Igreja Mórmon Muda Nome Online

A Igreja Mórmon anunciou uma nova e ampla medida de relações públicas ao mudar seu nome fantasia nas plataformas digitais, tanto nas redes sociais, como em seus sites oficiais.

first-presidency-2018-cropped

Russell M. Nelson (centro) e seus dois conselheiros na Primeira Presidência, Dallin H. Oaks (esquerda) e Henry B. Eyring (à direita), em janeiro de 2018. | Imagem: Cortesia de Intellectual Reserve.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, conhecida popular e informalmente como “Igreja SUD” ou “Igreja Mórmon” há mais de 180 anos, e reconhecida assim oficialmente em público por ela mesma até a semana passada, anunciou que a partir das próximas semanas deixará de aceitar que sua presença digital responda pelos termos populares “mórmon” ou “SUD”.

Enquanto estratégia de marketing, não há absolutamente nada de novo ou errado em se alterar estratégias de branding em um mundo digital constantemente em fluxo. Infelizmente, porém, o anúncio e a mudança de estratégia convenientemente ignora (ou intencionalmente distorce) alguns fatos históricos, além de outros fatos contemporâneos.

Marketing e Gestão de Marca Sob Nova Direção

Esta nova estratégia de marketing e gestão de marcas iniciou-se no ano passado com o novato presidente e profeta d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Em anúncio feito em 16 de julho, ironicamente através do site oficial da Igreja intitulado Sala de Imprensa Mórmon, Russell M Nelson retomou inesperadamente uma tendência compartilhada por algumas Autoridades Gerais na Igreja SUD, e exposta pelo próprio Nelson na década de 1990, de proscrever os termos “mórmon”, “mormonismo” e “SUD” como termos a serem evitados a todo custo.

A nova diretriz de Nelson soava gratuita e contrastava com o uso publicitário da palavra “mórmon” durante a administração de seu antecessor como presidente da Igreja e profeta, Thomas S Monson. A Igreja sob Monson fez marketing do termo com a campanha multi-milionária “Eu Sou Mórmon” entre 2011 e 2014, e o documentário multi-milionário “Meet the Mormons(Conheça os Mórmons) de 2014. Em anos recentes, inclusive, a Igreja SUD agressivamente processou em âmbito judicial empresasorganizações pelo uso do termo “mórmon” por suposta violação de direitos de propriedade intelectual.

Em seu anúncio oficial de julho p.p., o Profeta Nelson afirmara que decisão lhe fora inspirada por Deus:

Recebi do Senhor uma inspiração referente ao nome que Ele revelou para Sua Igreja, sim, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Temos a tarefa de nos colocar em harmonia com a Sua vontade.

Por mais inesperada que fora, a decisão do atual profeta mórmon não fora inteiramente inconsistente com um discurso seu proferido em Conferência Geral em abril de 1990 enquanto ainda mero Apóstolo, e que ele ainda referenciou novamente cinco anos depois.

Outras Autoridades Gerais influentes no mormonismo contemporâneo, como o Profeta Gordon B Hinckley, e os Apóstolos Boyd K Packer e M Russel Ballard, pregaram a favor do uso do nome oficial e contra a expressão “Igreja Mórmon”, ainda que admitindo a legitimidade de “mórmon” para se referir aos membros da denominação. Ballard, em discurso de 2011, afirmara:

Embora mórmon não seja o nome correto e completo da Igreja e tenha originalmente sido dado por nossos detratores nos primeiros anos de perseguição, ele tornou-se um apelido aceitável, quando aplicado aos membros, em vez da instituição. Não precisamos parar de usar o nome mórmon, quando adequado, mas devemos continuar a enfatizar o nome completo e correto da Igreja propriamente dita. Em outras palavras, devemos evitar e desencorajar o termo “Igreja Mórmon”.

Já de acordo com a nova decisão de Russell Nelson, “mórmon” nem sequer deve ser utilizado como referência aos membros da Igreja:

Quando nos referimos aos membros da Igreja, é preferível utilizar o termo “membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias” ou “santos dos últimos dias”. Pedimos que o termo “mórmons” não seja utilizado. [Ênfase nossa]

política linguística almejada por Nelson ainda inova ao desaconselhar o uso da sigla “SUD” (em inglês, “LDS”) para “Santos dos Últimos Dias”, seja para membros ou para a Igreja em si, como a própria Igreja oficialmente fazia, além de afirmar que o termo “mormonismo” é inadequado. Ironicamente, a palavra “mormonismo” ainda consta no cânone oficial da Igreja SUD como algo sagrado e divino, comprado com o sangue dos profetas mártires:

“Eram inocentes de qualquer crime, como tantas vezes antes se provara, e só foram postos na prisão pela conspiração de traidores e de homens iníquos; e seu sangue inocente, no chão da cadeia de Carthage, é um grande selo afixado ao “mormonismo,” que não poderá ser rejeitado por qualquer tribunal da Terra; e seu sangue inocente sobre o brasão do Estado de Illinois, juntamente com a violação da palavra do Estado, conforme empenhada pelo governador, é uma testemunha da veracidade do evangelho eterno, que o mundo inteiro não pode refutar; e seu sangue inocente sobre o estandarte da liberdade e sobre a carta magna dos Estados Unidos é um embaixador da religião de Jesus Cristo, que tocará o coração dos homens honestos de todas as nações; e seu sangue inocente, juntamente com o sangue de todos os mártires sob o altar que João viu, clamará ao Senhor dos Exércitos até que ele vingue esse sangue na Terra. Amém.” [Ênfase nossa]

Uma Nova Estratégia

Nelson, que há décadas demonstrava desgosto pelo livre uso do termo “mórmon” durante as administrações dos profetas Ezra Taft Benson, Gordon Hinckley, e Thomas Monson, como citado acima, assumiu o púlpito sagrado da Conferência Geral meros meses após seu anúncio de julho e alertou membros da Igreja que apenas Satanás se regozija desse afronte direto contra Deus:

“Portanto, o nome da Igreja não é negociável. Quando o Salvador declara nitidamente qual deve ser o nome de Sua Igreja e ainda precede Sua declaração com: “Pois assim será a minha igreja chamada”, Ele está falando sério. E se permitimos que apelidos sejam usados ou adotamos ou até mesmo apoiamos esses apelidos, Ele Se ofende.

O que há por trás de um nome ou, nesse caso, de um apelido? Quando se trata de darmos apelidos para a Igreja, tais como “Igreja SUD”, a “Igreja Mórmon” ou a “Igreja dos Santos dos Últimos Dias”, o que é mais grave nesses nomes é a ausência do nome do Salvador. Remover o nome do Senhor da Igreja do Senhor é uma grande vitória para Satanás. Quando descartamos o nome do Salvador, estamos sutilmente desprezando tudo o que Jesus Cristo fez por nós — inclusive Sua Expiação.” [Ênfases nossas]

Portanto, de acordo com o Profeta Nelson o uso constante desses “apelidos” por parte da Igreja até hoje eram nada menos que uma “ofensa” a Deus, uma “vitória para Satanás”, e um “desprezo” contra “Jesus Cristo”. Porém, agora não mais. Em uma mudança, sobre o qual o Profeta Nelson havia tomado enorme cuidado para explicitar e deixar claro que “[n]ão é a reformulação de uma marca”, ou “algo superficial”, ou mesmo “um capricho”, ontem a Primeira Presidência anunciou que, doravante, os sites oficiais da Igreja e suas contas oficiais nas redes sociais serão menos ofensivos a Deus e menos vitoriosos a Satanás:

“As mudanças que a Igreja está fazendo aplicam-se a muitos aspectos dos canais de comunicação da Igreja. Quatro áreas são dignas de nota para os santos dos últimos dias e o público em geral:

Websites: o site oficial da Igreja se tornará ChurchofJesusChrist.org ou igrejadejesuscristo.org.br (em português). Essa mudança entra em vigor hoje, 5 de março de 2019, quando o domínio ChurchofJesusChrist.org começa a apontar para a página inicial do LDS.org. Nos próximos meses, o domínio ChurchofJesusChrist.org substituirá o que foi o seguinte:

• LDS.org (ChurchofJesusChrist.org)

• MormonNewsroom.org (Newsroom.ChurchofJesusChrist.org). No Brasil, o site de notícias da igreja saladeimprensamormon.org.br será substituído por noticias.igrejadejesuscristo.org.br.

Eventualmente, Mormon.org será incorporado ao novo domínio também. No entanto, devido ao fato de seu público principal ser os que estão fora da Igreja, a união com a Igreja de Jesus Cristo, centrada nos membros da Igreja, levará mais tempo.

O trabalho está em andamento para unificar e reestruturar todos esses sites em uma experiência nova, mais coesa e personalizada sob o domínio ChurchofJesusChrist.org. Até lá, Mormon.org mudará para ComeuntoChrist.org.

Mídia social: Várias contas de mídia social da Igreja serão unificadas e darão maior ênfase ao nome da Igreja do Salvador. Esses canais de mídia social publicarão conteúdo mais focado em viver e compartilhar o evangelho de Jesus Cristo.

• Um novo grupo do Facebook foi criado para construir uma comunidade e informar melhor as pessoas sobre as notícias e atualizações da Igreja. Esse grupo é chamado de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias – Inspiração e Notícias”. Esse grupo foi criado para ser um local de comunidade e conexão para os santos dos últimos dias.

Aplicativos para dispositivos móveis: muitos dos aplicativos para dispositivos móveis da Igreja serão renomeados para se alinharem com as orientações recentes dos líderes da Igreja em relação à nomenclatura dos produtos da Igreja.

• Música SUD torna-se “Música Sagrada”

• O aplicativo da Biblioteca do Evangelho mantém o mesmo nome

E-mails: Os endereços de e-mail de todos os funcionários da Igreja, líderes gerais da Igreja e muitos voluntários usarão o domínio @ChurchofJesusChrist.org em vez do atual @ldschurch.org. Como outras mudanças, esse ajuste visa ajudar a manter o nome de Jesus Cristo em destaque em toda a Igreja.”

Imagem de um dos sites oficiais (MORMON.org) da Igreja SUD no ar ainda hoje (ênfases nossas)

Como se Chamava a Igreja que Joseph Smith Fundou?

Joseph Smith fundou uma igreja em 6 de abril de 1830 e a incorporou legalmente como “Igreja de Cristo”.  De acordo com o Profeta Joseph Smith, esse seria o nome oficial da igreja como revelado por Deus:

“O surgimento da Igreja de Cristo nestes últimos dias, sendo mil oitocentos e trinta anos depois da vinda de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo na carne, tendo a Igreja sido devidamente organizada e estabelecida em conformidade com as leis de nosso país, pela vontade e mandamentos de Deus, no quarto mês e no sexto dia do mês que é chamado abril[Ênfases nossas]

No dia 3 de maio de 1834, durante uma Conferência dos Élderes da Igreja, sobre a qual presidia o Profeta Joseph Smith, decidiu-se alterar o nome oficial da igreja para “A Igreja dos Santos dos Últimos Dias”. Nenhum motivo específico para a mudança encontra-se citado na minuta da conferência ou em quaisquer pronunciamentos oficiais do Profeta Smith ou de seus conselheiros na Primeira Presidência, apesar das imediatas especulações apologéticas por editores do jornal da Igreja. Interessante é notar que o atual Profeta Nelson julga essa decisão do Profeta fundador Joseph Smith como um erro “grave” e uma “grande vitória para Satanás” e um “desprezo” por “Jesus Cristo”.

“Quando se trata de darmos apelidos para a Igreja, tais como “Igreja SUD”, a “Igreja Mórmon” ou a “Igreja dos Santos dos Últimos Dias”, o que é mais grave nesses nomes é a ausência do nome do Salvador. Remover o nome do Senhor da Igreja do Senhor é uma grande vitória para Satanás. Quando descartamos o nome do Salvador, estamos sutilmente desprezando tudo o que Jesus Cristo fez por nós — inclusive Sua Expiação.” [Ênfases nossas]”

Aliás, esse não é o único julgamento contra Joseph Smith por parte de Russell Nelson. Smith não apenas não se importava como os termos “mórmon” ou “mormonismo”, como os abraçava religiosamente, não apenas literalmente definindo o termo como algo “mais bom” (sic), mas também como algo profundamente sagrado:

“E eu observarei aqui, meu querido senhor; que o mormonismo é a pura doutrina de Jesus Cristo, da qual eu mesmo não me envergonho.” — Joseph Smith

Não obstante, Smith mudaria o nome da igreja mais uma vez. Em 26 de abril de 1838, Joseph Smith, refugiado no estado de Missouri e recém foragido da lei do estado de Ohio por fraude bancária e enormes dívidas adquiridas em esquemas de especulações imobiliárias e financeiras, alterou o nome oficial da igreja para “Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias” (em inglês, “Church of Jesus Christ of Latter Day Saints”) novamente ao ditar uma inédita revelação de Deus:

“Pois assim será a minha Igreja chamada nos Últimos dias mesmo a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias” (sic)

História e o Nome da(s) Igreja(s)

Após o assassinato de Joseph Smith em 1844, vários profetas disputaram, entre si, por fiéis para se estabelecerem como “o” sucessor profético de Smith. Os dois que mais seguidores conseguiram angariar nos primeiros dez anos após Smith foram Brigham Young e James J Strang. Enquanto Strang levou seus seguidores para Wisconsin e manteve o nome oficial da Igreja (“Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”, em inglês “Church of Jesus Christ of Latter Day Saints”), Young levou seus seguidores para o México e discretamente alterou o nome de sua igreja (“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”, em inglês “The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints”).

O nome oficial da igreja “Brighamita” (i.e., dos seguidores de Brigham Young) permaneceu desde então inalterada até a presente data, assim como a igreja “Strangita” (i.e., dos seguidores de James Strang). Contudo, enquanto a igreja Brighamita mantém o seu nome oficial (“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”, em inglês “The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints”) como marca registrada, o nome oficial da igreja Strangita (“Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”, em inglês “Church of Jesus Christ of Latter Day Saints”) encontra-se no domínio público.

Finalmente, é mister notar que “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias” é um nome fantasia, não registrado oficial e legalmente. Nos EUA, a Igreja SUD é registrada como “Corporação do Presidente de A Igreja de Jesus Cristos dos Santos dos Últimos Dias” (COP), enquanto que no Brasil é a “Associação Brasileira d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias” (ABIJCSUD).

Além da curiosidade do nome oficial da Igreja ser distinta de seu nome fantasia, esses fatos compõe uma janela interessante em sua administração. No Brasil, por exemplo, a ABIJCSUD não é registrada como “organização religiosa” (322-0), mas sim como “associação privada” (399-9). A título de comparação, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) não apenas é registrada legalmente com o mesmo nome que sua identidade fantasia (i.e., IURD), mas consta em registro como “organização religiosa”.

Ademais, o registro da matriz norte-americana é ainda mais ilustrativa. A Igreja SUD (COP) é legalmente registrada como uma “corporação”, mais especificamente como uma “corporação única” (em inglês, “corporation sole”). O site da Sociedade de Advogados J Reuben Clark, afiliada à faculdade de direito da universidade mórmon Brigham Young University, explica assim a natureza jurídica dessa corporação:

“Qualquer corporação única criada (…) terá poder sem qualquer autoridade ou autorização dos membros de tal igreja ou sociedade religiosa para hipotecar, trocar, vender e transmitir o mesmo; e qualquer corporação única ou administrador individual residente dentro deste estado pode deter título de propriedade, real ou pessoal, que esteja situada em qualquer outro estado ou jurisdição…”

Em âmbito legal, estritamente dito, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias não existe nos EUA, o que significa que seus membros não detém nenhum poder legal de supervisão ou contabilidade sobre as finanças e a administração dela. Existe apenas a COP, cujo membro solitário é o Presidente da Igreja, com poder plenipotencial para todas e quaisquer decisões financeiras e administrativas:

“No curso da História, são numerosos os exemplos de técnicas jurídicas de gestão de um patrimônio, em benefício coletivo, sem a criação de uma pessoa coletiva. No direito romano, o patrimônio dos collegia e das solidates pertencia a um só dos membros. A corporation sole, do velho direito inglês, compreendia a Coroa e os ofícios eclesiásticos, tais como o do bispo e o do vigário. O trust alcança o objetivo da separação patrimonial sem personalização, assim como a propriedade em mão comum do direito germânico.”

O mundialmente famoso Coro do Tabernáculo Mórmon, que mudou seu nome de mais de 150 anos de tradição há 5 meses para “Coro do Tabernáculo na Quadra do Templo” após o discurso de Nelson

Joseph Smith e os Mormonitas

No século 19, os seguidores do Profeta Joseph Smith Jr. imediatamente ganharam o apelido pejorativo de “mormonitas” devido à sua crença no Livro de Mórmon. O apelido rapidamente foi reduzido a “mórmons”, sendo amplamente aceito e utilizado pelos membros do novo movimento religioso. O próprio Smith usava em seus discursos e escritos os termos “mórmon” “e “mormonismo”, como neste exemplo:

“Um dos grandes princípios fundamentais do Mormonismo é o de receber a verdade, de onde quer que ela venha.” — Joseph Smith

A Igreja de Cristo, organizada por Smith em 1830, não possuía um nome muito peculiar ou distinto, se comparado ao de outras igrejas da época, e tampouco apresentava uma consistência absoluta, com os frequentes usos alternativos de “Igreja de Deus”, “Igreja dos Santos dos Últimos Dias”, e “Igreja de Jesus Cristo” em alguns de seus documentos. O nome final “Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias” para Smith fora estabelecido apenas em 1838, embora ele não tenha desencorajado o uso do termo “mórmon” até sua morte precoce. 

Vai Emplacar?

“Eu não acho que isso vai impedir nossos amigos de fora da igreja de nos chamar por apelidos”, declarou Richard E. Bennett, professor de História da Igreja da Brigham Young University ao jornal The New York Times. “Mas, com certeza, entre os membros da igreja, faremos um esforço maior para seguir as instruções”, afirmou otimista.

A dificuldade imposta pela decisão de Nelson não é pequena e desafia padrões culturais e linguísticos, que obviamente não podem ser regulados pela Igreja SUD. Além disso, desrespeita barreiras do jornalismo e do universo acadêmico, ao sugerir, por exemplo, que ao invés de “mormonismo”, use-se  “o evangelho restaurado de Jesus Cristo”.

Ademais, a proibição pelo uso de termos populares e estabelecidos como “mórmon” ou “SUD” viola a própria teologia mórmon. O Profeta Joseph Smith estabeleceu já em 1831, em ensinamento oficialmente canonizado, a prática da substituição eufemística de termos considerados sagrados, como o nome de Deus, ao explicar o motivo pelo qual mórmons usam o termo “Sacerdócio de Melquisedeque”:

“A razão de o primeiro chamar-se Sacerdócio de Melquisedeque é que Melquisedeque foi um grande sumo sacerdote.

Antes de sua época chamava-se Santo Sacerdócio segundo a Ordem do Filho de Deus.

Mas por respeito ou reverência ao nome do Ser Supremo, a fim de se evitar a repetição frequente de seu nome, eles, a igreja na antiguidade, deram a esse sacerdócio o nome de Melquisedeque, ou seja, Sacerdócio de Melquisedeque.” [Ênfases nossas]

Além disso, não se pode esquecer que “A Igreja de Jesus Cristo” não é o “nome oficial” da Igreja, e ao trocar “SUD.org” (i.e., LDS.org) por “Igreja de Jesus Cristo.org”, nada mais troca-se um apelido por outro. Trocar “MORMON.org” por “Venha A Cristo.org” tem ainda menos a ver com o nome oficial da Igreja “revelado por Deus”, mas torna explícito e ainda mais óbvio a preocupação última com branding.

Afinal, por que a Igreja não escolheu trocar por “A Igreja de Jesus Cristo.org“? Ou mesmo “Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.org“?

É uma Mudança Inédita?

A mesma mudança estratégica de branding e gestão de marca que Nelson apresenta agora já fora realizada por outra igreja mórmon no passado recente.

Em abril de 1860, o filho mais velho do assassinado Profeta Joseph Smith Jr, Joseph Smith III, reorganizou em Illinois a igreja que seu pai havia fundado e, de acordo com suas revelações divinas, havia sido perdida com sua morte precoce e as disputas entre potenciais sucessores. Por estar reorganizando uma igreja desorganizada pela morte precoce de seu profeta, Smith III estilizou a igreja com o nome A Igreja Reorganizada de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Inicialmente, esta recebeu o apelido “Josephita” em contraste à igreja liderada por Brigham Young (“Brighamita”) durante o século 19, mas por todo o século 20 era popularmente chamada como Igreja RSUD, também em contraste à Igreja SUD de Utah.

Não obstante, em 2001 a Igreja RSUD aceitou em Conferência Mundial a sugestão do então presidente e profeta W Grant Murray para mudar o nome da igreja para a Comunidade de Cristo para refletir mudanças teológicas de uma igreja transacionando para uma filosofia religiosa mais convencionalmente cristã (e.g., reduzindo a importância da historicidade do Livro de Mórmon, introduzindo comunhão aberta ao invés de comunhão fechada, reavaliando os conceitos de autoridade sacerdotal e a Grande Apostasia, etc.) e mais tolerante e diversa (e.g., expandindo a aceitação de membros LGBT).

A Comunidade de Cristo vem progressivamente, ao longo das últimas décadas, migrando de posições idiosincráticas mórmons para uma de crenças cristãs mais convencionais, e a mudança de seu nome reflete bem essa transição. As mudanças cosméticas de Russell Nelson obviamente mostram claras marcas de preocupação com seu branding, especialmente quando contextualizada com enormes perdas demográficas de membros e uma litania de publicidade negativa na imprensa mundial nos últimos anos.

Conduto, Nelson afirma que tais mudanças são mais que meramente cosméticas ou marketing. Estaria a Igreja SUD iniciando a mesma transição teológica e filosófica que a Comunidade de Cristo (ex-Igreja RSUD) iniciou há 2 décadas?

Quem são os Mórmons?

Como sugerido com a anedota histórica acima, a igreja “Brighamita”, popularmente conhecida como “Igreja Mórmon” ou “Igreja SUD”, e que agora exige que seja chamada apenas “A Igreja de Jesus Cristo” ou “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”, é apenas uma das muitas descendentes do movimento religioso fundado pelo Profeta Joseph Smith.

Centenas de igrejas, grupos, e religiões traçam sua fé aos ensinamentos de Smith e de seu Livro de Mórmon. Por essa fundação religiosa compartilhada, costuma-se categoriza-los como parte do movimento religioso mórmon, ou mormonismo, podendo também ser denominado movimento Santo dos Últimos Dias.

Dentre as igrejas do movimento mórmon, ou santo dos últimas dias, mais populares, encontram-se ativas até hoje as seguintes (lista não exclusiva e não compreensiva):

  • A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (“Brighamita”)
  • A Comunidade de Cristo (“Josephita”)
  • A Igreja de Jesus Cristo (“Bickertonita”)
  • Igreja de Jesus Cristo com a Mensagem de Elias
  • União de Irmãos Apostólicos
  • A Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (“Jeffita”)
  • Igreja de Cristo (“Hendrickita”)
  • Irmandade dos Remanescentes
  • Igreja de Cristo (“Fettingita”)
  • A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (“Strangita”)
  • Igreja de Jesus Cristo (“Cutlerita”)
  • Igreja de Jesus Cristo Restaurada
  • Igreja de Jesus Cristo (“Toneyita”)
  • Igreja de Jesus Cristo Restaurada 1830
  • Igreja de Cristo (“Clarkita”)
  • Igreja de Jesus Cristo (Ramo Sião)
  • Grupo Lundgren
  • Igreja Restauração de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
  • Igreja Remanescente de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (“Larsenita”)
  • Igreja de Cristo (“Hancockita”)
  • Igreja de Cristo (“Leightonita”)
  • Igreja de Israel
  • A Igreja de Cristo com a Mensagem de Elias e o Caminho Assegurado do Senhor
  • A Verdadeira e Viva Igreja (“Harmstonita”)
  • Conselho dos Amigos (“Wooleyita”)
  • Igreja de Cristo dos Últimos Dias (“Kingstonita”)
  • Igreja do Primogênito da Plenitude dos Tempos (“LeBaronita”)
  • Igreja do Primogênito
  • Igreja de Jesus Cristo em Assembléia Solene
  • Igreja do Novo Convênio em Cristo

Por que a Igreja não escolheu trocar por “A Igreja de Jesus Cristo.org“? Ou mesmo “Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.org“? Porque esses sites já são de domínio de outras igrejas mórmons!

Em termos de categorização acadêmica, o mormonismo (ou movimento religioso mórmon, ou movimento santo dos últimos dias) é apenas uma parte de um movimento religioso maior denominado “restauracionista“, dos quais também fazem parte as Testemunhas de Jeová e os Adventistas do Sétimo Dia.

Dentro deste contexto, torna-se óbvio porque termos como “mormonismo” ou “santo dos últimos dias” são tão fundamentais para estudantes de religião e de história.

8 comentários sobre “Igreja Mórmon Muda Nome Online

  1. Sempre quando alguém me perguntava de qual igreja eu era membro, eu respondia: Eu sou membro da Igreja de Jesus Cristo.

    Sempre achei essa a maneira mais correta dee apresentar.

  2. Bastante interessante esse artigo. A muito tempo, aproximadamente duas décadas, quando trabalhava no bispado, sempre me perguntava, quando ia fazer os relatórios da ala, por quê a igreja de chamava: Associação Brasileira de A igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
    Com essa explicação, ficou claro o que está por trás. Incrível que nós membros somos induzidos a aceitar essa mudança como revelação divina.
    As vezes me perguntam: por que eu ainda acompanho o site vozesmórmons.org. Esse é um dos motivos. Aprendemos aqui o que os ensinamentos oficiais da igreja nos escondem.
    A liderança tem medo de que seus membros se afastem ao saberem sobre alguns fatos históricos da igreja. Que pena.
    Mas, quando se tem o testemunho, essas revelações servem para somar ao conhecimento maior das coisas de Deus. A verdade está dentro de cada um de nós.

    • Testemunho de quê ? O artigo deixou claro que estamos falando de uma corporação ! Tudo isso não passa de uma EMPRESA ! Acordem, por favor.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.