ensinamentos de Ezra Taft Benson serão estudados em 2015

President Ezra Taft BensonEm 2015, membros sud ao redor do mundo usarão em suas reuniões da sociedade de Socorro e dos quóruns do sacerdócio de Melquisedeque o novo Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Ezra Taft Benson. Décimo-terceiro presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Benson assumiu a liderança máxima da igreja em 1985, aos 86 anos de idade, vindo a falecer em 1994, aos 94 anos.

Antes de assumir a presidência da igreja, Benson foi famoso por suas posições políticas, em particular por seu ferrenho anticomunismo. Benson também foi o único apóstolo sud a servir como ministro de estado, sendo secretário da agricultura do governo Eisenhower, entre 1953 e 1960. Em 1968, Benson aceitou concorrer à presidência dos EUA pelo pequeno Partido Americano Independente, desistindo após. O novo manual, porém, não traz ensinamentos de natureza política.

A publicação em português já está disponível online.

A série Ensinamentos dos Presidentes da Igreja teve seu primeiro volume publicado em 1998.

12 comentários sobre “Ensinamentos de Ezra Taft Benson serão estudados em 2015

  1. Isso de não haver discursos de tom político é previsível, visto que muitos governos onde a igreja está inserida possuem inclinação de esquerda e ideologias que ‘flertam’ com comunismo e socialismo (leia-se latinos e alguns emergentes onde a igreja ainda precisa de favores políticos, como os vistos de membros e até reconhecimento legal) – não seria de estranhar algum partidário destes com alguma posição de opinião pública ou mesmo autoridade política usar a desfavor da igreja.

    Em outras palavras, se alguém quiser ir mais ‘a fundo’ nisso vai ter que pesquisar mais e provavelmente saber inglês ou procurar em literatura antiga (o que inclui algumas revistas que ninguém tem mais).

    Mas no fundo o motivo maior (digo por obervação própria) deve ser porque mesmo dentro das unidades da igreja há partidários e um debate caloroso poderia se estender sobre o assunto minando o que a igreja considera ser mais importante aprender/ ter nessas aulas (doce paz e harmonia com assuntos onde todos concordam).

  2. A Igreja percebe que o comunismo de que falava o presidente Benson é próprio daquela época (o comunismo praticado na URSS), pois nos anos seguintes nunca mais houve manifestação de qualquer autoridade geral da Igreja contra o comunismo.

    • Informe-me caso eu esteja enganado, mas até onde eu saiba a doutrina marxista não foi renegada ou negada, sequer em partes (oficialmente falando), por qualquer partido cuja sua ideologia foi base.

      Desconfio muito dessa ideia de que ‘o comunismo de hoje não é mais como o de antigamente’ como lógica para esses discursos serem retirados do livro. Fico mais com minha ideia de evitar ‘saia justa’ e debates desnecessários em salas de aula (SUD).

      E outra coisa, pelo que percebo, a alma comunista está mais viva do que nunca, apenas disfarçada em novos métodos muito mais sorrateiros e eficientes, ao ponto de mesmo países que eram totalmente contra hoje aplicarem suas ideias e elegerem seus representantes ‘de esquerda’ com maioria de voto ‘popular’.

      • O motivo parece ser bem mais simples do que alguns podem imaginar: Os manuais focam nas coisas espirituais que afetam diretamente nosso dia a dia, dedicar espaço para assuntos como política desviaria do objetivo. Quanto a evitar saia justa com governos, é pouco provável, já que a igreja apoiou abertamente o Proposição 8 na Califórnia, e tem apoiado outras medidas que vão diretamente contra o governo do próprio país. O próprio Pres. Benson, enquanto liderou a igreja, já não falava mais sobre tais coisas, o que poderia levar a crer que com a mudança do cenário político, a defesa que fazia já não era mais necessária.

      • Of course… em geral é bem mais simples do que parece. O que sabemos é que a Igreja se distancia bastante de polêmicas, mas somente quando quer. Uma coisa é abraçar uma causa que afeta uma ‘minoria’, outra coisa é alardar sobre um grande sistema de governo… até porque até onde eu saiba quase mais nada hoje em dia é ‘preto ou branco’, ainda mais em cenários políticos.

        Mas quanto à Prop8, devo discordar um pouco, pois lá não se tratava de manuais e sim ‘injeção’ de dinheiro e propaganda; e ainda mais, a Igreja ficou um pouco na ‘surdina’ quando a este apoio financeiro, ela ficava mais era no discurso, até que começou a ficar mais público seu envolvimento com aporte de recursos na campanha. As motivações não em cada caso não parecem fazer correlação, embora no modo mais simples quiçá se pudesse atribuir alguma semelhança.

        Ah, e obrigado por lembrar: “O próprio Pres. Benson, enquanto liderou a igreja, já não falava mais sobre tais coisas, o que poderia levar a crer que com a mudança do cenário político, a defesa que fazia já não era mais necessária”.

        ADENDO:
        A propósito, já notaram que após assumir a Presidência da Igreja esse apóstolo muda o tom e assuntos de seus discursos pra uma coisa mais generalista? Não é um padrão e em uma ou outra mensagem se vê mudança, mas basicamente eles abandonam um tom ou assunto anterior de mensagem. Claro, não posso falar de Kimball para trás, pois pouco sei sobre o que falavam antes de serem Presidentes da Igreja.

  3. Países hoje como China e Cuba são considerados comunistas, mas com a presença da Igreja e integração comercial com o resto do mundo. Na antiga URSS era bem diferente.
    Hoje no nosso país elegemos representantes de esquerda, mas com ideias muito diferentes da URSS. Está garantida a liberdade religiosa, com a presença de um Estado laico, enquanto na URSS e na ideologia de Marx havia um Estado ateu. Além do mais, várias outras liberdades estão garantidas na nossa Constituição e em tratados internacionais em que o Brasil é parte; a impressão que tenho é que os partidos de esquerda querem apenas aprofundar tais liberdades.
    O que permanece nos partidos de esquerda e na doutrina de Marx são também doutrinas cristãs, como a igualdade de oportunidades.
    É um assunto polêmico em razão da variabilidade semântica do “comunismo” e de “esquerda”. Por isso acho que a leitura que devemos fazer das posições de Benson e apóstolos anteriores a respeito do comunismo deve ter por base o contexto histórico da época.
    Que outras razões tinham os apóstolos em ser contrários a doutrina comunista a não ser a exclusão da liberdades fundamentais, mais radicais na URSS, principalmente a liberdade religiosa?
    Lembro que em todos os países, mesmo os mais direitistas e capitalistas, existem restrições a todos os tipos de liberdade. Liberdade real, conforme a doutrina da Igreja, virá com o governo de Cristo; todos os demais governos são imperfeitos.

  4. Não sei por que focalizar o debate na posição politica do Benson sendo que não é este – e nunca fora – o motivo dos manuais da igreja mórmon. É só analisar os manuais anteriores a este para se provar isso.
    Existe algum manual dos ‘ensinamentos dos presidentes da igreja’ que trate sobre a posição politica deles? Creio que não. Então, por que o do Benson seria diferente? Não faria sentido, oras!

    • Ocorre que Benson se manifestou contra o comunismo em conferências gerais. Ele via um sentido espiritual nisso, pois não queria que o comunismo fosse comparado com lei da consagração. Nas últimas eleições muitos postaram tais declarações de Pres. Benson, sem o devido contexto histórico.

      • Dan, imagina se a igreja publicasse (em seus manuais) todas as asneiras que os “profetas” falaram em conferencia geral, testemunhos, discursos, etc.; cuido que, parafraseando João 21:25, nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem, principalmente Brigham Young. Haja paciência!

        Portanto, Benson ter dito todas as asneiras que disse contra o comunismo em Conferencia Geral não lhe dá o direito que se publique isso em manuais (nem como “escritura” e nem muito menos como “verdade absoluta”). A não ser que, como já havia dito, a igreja publicasse também a visão politica dos demais presidentes. Ela fez isso? Não! Então… insisto na pergunta: Por que com o Benson seria diferente??

        [Talvez seja somente para satisfazer o ego inflado daqueles que querem ver “a comunalha pirar”].

        Eu, particularmente, pra ser sincero, gostaria mesmo que esses manuais fossem mais profundos, detalhados e sinceros, porém, não são; e nem é, pelo visto, o propósito da igreja que eles sejam.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s