Russell Nelson: Epidemia de AIDS e Direitos Civis

Em discurso de Conferência Geral o Apóstolo, e médico, Russell Nelson explicou como a epidemia de HIV e AIDS, que já ceifou as vidas de mais de 34 milhões de pessoas desde a década de 1980, foi causada em parte pela luta por direitos civis.

Apóstolo Russell Nelson serve atualmente como Presidente do Quórum dos Doze

“Hoje nós estamos seriamente preocupados com a crescente incidência de infecção humana pelo vírus HIV (Vírus Imunossupressivo Humano) e vírus variantes e com o surto associado da AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). Uma epidemia que foi prevista – uma praga alimentada por alguns poucos porém bem barulhentos que demonstram maior preocupação com os direitos civis do que com a saúde pública, uma praga auxiliada pelos imorais. Alguns vivem na luxúria, como se o mandamento de Deus para ser castos fora escrito com um asterisco, isentando-os de obediência. E, lamentavelmente, como em pragas anteriores, muitas vítimas inocentes são condenadas a sofrer. Onde está a sabedoria?”

Evidentemente, direitos civis não é um tema querido para muitos Apóstolos Mórmons.

∼¤∼

Atualmente, aproximadamente 37 milhões de pessoas mundo afora vivem sob o julgo da infecção com o vírus HIV, dentre elas 2,6 milhões de crianças. A maioria esmagadora destes infectados é pobre ou de classe média baixa, e aproximadamente 1,2 milhão destes morre todo ano. Anualmente, mais de 250 mil crianças globalmente contraem o HIV.

Cientistas, estudos científicos, e organizações médicas e científicas estão em consenso sobre os métodos mais eficazes para se reduzir ou coibir a transmissão do vírus:

1) Educação sexual cientificamente correta;
2) Acesso amplo a tratamentos médicos (e.g., testes precoces, profilaxia pré e pós-exposição, acesso a centros obstétricos, tratamento anti-retroviral, etc.);
3) Acesso fácil e barato a profiláticos (e.g.,  camisinha);
4) Circuncisão masculina;
5) Controle técnico adequado sobre produtos para transfusão sanguínea e procedimentos médicos;
6) Acesso fácil e barato a produtos descartáveis entre usuários de drogas recreativas.

Estudos científicos e estatísticos também demonstram que a estratégia de educação por abstinência sexual (i.e., focar em ensinar e pregar abstinência sexual) não ajuda, e até piora, a situação.

∼¤∼

Por que cientistas e organizações científicas nunca abordaram o tema de direitos civis? Quem sabe testar a hipótese do Apóstolo Russell Nelson, que remover direitos civis reduziria a taxa de transmissão de HIV?


Falando em Direitos Civis…

Leia mais sobre a política oficial da Igreja SUD aqui.

Leia mais sobre as resignações de membros SUD aqui.

Leia reações e histórias pessoais de membros SUD aqui.

Leia mais sobre a reação oficial da Igreja ao vazemento aqui.

Leia mais sobre a reação extra-oficial da Igreja SUD a isto aqui.

Leia pronunciamento da Primeira Presidência sobre Casamento Tradicional aqui.

14 comentários sobre “Russell Nelson: Epidemia de AIDS e Direitos Civis

  1. Hoje uma bocado de gente entende que a sexualidade é o principal pilar de nossa vida social: “Sexo é vida”. Assim a liberdade sexual é defendida como um dos direitos básicos mais fundamentais ser humano.

    Entretanto a liberdade sexual é o verdadeiro câncer que assola a instituição da Família. Primeiro temos os filhos bastardos que assolam as comunidades pobres gerando o aumento da criminalidade. Segundo as epidemias de DST.

    Temos que entender que a liberdade está intrinsecamente amarrada a responsabilidade. Quer ser livre? Pague o preço. É fácil e gostoso gerar uma criança com HIV, o duro é criar ela. Mas fiquem tranquilos que esse ônus pode ser transferido para terceiros.

    Assim, acho que a liberdade sexual tem que ser tratada exatamente como o tabagismo. Quer fumar, tudo bem, mas o imposto é alto para custear o tratamento consequentes do fumo. Propagandas são proibidas. Menores não podem fumar.

    Hoje a televisão faz marketing gratuito do sexo. Eu pago imposto pro governo distribuir camisinhas para que outros fassam sexo a vontade. Eu pago imposto pro governo dar remédios pra quem possui o HIV por ter vivido promiscuamente.

    Assim como uso de drogas, o sexo não deve ser estimulado. Ambos são acompanhados graves consequências que não justificam o uso liberal.

    • De acordo com o seu “raciocínio”, DSTs são impossíveis de controlar exceto por abstinência sexual fora do casamento? Profiláticos como camisinha e acesso a medicações, então, não fazem nada para reduzir e controlar DSTs? Centenas de estudos científicos e os consensos de cientistas estão mentindo sobre isso?

      De acordo com o seu “raciocínio”, filhos “bastardos” não existiam antes da “liberdade sexual”? A “família” não tinha problemas quando mulheres eram tratadas como objetos ou bens de posse? A “família” era melhor quando mulheres não tinham o direito a bens materiais, a herança, ou mesmo a decidir seu futuro conjugal?

      De acordo com o seu “raciocínio”, é impossível evitar que uma criança nasça infectada pelo HIV? Todos aqueles estudos demonstrando a eficácia de profilaxia medicamentosa então são mentiras?

      De acordo com o seu “raciocínio”, é importante deixar crianças serem infectadas com HIV para “amarrar” os pais com “responsabilidade”?

      De acordo com o seu “raciocínio”, é importante deixar pessoas serem infectadas com HIV para as “ensinar” e “punir” por causa de sua “liberdade sexual”?

      De acordo com o seu “raciocínio”, o “governo distribu[i] camisinhas para que outros fassam (sic) sexo a vontade”, e não para evitar que elas se infectem com HIV?

      De acordo com o seu “raciocínio”, sexo é o único meio de transmissão para HIV? E uma população endêmica com HIV transmitido sexualmente não aumenta os riscos para transmissões assexuais?

      De acordo com o seu “raciocínio”, só é infectado com HIV quem tem “vivido promiscuamente”? As milhares de crianças viveram promiscuamente? As milhares de pessoas infectadas por transfusão viveram promiscuamente?

      De acordo com o seu “raciocínio”, sexo só ocorre quando ele é “estimulado”. Todos aqueles estudos científicos e estatísticos que mostram que educação de abstinência não ajuda em nada (até piora) são mentiras?

  2. Crentes adoram essas declarações de pseudo-ciência ditas por autoridades eclesiásticas de seu grupo. Na realidade, trata-se muitas vezes de divagações metafísicas que misturam crenças no abstrato e lógica ‘furada’.

    O pior é que em geral quem fica satisfeito com essas declarações são pessoas que no fundo querem revestir sua crença de alguma lógica plausível, mas que bebem na fonte errada e ficam satisfeitos por “não contrariarem sua fé”.

    Gente, é sério, fé não precisa de lógica ou ciência, pois é crença, mas usar crendice pra invalidar a lógica e ciência comprovada fica feio. É coisa de quem se satisfaz com respostas prontas e não vai buscar por conta própria porque é ‘ilegal’, ou mesmo por preguiça intelectual.

  3. Vejo que o Elder Nelson não está dizendo que os direitos civis é uma das causas predominantes da transmissão do vírus e sim que direitos civis estão sendo utilizados, por alguns poucos, barulhentos, para alimentar, auxiliar, praticas imorais que levam ao contágio do vírus, como por exemplo, a pratica sexual de um individuo(a) com vários(as) parceiros(as), heterossexual ou homossexual ou bissexual. Não podemos negar que práticas imorais – entende-se imoral de acordo com a doutrina da igreja – também ajudam na proliferação da doença.

    Alguns números da Aids no Brasil (não sei se os dados são parecidos com o resto do mundo)

    Quanto à forma de transmissão entre os maiores de 13 anos de idade, prevalece a sexual. Nas mulheres, 86,8% dos casos registrados em 2012 decorreram de relações heterossexuais com pessoas infectadas pelo HIV. Entre os homens, 43,5% dos casos se deram por relações heterossexuais, 24,5% por relações homossexuais e 7,7% por bissexuais. O restante ocorreu por transmissão sanguínea e vertical.

    O resultado positivo para o HIV está relacionado, principalmente, ao número de parcerias (quanto mais parceiros, maior a vulnerabilidade), à coinfecção com outras doenças sexualmente transmissíveis e às relações homossexuais. O estudo é representativo da população masculina brasileira nessa faixa etária e revela um retrato das novas infecções.

    Fonte.

    • Corrigindo alguns erros básicos no seu raciocínio acima:

      1) “Vejo que o Elder Nelson não está dizendo que os direitos civis é uma das causas predominantes da transmissão do vírus…”

      Não apenas você, como todos nós. Você viu alguma indicação no artigo sugerindo que ele tivesse dito isso?

      2) “…e sim que direitos civis estão sendo utilizados, por alguns poucos, barulhentos, para alimentar, auxiliar, praticas imorais que levam ao contágio do vírus, como por exemplo, a pratica sexual de um individuo(a) com vários(as) parceiros(as), heterossexual ou homossexual ou bissexual.”

      Os “poucos, barulhentos” ao qual Nelson faz alusão são os homossexuais. Não se iluda.

      E os direitos civis ao qual ele está se referindo não são direitos para transar, mas direitos contra discriminação. Discriminação para conduzir negócios, discriminação para comprar ou alugar imóveis, discriminação empregatícia, e discriminação social para adoção, casamento, etc.

      Ou você acha que ele está defendendo leis que condenem homossexuais a prisões ou campos de concentração?

      3) “Não podemos negar que práticas imorais – entende-se imoral de acordo com a doutrina da igreja – também ajudam na proliferação da doença.”

      O foco do artigo é a crítica de Nelson contra assegurar direitos civis básicos a homossexuais, não transmissibilidade do HIV.

      Obviamente, sexo é uma das principais vias de “proliferação da doença”, mas isso é absolutamente irrelevante. Você pode ter 1 parceiro diferente por dia e, protegendo-se bem, nunca contrair a doença.

      As taxas de transmissão de HIV no Primeiro Mundo, e até no Brasil, caíram drásticamente nos últimos 15 anos. Você acha que é porque as pessoas pararam de transar?

      4) “Alguns números da Aids no Brasil”

      Como lhe foi explicado acima, o seu argumento inteiro sobre a transmissibilidade por via sexual do HIV é inteiramente irrelevante, considerando que é absoluta e comprovadamente possível controlar a epidemia mantendo as presentes taxas de conjugações carnais por pessoa por ano. Centenas de estudos científicos demonstram isso. Estudos, inclusive, demonstram que a situação piora quando o foco muda de “sexo seguro” para “abstinência”.

      Conclusão

      Você falhou em apresentar um contra-argumento válido ou relevante. Sugerimos que leia sobre o assunto melhor antes de tentar novamente. Comece pelos estudos que citamos acima no artigo.

  4. é impressionante o fato de vcs retiram um trecho de um discurso com um assunto bem mais profundo e colocam-o em um contexto completamente diferente buscando falhas. Sinto por aqueles que se deixam corromper por sites como esse, que criam apostasias com o objetivo de influenciar outros a deixar de lado a única Igreja que tem o poder de tornar as famílias eternas. E uma sugestão para os membros que estão em dúvida: confiem apenas em sites próprios da Igreja, pois outros não contem a verdade pura e simples que pertence a esse Evangelho.

    • Amanda Santos: Demonstre, por favor, como o resto do discurso (para o qual já havíamos incluído um link no artigo acima) oferece “contexto” que qualifique a compreensão do trecho citado acima de maneira a obrigar uma interpretação “completamente diferente” da explicada acima.

      Ou, de modo mais simples e fácil de entender, mostre o quê no “discurso” que muda o significado desse “trecho”.

      Se você conseguir demonstrar, racional e logicamente, tal contextualização que altere o significado da citação, corrigiremos o artigo.

      Se você não conseguir, solicitamos a gentileza de admitir o seu chororô acima como incompetência ou desonestidade intelectual a serviço da apologia ou da dissonância cognitiva. Como lhe melhor aprouver.

  5. Vozes Mórmons….. espero que vocês, todos vocês, estejam com razão com todos os seus argumentos contra os discursos dos apóstolos e profetas da Igreja. O mundo é assim mesmo, e não conhecemos os mistérios de Deus.

    • Mistérios, mistérios…é muita ignorância…por favor..Deus não trabalha com mistérios, trabalha com luz e verdade…Leia só conto da carochinha então…Sinto nojo e pena em ver tanta ignorância… Parabéns ao texto , vozes Mórmons…esse Nelson, realmente é um desonesto intelectual como poucos…Infelizmente esse sujeito, faz um mix de verdades e mentiras e engana dolosamente as pessoas menos atentas.

  6. Novamente membros fecham os olhos a fatos e verdades para defender com unhas e dentes homens que se intitulam “Apóstolos e Profetas”.
    É triste ler comentários que acreditam que homens e mulheres devem ser castigados pelas escolhas da vida , pelo não cumprimento dos mandamentos.
    Pelo que lembro Cristo pagou por todos os pecados, os meus e o da humanidade, sendo que pela ideologia cristã todos são salvos por Cristo. É o pecado do meu irmão maior que o meu?
    Vejo que muitos membros se colocam em um patamar melhor que os demais, se acham salvos pelo simples fato de acreditar em uma instituição e seus lideres.
    E Joseph teve várias parceiras a pergunta que fica ele é melhor que os demais? Usando a lógica de vários defensores da igreja ele deveria ter sido castigado, não?
    A prevenção é a única forma de resolver o problema. Um dado importante várias mulheres foram infectadas pelo marido (infiel).Essas mulheres devem também pagar pelo erro de seus companheiros?

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s