Joseph Smith, Sr.: Árvore da Vida

Em 1811, Joseph Smith Sr., pai do Profeta Joseph Smith Jr., teve uma visão na forma de um sonho. Então com apenas 5 anos de idade, o pequeno futuro-profeta passou a infância ouvindo narrações dessa visão, tamanha sua importância na vida e pensamento de seu pai.

Árvore da Vida

Eis a descrição dessa visão, ou sonho, como relatada pela mãe do Profeta, Lucy Mack Smith:

Eu parecia estar viajando, por um campo aberto e deserto, que parecia ser muito estéril. Enquanto eu estava viajando assim, o pensamento de repente veio-me que era melhor eu parar e refletir sobre o que eu estava fazendo antes de seguir mais adiante. Então eu me perguntei: “Que motivo eu posso ter para viajar aqui, e que lugar pode ser esse?” Meu guia, que estava ao meu lado, como sempre, disse: “Este é o mundo deserto, mas siga viajando.” A estrada era tão ampla e estéril, que eu me perguntava por que eu deveria viajar nela; Eu disse para mim mesmo: “Larga é a estrada e larga é a porta, que leva à morte, e muitos são os que andam nela; mas estreito é o caminho, e estreita é a porta que conduz à vida eterna, e são poucos os que entram por ela. Viajando a uma curta distância ainda mais, cheguei a um caminho estreito. Neste caminho entrei, e quando eu tinha viajado um pouco nele, eu vi um lindo riacho de água, que corria do leste para o oeste. Deste rio eu não podia ver nem a fonte nem a boca; mas, tanto quanto meus olhos podiam estender eu podia ver uma corda esticada ao longo da margem do rio, na altura apropriada para que qualquer um pudesse alcançá-la, e além de onde estava havia um vale profundo, mas muito agradável, no qual havia uma árvore, tal como eu nunca tinha visto antes. Ela era extremamente bonita, de modo que eu olhei para ela com espanto e admiração. Seus belos ramos se espalhavam um pouco como um guarda-chuva, e davam um tipo de fruta, em forma muito semelhante a um ouriço-de-castanha, branca como a neve, ou, se possível, ainda mais branca. Eu a contemplava com considerável interesse, e enquanto isso os ouriços começaram a se abrir, derramando suas partículas ou os frutos que continham, que eram de uma brancura deslumbrante. Aproximei-me e começou a comê-lo, e eu o achei delicioso além de qualquer descrição. Enquanto eu estava comendo, eu disse no meu coração: “Eu não posso comer isso sozinho, eu devo trazer minha esposa e filhos, para que possam comer comigo.” Assim, eu fui e trouxe a minha família, que consistia de minha esposa e sete filhos , e todos nós começamos a comer, louvando a Deus por essa bênção. Estávamos extremamente felizes, de modo que a nossa alegria não poderia ser facilmente expressa. Enquanto isso, vi um edifício espaçoso erguido no lado oposto do vale onde estávamos, e ele parecia chegar ao próprio céu. Estava cheio de portas e janelas, e todos estavam cheios de pessoas, todas finamente vestidas. Quando essas pessoas nos observavam no leito do vale, debaixo da árvore, eles apontavam o dedo, com atitude de escárnio, tratando-nos com todo o tipo de desrespeito e desprezo. Mas seus insultos nós absolutamente ignoramos. Então me virei para o meu guia, e perguntei-lhe o significado do fruto que era tão delicioso. Ele me disse que era o puro amor de Deus, derramado nos corações de todos aqueles que O amam e guardam os Seus mandamentos. Então, ele me mandou ir e trazer o resto dos meus filhos. Eu disse a ele que estávamos todos lá. “Não”, ele respondeu, “olhe além, você tem mais dois, e você deve trazê-los também.” Ao levantar os meus olhos, vi dois filhos pequenos, de pé a alguma distância. Eu fui imediatamente a eles, e os trouxe para a árvore; e eles começaram comer com o resto, e todos nos regozijamos juntos. Quanto mais nós comíamos, mais parecíamos desejar, ao ponto de nos ajoelharmos e escavarmos para comer com as duas mãos. Após nos banquetearmos deste modo por um curto período de tempo, eu perguntei ao meu guia qual era o significado do edifício espaçoso que eu vi. Ele respondeu: “É Babilônia, é Babilônia, e ela deve cair. As pessoas nas portas e janelas são os seus habitantes, que escarnecem e desprezam os Santos de Deus por causa de sua humildade.” Eu logo acordei, batendo palmas de alegria. (History of Joseph Smith by His Mother, por Lucy Mack Smith, publicado por Orson Pratt, 1853)

O impacto dessa visão do pai de Joseph Smith em toda a família, e especialmente no Profeta, não pode ser negligenciado (ver aqui e aqui).

30 comentários sobre “Joseph Smith, Sr.: Árvore da Vida

  1. Eu sinceramente acredito que essa família inteira de Joseph sempre foi muito obcecada por bíblia ou coisas do tipo, comparo eles com aquela Ellen White das adventistas,salvo engano, acho que esse povo lê tanto que começa a ver coisas demais, não sei se é verdade mas, já li que a mãe dele tbm tinha supostas visões, sonhos estranhos e até previsões…..

  2. ACREDITO FIELMENTE NISSO QUANDO LEMOS AS ESCRITURAS PARECE QUE ESTAMOS EM OUTRO MUNDO MAIS FELIZ AO SABER QUE NOSSO SALVADOR FEZ TD POR NÓS E DEVEMOS SIM IMITA-LO , POIS SER igual a ele jamais , a família de nosso profeta revelador é muito especial com certeza.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.