Ex-Candidato Demonstra Machismo Mórmon

O candidato a presidente dos EUA pelo partido Republicano, Donald J. Trump, está sendo severamente criticado por comentários sexistas em vídeo vazado, no qual ele defende abuso sexual contra mulheres.

Mórmon Mitt Romney foi o candidato à presidência dos EUA em 2012 pelo Partido Republicano

Mórmon Mitt Romney foi o candidato à presidência dos EUA em 2012 pelo Partido Republicano

Dezenas de políticos Republicanos imediatamente criticaram Trump, entre eles o ex-candidato mórmon a presidente dos EUA pelo mesmo partido, Mitt Romney.

Contudo, a declaração de Romney não apenas repudia a postura de Trump, mas perfeitamente ilustra e expõe o machismo dentro do mormonismo.

No vídeo que vazou, gravado em uma entrevista em 2005, Donald Trump reconta como ele agarrava, bolinava, e beijava mulheres participantes de seus programas de televisão sem esperar permissão delas, além de como ele ativamente buscava mulheres casadas e se forçava nelas quando não correspondiam inicialmente.

Trump já havia feito comentários sexistas em sua campanha, assim como racistas e xenofóbicos, ridicularizando deficientes e difamando refugiados, levando ao abandono de centenas de políticos Republicanos de sua campanha presidencial (mas de longe não todos). Porém, essa última revelação levou a uma maior debandada de políticos, inclusive de vários políticos mórmons que haviam apoiado Trump.

Inclusive, até o próprio jornal da Igreja SUD Deseret News emitiu nota editorial pedindo que Donald Trump abandone sua candidatura e repudiando qualquer apoio eleitoral a ele, mesmo que tampouco se recuse a apoiar sua oponente, a Democrata Hillary Clinton. O jornal emitiu segunda nota deixando muito claro que a liderança da Igreja SUD não havia sido consultada e não havia expressado qualquer opinião sobre Donald Trump, sua candidatura, ou esse escândalo recente.

Entre as muitas reações negativas dos próprios correligionários Republicanos de Trump, destaca-se a de seu predecessor, o candidato Republicano de 2012 Mitt Romney. Romney imediatamente foi a sua conta de Twitter e opinou:

romney-trump

“Paquerando mulheres casadas? Apologia ao abuso? Tais degradações vis aviltam nossas esposas e filhas e corrompem a imagem da América perante o mundo.”

O machismo no comentário de Romney não é uma exclusividade dele, e nem de sua religião, sendo comum entre seus partidários Republicanos. Não obstante, é bastante evidente e prevalente entre os ensinamentos da Igreja SUD. Para Romney, abuso sexual contra mulheres não é horrível pelo fato de nenhuma pessoa merecer ser vítima de assédio e abuso sexual, mas porque elas são “nossas esposas” e “nossa filhas”. Em outras palavras, mulheres na vida de Romney são relevantes enquanto e conquanto se relacionem a ele, o homem.

Vê-se essa atitude em manuais da Igreja SUD. Mulheres devem ser respeitadas porque são “algo” de algum homem, sejam mulheres, filhas, irmãs, etc. Por exemplo, lemos em um manual para rapazes adolescentes (ênfases nossas):

“Ressalte que a atitude de um rapaz em relação às moças reflete sua própria atitude em relação às mulheres em geral. A maneira de tratá-las mostra se ele as considera filhas de Deus e esposas e mães em potencial ou apenas algo para seu prazer e gratificação física. Um rapaz pode ver a si mesmo como portador do sacerdócio e filho de Deus, uma personalidade eterna e o futuro pai de uma família eterna, ou pode verse como uma criatura basicamente interessada em satisfazer seus apetites. Ele pode, é claro, situar-se em algum ponto entre essas duas posições, mas geralmente inclinarse-á mais para um dos lados.

Cada portador do Sacerdócio Aarônico deve entender que ele escolhe o tipo de moça com quem se casará, muito antes de escolher a pessoa específica. Ele sente-se atraído por um certo tipo de moça e provavelmente se casa com alguém daquele tipo. O rapaz deve ter em mente que é ela quem estabelecerá o espírito de seu lar, terá seus filhos e os ensinará.

Quanto mais um rapaz honrar as moças, tendo-as em alta estima e procurando o tipo mais espiritual, competente e bondoso, maiores são suas chances de casar-se com alguém assim.”

A importância de mulheres, para os jovens adolescentes, baseia-se em como elas se relacionam a ele, como namoradas e futuras esposas e futuras mães de seus filhos. Não se lê que mulheres são pessoas, e assim como eles mesmos, pessoas merecem respeito sempre. Não, mulheres merecem respeito porque são filhas de um homem, serão esposas de um homem, serão mães dos filhos de um homem.

Sendo assim, para o mórmon Mitt Romney, as declarações de Donald Trump são “degradações vis” que aviltam não todas pessoas decentes mas “nossas esposas e filhas”, ênfase no pronome possessivo “nossas”.


Leia também

Mitt Romney Representa Mórmons?

Machismo no Mormonismo?

Cultura de Estupro no Mormonismo?

15 comentários sobre “Ex-Candidato Demonstra Machismo Mórmon

  1. Que materia nada ver…pelo o que vi ele repudia a postura de trump e nao o apoia,acho que quem fez esta materia tem que estudar mais o assunti.

  2. Machismo Mormon:? Sério? que matéria mais pretensiosa! realmente alguns tipos de conduta ferem a imagem de mulheres!
    E todo mundo aqui tem pelo menos mãe, não que ela seja propriedade mas é parte da família, como filhas e esposas!
    nos dias de hoje achei muito coerente o comentário dele!
    Esse site sempre tenta deturpar o que as pessoas dizem!

    Acho que quem escreveu os artigos, é muito pretensioso! Não sei qual a fissura de tentar mostrar que a igreja esta errada em tudo, vocês nunca ressaltam o lado bom, é a mesma coisa que ao invés de eu falar das tuas qualidades, fique eternamente procurando defeitos!

    • Obrigado por seu comentário, Jefferson.

      Infelizmente, você está exibindo dificuldades para compreensão de textos. Na frase que nós citamos de Mitt Romney, ele está se referindo a mulheres em geral, óbvia e claramente utilizando o subtexto de mulheres como apêndices de homens, cujos valores enquanto pessoas dependente de suas relações com homens enquanto desempenham papéis coadjuvantes a eles (i.e., mãe, filha, esposa, etc.) e não como pessoas individuais, independentes, e de valor intrínseco absoluto sem qualquer atrelamento a suas relações com homens. Mulheres não precisam ser “parte da família” para serem relevantes e importantes. Uma mulher órfã (filha de ninguém) e solteira (esposa de ninguém) é tão importante ou relevante quanto qualquer pessoa. Sua relevância e sua importância vem do simples fato de ser uma pessoa.

      Apenas para deixar explícito a pobreza intelectual de sua comparação: Romney não estava falando literalmente de mães. O assunto não são mães, por exemplo, no contexto familiar. Ele não estava falando literalmente de filhas. O assunto não são filhas, por exemplo, no contexto familiar. Romney não estava falando literalmente de esposas, por exemplo, no contexto conjugal. Romney estava falando de mulheres em geral e as descreveu como mães, filhas, esposas, etc.

      É inteiramente possível que a sua argumentação sem mérito intelectual ou lógico seja mais uma manifestação de dissonância cognitiva do que de uma terminal incapacidade de interpretar textos, ou de uma aberta falha ética em honestidade intelectual. Sugerimos, portanto, que tire um tempo para familiarizar-se com técnicas para compreender e aceitar suas próprias dissonâncias [sugestões iniciais aqui]. Ademais, essa reação não é incomum entre machistas quando confrontado com evidência clara de seu próprio preconceito, especialmente em ilustrações de atitudes que lhe são comuns e lhe parecem normais. Ninguém gosta de deparar-se com seus próprios preconceitos e suas próprias falhas éticas e morais, e tal desconforto é quase uma universalidade humana. Contudo, ele é a única ferramenta cognitiva da qual dispomos para confrontá-los e superá-los, e sugerimos a você que não desperdice essa oportunidade.

  3. Independente de quem venha a ser o Presidente do Estados Unidos, uma coisa é certa, os EUA estão ferrados. Nenhum desses candidatos realmente estão aptos a exercerem a função de presidente dos EUA.

    Sobre o Mitt Romney, sem comentários, como qualquer mormon fanático sempre tem idéias que não promove harmonia entre culturas.

  4. Nada a ver mesmo essa matéria, a não ser a tentativa de nos enfiar goela abaixo uma visão distorcida da situação. Não há nada de machismo, bobagem, absurdo, ah, isso sim é fanatismo, ceticismo!

    • Obrigado por seu comentário, João.

      Infelizmente, você está exibindo dificuldades para compreensão de textos. Na frase que nós citamos de Mitt Romney, ele está se referindo a mulheres em geral, utilizando o subtexto de mulheres como apêndices de homens, cujos valores enquanto pessoas dependente de suas relações com homens enquanto desempenham papéis coadjuvantes a eles (i.e., mãe, filha, esposa, etc.) e não como pessoas individuais, independentes, e de valor intrínseco absoluto sem qualquer atrelamento a suas relações com homens.Mulheres não precisam ser “parte da família” para serem relevantes e importantes. Uma mulher órfã (filha de ninguém) e solteira (esposa de ninguém) é tão importante ou relevante quanto qualquer pessoa. Sua relevância e sua importância vem do simples fato de ser uma pessoa.

      É inteiramente possível que a sua argumentação sem mérito intelectual ou lógico seja mais uma manifestação de dissonância cognitiva do que de uma terminal incapacidade de interpretar textos, ou de uma aberta falha ética em honestidade intelectual. Sugerimos, portanto, que tire um tempo para familiarizar-se com técnicas para compreender e aceitar suas próprias dissonâncias [sugestões iniciais aqui]. Ademais, essa reação não é incomum entre machistas quando confrontado com evidência clara de seu próprio preconceito, especialmente em ilustrações de atitudes que lhe são comuns e lhe parecem normais. Ninguém gosta de deparar-se com seus próprios preconceitos e suas próprias falhas éticas e morais, e tal desconforto é quase uma universalidade humana. Contudo, ele é a única ferramenta cognitiva da qual dispomos para confrontá-los e superá-los, e sugerimos a você que não desperdice essa oportunidade.

  5. Nada a ver.

    Se for assim, coloque também a Michelle Obama, pois veja o que ela disse sobre o caso:

    “Usando uma linguagem tão obscena que muitos de nós ficamos preocupados que nossos filhos ouçam isso ao ligarmos a TV.”

    Agora, vamos distorcer a frase, assim como vocês fizeram, para chegar a uma conclusão desejada:

    Para Michelle, a linguagem obcena só causa preocupação pelo risco de ser ouvida pelos “seus” filhos. Não é horrível pelo fato de nenhum filho merece ouvir tal obcenidade, mas porque eles são “nossos filhos”. Em outras palavras, filhos na vida de Michelle são relevantes enquanto se relacionem a ela, a mulher.

    Estou farto dessas falácias hipócritas de feministas.

    Fonte.

    • Obrigado por seu comentário, Herbert.

      Infelizmente, você está exibindo dificuldades para compreensão de textos.

      Na frase que você citou acima, Michelle Obama está se referindo ao impacto em crianças do uso de linguajar vulgar sendo divulgado e popularizado por um líder político proeminente e potencial líder máximo do país. Ela está, literalmente, falando de crianças.

      Na frase que nós citamos de Mitt Romney, ele está se referindo a mulheres em geral, utilizando o subtexto de mulheres como apêndices de homens, cujos valores enquanto pessoas dependente de suas relações com homens enquanto desempenham papéis coadjuvantes a eles (i.e., mãe, filha, esposa, etc.) e não como pessoas individuais, independentes, e de valor intrínseco absoluto sem qualquer atrelamento a suas relações com homens.

      Apenas para deixar mais explícito a pobreza intelectual de sua comparação. Romney não estava falando literalmente de mães. O assunto não são mães, por exemplo, no contexto familiar. Ele não estava falando literalmente de filhas. O assunto não são filhas, por exemplo, no contexto familiar. Romney não estava falando literalmente de esposas, por exemplo, no contexto conjugal. Romney estava falando de mulheres em geral e as descreveu como mães, filhas, esposas, etc. Obama estava, como explicado acima, literalmente falando de crianças em geral, enquanto crianças, em seus papéis de crianças assistindo televisão e ouvindo tais linguajares vulgares.

      É inteiramente possível que a sua argumentação sem mérito intelectual ou lógico seja mais uma manifestação de dissonância cognitiva do que de uma terminal incapacidade de interpretar textos, ou de uma aberta falha ética em honestidade intelectual. Sugerimos, portanto, que tire um tempo para familiarizar-se com técnicas para compreender e aceitar suas próprias dissonâncias [sugestões iniciais aqui]. Ademais, essa reação não é incomum entre machistas quando confrontado com evidência clara de seu próprio preconceito, especialmente em ilustrações de atitudes que lhe são comuns e lhe parecem normais. Ninguém gosta de deparar-se com seus próprios preconceitos e suas próprias falhas éticas e morais, e tal desconforto é quase uma universalidade humana. Contudo, ele é a única ferramenta cognitiva da qual dispomos para confrontá-los e superá-los, e sugerimos a você que não desperdice essa oportunidade.

  6. Enfim conforme publicado no comunicado, não autorizei a utilização do meu nome!
    Peço a imediata retirada do mesmo, tendo em vista que é um direito e opção minha, se quiserem podem remover os comentários, mas não autorizo a publicação do meu nome! Deveriam ter perguntado antes, o fato de terem acesso ao meu email, nome, e etc. não os dá o direito de publicar dados pessoais (no caso meu nome e email sem meu consentimento prévio e por escrito)
    Grato.

    • Não seja mentiroso, por favor.

      Nunca divulgamos o seu email. Nós publicamos todos os seus comentários até hoje, sem quaisquer alterações, e não divulgamos o seu nome. Chamamo-o pelo nome, como é nosso direito, em uma resposta direcionada a você, porém foi você quem voluntariou a sua própria identidade ao queixar-se de ver o nome no nosso comentário.

      Como uma gentileza, e sob nenhuma obrigação, alteramos o comentário acima para excluir alusão ao seu nome. Seria interessante você devolver a gentileza reconhecendo o seu erro ao nos acusar falsamente de haver “censurado” o seu comentário (e a maneira desnecessariamente rude e estúpida como o fez), e de nos acusar falsamente de publicar seus “dados pessoais” (especificamente, seu email).

      Gratos.

      • Alguem Publicou meu nome e sobrenome! De fato sempre postaram meus comentários! Lá em cima depois que vi postaram meu nome, tudo bem, mas meu sobre nome eu não autorizei! Alias de onde tiraram ele? Se eu SEMPRE posto como curioso SUD? Se foi um erro meu por correria do trabalho peço desculpas, se não não autorizei! Não falei que publicaram meu email! Me referi ao meu email, porque através dele vocês tem acesso ao Facebook e outras coisas mais na internet, o que não me interessa compartilhar com outras pessoas. Alias ironicamente, meu nome esta la em cima! Sim mas foi um erro de minha parte, não ter visto a resposta ao meu comentário, o que aqui me desculpo publicamente! Maiores esclarecimentos estou a disposição.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s