Cultura do Estupro Mórmon

A Igreja Mórmon promove a “cultura do estupro”?

Certamente, ninguém questiona que o crime de estupro é amplamente condenado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Não obstante, a “cultura do estupro” vai muito além de meramente compactuar com esse crime violento em si.

Discutindo o problema da notificação e investigação de casos de estupro no Brasil, o médico e educador Drauzio Varella escreve (ênfase nossa):

Por meio da culpabilização da vítima, estimulamos que as mulheres estupradas se escondam e acabem protegendo seus algozes. Afinal, é comum elas ouvirem de policias e da própria família que estavam embriagadas, usavam roupas curtas e apertadas, que andavam sozinhas à noite ou não deixaram claro que não desejavam o ato sexual. A vítima, portanto, sente medo e vergonha de denunciar.

A sexualização da mulher como objeto é outro fator que estimula o alto número de casos. Desde crianças aprendemos que o corpo da mulher é um objeto que pode ser consumido como qualquer outro. O menino cresce acreditando nisso e, o pior, a menina também.

Mórmons são culpados da “sexualização da mulher como objeto”? E da culpabilização da vítima?

Recentemente, uma foto tirada do quadro negro de uma classe de Seminário SUD ilustra perfeita, e grostescamente, a popularidade da cultura do estupro na cultura Mórmon:

Seminário Slut Shamming Cultura de Estupro

O quadro mostra um poema que o professor do Seminário estaria ensinando seus alunos, incentivando sua memorização.

Você Tem Duas Mãos Grandes e Fortes
(Rapazes)

Espero que você não me tentará,
Pelas roupas que vestirá,
Me atiçando ou me provocando,
Pois não é justo.
Pois o que estiver me mostrando,
Acharei que posso passar a mão,
Então se não quiser que passe,
Não me mostre tanto, então.

Não apenas as moças são ensinadas que é responsabilidade delas o que os rapazes pensam ou imaginam sexualmente, mas também que o corpo delas não é inteiramente seu domínio e que legitimamente podem ser tocadas contra sua vontade se estão roupas que, bem, não sejam burcas.

Spencer W. Kimball, 12o Profeta-Presidente da Igreja SUD, explicou a questão com clareza em seu famoso livro ‘O Milagre do Perdão’, publicado por décadas pela Igreja SUD aqui no Brasil, onde afirmava que uma moça pode ser parcialmente culpada, e estar pecando, quando é estuprada, e até perder sua “virtude” e sua “castidade” ao ser violentada sexualmente.

Mais recentemente, o Apóstolo Dallin H. Oaks afirmou acreditar, em plena Conferência Geral, que mulheres são culpadas por se tornar peças vivas de “pornografia” para “tentar” os homens, apropriando-se da tática muito comum entre Mórmons de slut-shaming e atribuindo culpa às mulheres pelos pecados dos homens.

Vemos, também, com frequência membros da Igreja exibindo e defendendo essa atitude que coloca ônus e opróbio sobre mulheres, especialmente jovens, controlando suas vestimentas e escolhas de moda.

Será esse um fenômeno meramente norte-americano ou encontramos essa postura entre Mórmons brasileiros? Será essa uma atitude saudável com a qual criar e educar nossos filhos e filhas?


Leia mais sobre as opiniões de Spencer W. Kimball sobre Sexo Oral.

Leia mais sobre as opiniões de Spencer W. Kimball sobre missionários que se apaixonam.

Leia mais sobre as revelações de Spencer W. Kimball sobre Ameríndios (Lamanitas).

Leia mais sobre o impacto das crenças sobre Lamanitas na história Mórmon aqui.

15 comentários sobre “Cultura do Estupro Mórmon

  1. Creio que deve ser cultural e programado em nossas mentes desde que nascemos. De algum modo, como homem, lembro que já acreditava em algo assim, mas como adolescente crescendo na igreja essa minha crença só ficou mais visível e incentivada. Sim, parece ter alguma lógica, e talvez aí resida o perigo.

    Também entre amigas na igreja ou fora noto certa passividade com essa mantra, como se um criminoso não tivesse culpa por seus atos independente da situação do crime.

    Hoje trabalho não só para desconstruir isso em mim como também tenho ficado vigilante para não ser culpado de um outro tipo de ‘estupro mais velado’, que tem haver com o modo como tratamos nossas esposas no que tange a intimidade.

  2. Acho que ainda o grande problema da Igreja Sud é o Autoritarismo masculino que é vigente entre os membros.O Homem é o todo poderoso portador do Sacerdócio e isso incluí desejos,e autoridade sobre a mulher! Sendo assim “ela” ser culpada de provocar desejos e pensamentos pecaminosos nos homens!!!
    Precisamos evoluir bastante como Igreja, são muitos padrões, regras,leis as vezes me parece que quanto mais regras e doutrinas menos reais são os sentimentos das pessoas acaba sendo só custume e tradição.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.