Nova Edição Abandona Mentira Histórica em Doutrina e Convênios

Uma frase a menos sobre o Manifesto

A Primeira Presidência que aprovou o Manifesto: Presidente Wilford Woodruff (centro) com seus conselheiros George Q. Cannon (esq.) e Joseph F. Smith (dir.)

A Primeira Presidência que aprovou o Manifesto: Presidente Wilford Woodruff (centro) com seus conselheiros George Q. Cannon (esq.) e Joseph F. Smith (dir.)

As novas edições das escrituras SUD em português, lançadas no mês passado, seguem as mudanças feitas em inglês no ano de 2013. Dessa forma, o cabeçalho da Declaração Oficial 2, por exemplo, passa a incorporar a informação de que a exclusão de negros do sacerdócio mórmon não foi iniciada por Joseph Smith.

Declaração Oficial 1

Outra importante mudança em Doutrina e Convênios ocorreu na edição inglesa online em setembro de 2014: na Declaração Oficial 1, foi retirada a frase “[o] voto para apoiar a moção foi unânime”. No mês seguinte à edição, o site oficial da Igreja publicava em inglês um ensaio sobre o fim da prática do casamento plural, onde eram mencionadas abstenções durante a Conferência Geral que aprovara o Manifesto: “a maioria votou a favor, embora houvesse abstenções”.

Voto fraco

Em 06 de outubro de 1890, após décadas sendo ensinados sobre a necessidade de “fazer as obras de Abraão”, mórmons – mesmo que majoritariamente monogâmicos -estavam inseguros com a proposta de abandonar o princípio do matrimônio plural. “Pareceu-me o pior momento da minha vida”, escreveu o setenta B. H. Roberts sobre a votação do Manifesto. Relatos históricos falam de abstenção por parte da maioria dos presentes e de pelo menos um voto em contrário:

William Gibson, poteriormente deputado no legislativo de Utah, votou contra: “Não me envergonho da minha ação a respeito do manifesto. Votei ‘não’ na conferência. Quando George Q. Cannon anunciou um voto homogêneo [unânime], eu disse ‘Todos menos um bem aqui.’ Devemos deixar a Babilônia agir da sua maneira por um tempo, suponho.” A maioria da congregação recusou-se a votar quando o Manifesto foi apresentado, resultado sobre o qual o Apóstolo Merrill observou “foi apoiado por um voto fraco, mas aparentemente unânime”, Joseph H. Dean registrou “muitos dos santos abstiveram-se de votar de uma forma ou de outra”, e Thomas Broadbent notou “achei uma votação muito magra, considerando a multidão reunida.”¹

Quando o Manifesto virou escritura

Dezoito anos e um segundo manifesto depois, a Declaração Oficial  foi discreta e timidamente transformada em escritura, como o último item de Doutrina e Convênios. O documento estava distante das duas grandes divisões do livro – as Palestras Sobre a Fé e  os Convênios e Mandamentos – e colocado após um índex e uma concordância. E nele estava a afirmação sobre o voto unânime – que perdura em todas as edições atuais do livro, com exceção das versões digitais em inglês e português.

Honestidade e lentidão

Para uma igreja que preza tanto a uniformidade, a situação criada é um tanto insólita: membros de um ramo hispânico em Utah estarão com sua edição desatualizada das obras-padrão, enquanto seus vizinhos anglo-saxônicos terão a nova edição; brasileiros em um ramo de Nagoya terão a versão atualizada, enquanto seus correligionários japoneses terão a antiga.

Retirar a afirmação de voto unânime representa, em minha opinião, um pequeno mas significativo avanço por parte da Igreja SUD rumo a uma maior honestidade com esse importante e persistente capítulo da história mórmon. Por outro lado, também nos mostra o processo lento pelo qual a sede da Igreja disponibiliza e correlaciona informações a leitores e membros em sua periferia linguística.

Referência

1. D. Michael Quinn. LDS Church Authority and New Plural Marriages, 1890-1904. Dialogue 18:01 (Spring 1985), p. 48.

22 comentários sobre “Nova Edição Abandona Mentira Histórica em Doutrina e Convênios

  1. Obrigado pelo post Antônio, demorou mas é uma atitude positiva rumo a mais honestidade nos fatos por parte da igreja,Queria aproveitar a oportunidade para fazer uma outra pergunta, mas não referente ao manifesto, é apenas uma dúvida que me surgiu à alguns anos. Em Marcos 9:3 na tradução de Joseph Smith(TJS), que se refere ao ocorrido no monte da transfiguração, Joseph descreve que “João Batista” era o Elias que apareceu a Cristo e os apóstolos escolhidos.
    ” ( João Batista estava no Monte da Transfiguração.)
    3. E apareceu-lhes Elias com Moisés,
    ou, em outras palavras, João Batista e
    Moisés; e falaram com Jesus. ”
    Sei que os manuais não são ” canônicos”, mas neles são nos ensinados que esse “Elias” é Elias o Profeta, mas também sabemos que João Batista era um “Elias”, porém Cristo foi receber algumas chaves nessa ocasião,(me corrija se estiver falando besteira), e para passarem essas chaves era necessário que esses personagens tivessem corpos físicos, e visto que Cristo deveria ser a Primícia dos que dormem, eles não eram ressurretos, mas transfigurados, porém o fato que me deixa pensando é o porque de Joseph ter citado João Batista no Monte da Transfiguração, visto que ele não poderia passar nada à cristo sem um corpo físico(doutrina do mormonismo), e ele já havia sido decapitado, ele estaria “só de boas” apreciando aquela ocasião?.(risos) há alguma outra referencia ou ligação à isso que o Profeta ensinou que você ou os amigos conheçam ? ou suponhamos que ele apenas equivocou-se?.
    Desculpe pela tomada de Tempo, e Muio Obrigado.

      • Tudo bem Antônio, pode me ajudar nessa questão no seu tempo, tenho essa dúvida há anos. Obrigado pela atenção e tempo disponível.

    • Também já tinha percebido este detalhe, perguntei a várias autoridades da igreja, presidentes de estacas, setentas, coordenadores de institutos, mas até agora não tenho respostas, porém na minha opinião ode ser Joseph Smith que escreveu asneira ou é um erro de grafia na impressão. O pior e que tem discursantes de sacramental e professores leigos de classes dominicais dizendo que não há erros ou enganos nos materiais da igreja e os manuais são infalíveis e divinamente inspirados diretamente dos céus por isto são absolutos no entendimento das escrituras.

  2. Boa noite irmãos,
    Acredito que essa é sim, mais uma correção dos erros das as “revelações” que Joseph Smith traduziu/escreveu. Por ser um profeta de Deus, aquele que falava diretamente com o Pai, é muito estranho e até lamentável, as ditas revelações estarem sendo corrigidas agora. Ouvimos todo primeiro domingo de cada mês, os irmãos subirem no púlpito e proclamarem a veracidade da igreja, a veracidade do livro de mórmon, o livro mais correto da face da terra. A cada dia que passa aprendemos mais e mais da verdadeira história da igreja, por este site e outros mais que nos ajudam a abrir nossa mente e conhecimento sem a censura das lideranças locais, que querem nos taxar de apóstatas homens naturais que não são guiados pelo espírito. Uma escritura que gosto muito e procuro sempre colocar em prática: João 8: 32 -” E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

    • José, o Manifesto (Declaração Oficial 1) foi adotado pela Igreja SUD durante a presidência de Wilford Woodruff, em 1890. Joseph Smith fora assassinado 46 anos antes.

      Infelizmente, eu não elaborei no texto acima sobre o Manifesto ser uma revelação. De fato, o Manifesto não foi apresentado como uma revelação e essa percepção demorou muito tempo para ser constituída e cristalizada – como sugerem a relutância dos membros em votar a favor da declaração e sua inclusão no finalzinho de D&C.

      Amém para a escritura em João 8:32!

    • O Livro de Mormon foi afirmado por Joseph Smith em ser o livro mais correto em termos de doutrina e em testificar sobre a divinidade de Jesus Cristo, nao se trata de ser o livro mais correto gramaticamente, Moroni que foi o ultimo Profeta Nefita a escrever nas placas, admitiu e ate lamentou que ele e todos que escreveram nas placas tinham dificuldade na escrita e cometiam erros em escrever, nesse caso sabemos que o livro esta longe de ser o mais correto da terra, porem em se tratando de doutrina e no testemunho de Cristo nao outro que ensine e testifique tao claramente sobre o Salvador.

  3. Sinceramente, tenho dificuldade em crer e aceitar que uma Igreja que se diz única e verdadeira na face da terra não use de transparência e honestidade ao tratar de seus assuntos doutrinários equivocados.

  4. Quando o Pres. Woodruff apresentou o manifesto ao Quorum dos doze, a aprovação foi unânime. Apenas na Conferência é que houveram abstenções por parte de alguns membros que lá estavam. Não vejo problema algum em não ter sido relatado tais abstenções.

    • Sim, Marco. No entanto, eu faria duas observações: (1) a aprovação por parte dos Doze foi do documento e não pode ser confundida com a aprovação do fim do casamento plural; e mesmo essa aprovação não foi livre de reservas e conflitos pessoais; (2) o Manifesto foi enviado à imprensa antes de ser apresentado aos Doze – estratégia que pode ter contribuído para a unanimidade dos apóstolos.

  5. Antônio
    Voce fez duas observações interessantes que eu não havia observado, e que mudou um pouco meu ponto de visão.
    “… o Manifesto foi enviado à imprensa antes de ser apresentado aos Doze…”
    De fato, não tinha observado. A Declaração Oficial 1, foi anunciada para o público em 25 de setembro de 1890 e em outubro de 1890 na Conferência.
    …não pode ser confundida com a aprovação do fim do casamento plural; e mesmo essa aprovação não foi livre de reservas e conflitos pessoais…”
    Realmente, mesmo após o a publicação, alguns apóstolos não deixaram a prática, e foram excomungados. Partindo deste princípio, a aprovação do fim da prática não foi unânime, ou melhor dizendo, unânime na sua formalização, mas não na convicção de muitas Autoridades.

    • Acho que você expressou muito bem a questão, Marco. Um dos apóstolos posteriormente excomungados foi John W. Taylor, que ironicamente soube do Manifesto através de uma folha de jornal encontrada no chão. Embora votando a favor do Manifesto, com o restante do seu Quórum, ele acreditava na revelação recebida por seu pai, de que a prática nunca seria revogada pelo Senhor. John W. Taylor e outros acreditavam que o Manifesto era apenas “um truque para vencer o diabo em seu próprio jogo” (frase atribuída ao apóstolo John Henry Smith).

  6. Pessoal, acho que para que consideremos algum avanço em relação aos escritos de Joseph, teríamos que reconhecer que td essa história que é passada de pai para filho não passaram de invenções para dominar um povo, ou o povo. Td mentira! Pena que demorei 16 anos para aceitar isso. E precisei de 3 anos de terapia para superar a pressão psicológica da qual fui vítima. Nenhuma confiança em joseph smith e seus sucessores picaretas!!!

    • Parabéns Renata, a pior fase da minha vida foi quando conheci essa seita terrível o que me alivia é que fiquei pouco tempo uns 5 anos e ainda perdi tempo fazendo missão mas, hoje estou livre e mais feliz e abençoada do que nunca!

      • Magnolia embora voce demonstre um certo odio a igreja me parece que voce nao consegue se desligar completamente do Mormonismo, um exemplo disso sao seus varios comentarios neste site. Talvez voce precise de algum tipo de terapia para superar esse trauma. Meu conselho a voce e que vc busque ajuda de Deus para poder superar, perdoar e acima de tudo seguir em frente com sua vida. A Igreja SUD nao e uma seita, para dizer que ela seja uma seita vc precisa ignorar o testemunho que o Livro de Mormon da de capa a capa sobre Jesus Cristo, vc tera que ignorar que a igreja carrega o nome de Jesus Cristo e que milhares de missionarios carregam no peito o nome de Jesus Cristo, como vc tambem serviu missao bem o sabe que os missionarios (incluindo voce) por mais imperfeitos que sejam buscam voluntariamente pregar aquilo que Jesus ensinou, encontrado na Biblia e no Livro de Mormon, voce tem que ignorar tambem que todos os nomes dos lideres da igreja estao disponiveis para todo mundo, voce tem que ignorar o fato de que a igreja nao paga seus lideres locais, voce tem que ignorar que a doutrina da igreja esta exposta para todos atraves do LM, D&C e outros livros disponiveis sobre a igreja, voce tem que ignorar que a doutrina da igreja ensina que a salvacao e para todos seres humanos e nao para uma elite favorecida, voce tem que ignorar tudo isso para classificar a Igreja SUD como uma seita. Devo porem dizer que baseado nas escrituras e principalmente nas profecias contidas no Livro de Mormon que a igreja SUD por sua vez tambem vem aos poucos caindo em apostasia e sendo infiltrada por lobos disfarcados de ovelhas e que em seu devido tempo o Senhor ira limpar a sua igreja.

      • Magnólia,gostaria que estivesse bem claro na sua mente que a Igreja (os membros e líderes) são uma coisa e o Evangelho de Jesus Cristo é outra. Quando você conseguir fazer essa separação certamente retornará a Igreja, pois, Ela apesar de todas as suas mazelas é a Igreja do Mestre Jesus Cristo é onde o Sacerdócio está! Você já pensou que suas escolhas está influenciando o futuro de seus filhos? Magnólia eu tenho uma irmã que resolveu se opor abertamente a igreja e depois de 30 anos resolveu voltar e hoje ela vai a igreja sozinha pois nenhum de seus filhos e marido a apoiam. Esta experiencia está sendo muito difícil de suportar, ela chora e sente muita solidão.
        Bons concelhos estes recebidos pelo Fábio.

  7. Meu trauma meus queridos foi ter sido daquilo que vocês chamam de igreja, e a terapia que me ajudou a sair desse inferno que foi ser uma sud, foi a realidade, estou em uma vida perfeita e só aconteceu isso depois que saí de lá , deixei meus traumas lá dentro onde tudo começou.

    beijos!

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s