Por Que é Hora da Igreja Mórmon Revisitar Seu Passado Diverso

Numa época em que a frequência tradicional a igrejas diminuiu e a filiação religiosa de mais rápido crescimento na América são os “não” — aqueles que não reivindicam afiliação com uma fé organizada —, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias continuou a se expandir.

Missionários FIJI

Missionários SUD em Fiji (Foto cortesia d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Esse crescimento na Igreja SUD, comumente chamada de Mórmon, é em grande parte resultado do número crescente de congregações predominantemente brancas, bem como de um grande número de novos conversos latinos. Em outros lugares, as taxas de conversão mórmon diminuíram visivelmente.

Da minha perspectiva como estudioso da história religiosa e política americana, essas duas correntes para o crescimento significam uma tensão crucial no coração da experiência mórmon: a comunidade mórmon está lutando para manter sua identidade cultural, ao mesmo tempo que abraça múltiplas origens raciais, étnicas e nacionais. Continuar lendo

Por Que Nos Enfurecemos Sobre Religião no Facebook

No dia de Natal, o CEO do Facebook Mark Zuckerberg usou seu site para contar ao mundo que ele não era mais ateu. Dessa forma, o bilionário usou o Facebook para expressar seus sentimentos sobre religião, como muitos usuários de mídia social antes dele.

mídia religião debate

Debates sobre religião estimulam fortes reações emocionais em mídias sociais. Foto: Frank McKenna

Minha pesquisa mostra como debates sobre religião em redes sociais realçam emoções passionais nos usuários. Descobri que cristãos conservadores que discutem assuntos controversos sobre religião em debates do Facebook frequentemente o fazem de maneiras emocionalmente carregadas. Continuar lendo

Mormonismo É Uma Seita?

O que é uma seita?

Mórmons são uma  seita?

Você pertence ou pertenceria a uma seita?

Vlogueira Anna Flores (Foto: YouTube Screengrab)

Vlogueira Ana Roxo (Foto: Print do YouTube)

A vlogueira Ana Roxo apresenta, através de um testemunho pessoal, um interessante resumo do que ela qualificaria como uma seita, e como identificar se determinado grupo é ou não uma seita.

Você concorda com os parâmetros que ela estabelece? Baseando-se nesses critérios, mórmons formam uma seita?

Assista o vídeo: Continuar lendo

O Dicionário Está Certo?

As palavras mórmon e mormonismo fazem parte da linguagem comum, apesar de opiniões em contrário, e obviamente encontram-se dicionarizadas. Para crentes e/ou estudiosos do mormonismo, definições encontradas em dicionários servem como importantes expressões do modo como a religião é vista na sociedade e fazem-nos pensar sobre que aspectos mais distintivos a caracterizam. Continuar lendo

Jeffrey Holland: Mentindo Sobre o Templo

O Apóstolo Jeffrey R. Holland mentiu sobre as ordenanças do templo durante uma entrevista para um documentário da emissora britância BBC em 2012.

Jeffrey R. Holland acha que se algo não é feito hoje em dia, nunca foi feito!

O desconforto com o resultado final da entrevista foi tamanho que a Igreja tentou pressionar a BBC a editar ou remover a entrevista do documentário  antes de ir ao ar. Continuar lendo

Mulher Mórmon Censurada no Facebook

Uma membro ativo na Igreja SUD é chamada pelo Bispo e pelo Presidente de Estaca por um comentário publicado no Facebook, e pressionada a apagá-lo.

Sobre o que era tal comentário “apóstata” que motivou tal censura oficial?

Sobre mulheres sendo testemunhas perante Deus.

Entenda: Continuar lendo

Nova Edição Abandona Mentira Histórica em Doutrina e Convênios

Uma frase a menos sobre o Manifesto

A Primeira Presidência que aprovou o Manifesto: Presidente Wilford Woodruff (centro) com seus conselheiros George Q. Cannon (esq.) e Joseph F. Smith (dir.)

A Primeira Presidência que aprovou o Manifesto: Presidente Wilford Woodruff (centro) com seus conselheiros George Q. Cannon (esq.) e Joseph F. Smith (dir.)

As novas edições das escrituras SUD em português, lançadas no mês passado, seguem as mudanças feitas em inglês no ano de 2013. Dessa forma, o cabeçalho da Declaração Oficial 2, por exemplo, passa a incorporar a informação de que a exclusão de negros do sacerdócio mórmon não foi iniciada por Joseph Smith.

Declaração Oficial 1

Outra importante mudança em Doutrina e Convênios ocorreu na edição inglesa online em setembro de 2014: na Declaração Oficial 1, foi retirada a frase “[o] voto para apoiar a moção foi unânime”. No mês seguinte à edição, o site oficial da Igreja publicava em inglês um ensaio sobre o fim da prática do casamento plural, onde eram mencionadas abstenções durante a Conferência Geral que aprovara o Manifesto: “a maioria votou a favor, embora houvesse abstenções”. Continuar lendo

185a Conferência: Discursos Só Em Inglês

wpid-wp-1443897538371.jpegTodos os discursantes da 185a Conferência Geral Semi-Anual d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santo dos Últimos Dias, encerrada ontem, falaram em inglês, independentemente de sua língua materna.

Em outubro do ano passado, Chi Hong (Sam) Wong, dos setenta, foi o primeiro discursante em 184 anos a falar em outro idioma que não o inglês em uma Conferência Geral. Wong discursou em cantonês, enquanto legendas em inglês apareciam nos telões do Centro de Conferências.  Além dele, os também setentas Eduardo Gavarret (uruguaio) e Hugo Martinez (porto-riquenho) falaram em espanhol, e Carlos Godoy (brasileiro), em português. Continuar lendo

Qual o Objetivo do Trabalho Missionário na Igreja SUD?

Este texto não é de minha autoria e o publico aqui na íntegra por solicitação.


Pintura de David Lindsley

Pintura de David Lindsley

Olá, caros leitores do site. Estou escrevendo este texto porque acredito que este é um bom lugar para o pensamento livre. Faz anos que eu me questiono sobre algumas práticas missionárias da Igreja e se elas são realmente eficazes ou a quem elas visam atingir realmente. Entretanto, nunca pude comentar nada na Igreja porque seria imediatamente taxado de apóstata por não acreditar em algumas dicas de Pregar Meu Evangelho (PME).

Antes de mais nada, preciso deixar claro que servi como missionário há cinco anos e peguei a fase PME. Já estudava comunicação antes da missão, mas meus estudos mais significativos ocorreram apenas depois que retornei à universidade. Enquanto estudava, percebia que havia falhas na comunicação utilizada pela Igreja em suas abordagens missionárias, fosse pelo trabalho dos élderes e sísteres, fosse em programas como “Mãos que Ajudam”. Hoje não tenho tantos pudores para comentar esse tipo de assunto porque não frequento mais a Igreja. Embora eu duvide de uma série de coisas, eu não tenho ódio pela igreja e, inclusive, me permito indicar alguns amigos aos missionários. Gostaria de contar-lhes algo que aconteceu esta semana para poder ilustrar melhor o ponto em que quero chegar. Continuar lendo

Russell M. Nelson e o Dom de Línguas

Texto de Gustavo Oliveira

Fui escolhido! Quando tinha 17 anos, o Élder Russell M. Nelson do Quórum dos Doze Apóstolos, viria visitar o Rio de Janeiro. Seria uma visita rara, sem muito aviso prévio, e somente por um dia. Élder Nelson anunciou que queria dirigir-se aos jovens e jovens solteiros. Meu bispo me perguntou se eu tinha interesse em ser o tradutor do Élder Nelson para seu discurso. Eu estava em êxtase! Um membro do Quórum dos Doze Apóstolos! Claro que aceitei!

Semanas se passaram e eu não havia recebido nenhuma mensagem reforçando o convite; eu ainda não sabia se seria o tradutor ou não. Finalmente, chegou o dia do serão com o Élder Nelson. Eu cheguei cedo na capela de Andaraí, um bairro carioca, e a sede da nossa estaca. A grande maioria dos presentes eram jovens; jovens das três estacas cariocas: Andaraí, Madureira, e Rio de Janeiro. A capela de Andaraí estava mais cheia que durante nossas conferências de estaca. E eu ainda não sabia se seria o tradutor ou não. Continuar lendo

Testemunhas especiais do nome de Cristo

Apóstolos são “testemunhas especiais de Cristo” ou “testemunhas especiais do nome de Cristo”? Qual a diferença entre as duas definições? Que implicações doutrinárias há nessa mudança de linguagem? Embora grandemente despercebida, a mudança na tradicional definição do papel dos doze apóstolos ocorreu em uma das publicações de maior tiragem de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o livro Princípios do Evangelho.

princípiosUm profeta, sob a direção do Senhor, dirige a Igreja. Esse profeta é também o Presidente da Igreja. Ele possui toda a autoridade necessária para dirigir o trabalho do Senhor na Terra (D&C 107:65, 91). Dois conselheiros ajudam o Presidente. Doze apóstolos, que são testemunhas especiais de Cristo, ensinam o evangelho em todas as partes do mundo.  Edição de 1995, p. 112.

principios-do-evangelhoUm profeta, sob a direção do Senhor, dirige a Igreja. Esse profeta é também o Presidente da Igreja. Ele possui toda a autoridade necessária para dirigir o trabalho do Senhor na Terra (D&C 107:65, 91). Dois conselheiros ajudam o Presidente. Doze apóstolos, que são testemunhas especiais do nome de Cristo, ensinam o evangelho e governam os assuntos da Igreja em todas as partes do mundo.  Edição de 2009, p. 100.

Cadê a tradução?

Um ano depois, ensaios históricos do site lds.org permanecem sem tradução

translation2Há muitos problemas de tradução na Igreja sud. Mas um tem se destacado gravemente: a política de não traduzir.

No final de 2013, o site lds.org inicou a publicação de ensaios em língua inglesa acerca de tópicos de natureza histórica e doutrinária, recebendo bastante atenção nas discussões online sobre mormonismo. Os ensaios não foram anunciados em Conferência Geral, promovidos na Liahona e Ensign e sequer receberam destaque no próprio site. De fato, é até mesmo difícil localizá-los.

Em que pesem os problemas, penso que a iniciativa apontou para uma maior abertura da Igreja sud em lidar com seu passado, uma vez que tem abordado temas controversos como violência entre mórmons no séc. XIX,  a historicidade do Livro de Abraão e os quatro ensaios relacionados ao casamento plural , incluindo a prática em Kirtland e Nauvoo, entre pioneiros em Utah  e seu fim oficial com o Manifesto.

Senti uma satisfação especial ao ler o ensaio intitulado “Raça e sacerdócio“, ao ver informações que a Igreja admitia pela primeira vez a respeito de um tema tão doloroso quanto relevante para o mormonismo no Brasil. Infelizmente, minha resenha publicada aqui há um ano permanece como a única fonte em língua portuguesa para tais informações. Continuar lendo

A autoridade nunca falha

Porque sim’ não é resposta. Quem assistia ao programa infantil Castelo Rá-Tim-Bum deve lembrar dessa frase, tão divertida quanto verdadeira. No cotidiano da Igreja sud muitas vezes nos deparamos com a resposta “porque sim.” Geralmente é traduzida como

– “está no manual”;

– “é o que a igreja ensina”;

– “os líderes decidiram”.

telekid

Para silenciar perguntas, apela-se à autoridade, seja de uma publicação (que ninguém sabe qual é), seja de uma entidade (da qual o indivíduo que questiona também é parte), seja de um grupo de homens (que podem ou não ser apoiados pelo indivíduo). Esse é um vício danoso, que tem causado estragos enormes na cultura mórmon.

Antes do início da Copa do Mundo, eu havia escrito sobre o aparente descontentamento entre membros sud brasileiros sobre o envolvimento do Mãos Que Ajudam no evento da Fifa. Em uma pesquisa informal, mais de 70% dos nosso leitores disseram que tal envolvimento não eram condizente com os propósitos do projeto humanitário e que não seria positivo para a imagem da Igreja no Brasil.

Não deixei de ficar um pouco surpreso, porém, ao ver na página da Sala de Imprensa da Igreja comentários críticos à atuação do Mãos que Ajudam na Copa da Fifa. Vejamos um exemplo: Continuar lendo

Livro de Abraão pode não ser uma tradução, afirma Igreja

abraham1

Novo ensaio publicado no site oficial da Igreja sud afirma que o Livro de Abraão é uma escritura inspirada,  mas não necessariamente uma tradução literal dos papiros egípcios usados por Joseph Smith. Publicado no último dia 08, o texto afirma que

Sabemos algumas coisas sobre o processo de tradução. A tradução da palavra normalmente pressupõe um conhecimento especializado de vários idiomas. Joseph Smith não alegou experiência em qualquer idioma. Ele prontamente reconheceu que era uma das “coisas fracas do mundo”, chamado a falar palavras enviados “do céu”. (…) O Senhor não exigiu Joseph Smith ter conhecimento de egípcio. Pelo dom e poder de Deus, Joseph recebeu o conhecimento sobre a vida e os ensinamentos de Abraão.

Continuar lendo