Crise na Igreja SUD Influencia Novos Programas?

Ontem, o Apóstolo Dale Renlund discursou, junto com sua esposa Ruth, em uma devocional transmitida mundo afora para os jovens e jovens-adultos da Igreja SUD com o tema central de dúvidas intelectuais e fé.

O Apóstolo Dale Renlund e sua esposa Ruth discursam em devocional mundial em 13 de janeiro de 2019 dedicado a coibir dúvidas entre jovens SUD (Foto: YouTube)

O tema de dúvidas entre jovens e jovens-adultos na Igreja parece ser um problema muito importante no momento. Coincidentemente, um testemunho postado nas redes sociais na semana passada ilustra a preocupação nas alas SUD em Utah de que estão vivendo uma crise de fé ou de dúvidas entre seus jovens:

“Eu tenho freqüentado a igreja com minha esposa desde que retornamos a Utah no verão passado, quando ela me disse que não gostava de ir sozinha, e achei que era um sacrifício pequeno. Eu geralmente assistia à reunião sacramental e depois ia para casa, embora algumas vezes eu ficasse para a Escola Dominical.

Ontem, fiquei para a segunda hora, principalmente por curiosidade. A lição foi essencialmente uma introdução ao programa “Venha, siga-me”. Eles começaram com alguns videoclipes de Russel Nelson explicando os objetivos do programa da conferência de outubro passado e, depois de esboçar como iria funcionar, começaram a falar sobre as razões por trás das mudanças. Essa parte foi fascinante.

Quase todas as pessoas que comentaram falaram sobre quantas pessoas estão se afastando da igreja e como o novo programa obviamente tem a intenção de evitar que isso aconteça. As pessoas falavam de amigos e entes queridos que deixaram a igreja, e instaram uns aos outros a levarem mais a sério o estudo do evangelho em suas vidas diárias para que também não sofressem esse destino. Um homem, chorando, disse: “Uma guerra está chegando e vai ser ruim”. Uma mulher falou sobre como seus filhos estavam constantemente fazendo perguntas sobre problemas na história da igreja, como o método de tradução “pedra no chapéu”. Ela disse que, embora ela não tivesse pesquisado essas questões, se apenas nos concentrarmos no evangelho e não no passado, ficaremos bem. Outra mulher declarou que não se importava o que os líderes da igreja no passado tivessem feito ou dito, contanto que o Livro de Mórmon fosse verdadeiro.

A impressão que tive é de uma igreja sitiada por forças externas, mas também de uma instituição desmoronando por dentro. O medo e a ansiedade na sala eram palpáveis. Obviamente, não estou prevendo o colapso iminente da igreja, mas parece-me que se caiu a ficha, que o número de membros afetados pelo aumento do conhecimento da história e doutrina da igreja atingiu uma espécie de massa crítica. Não muito tempo atrás, era incomum que a maioria dos membros conhecesse um adulto participante ativo na igreja que saísse como uma escolha deliberada. Todos nós conhecíamos pessoas que tinham desaparecido de atividade, geralmente na adolescência, mas um portador do sacerdócio – quanto mais um líder – que se afastara teria sido um grande choque. Hoje em dia, a maioria dos membros da igreja tem amigos e familiares que se afastaram do que antes havia sido um compromisso pesado com a igreja.

Não sei se alguma dessas preocupações e questões desempenhou um papel no desenvolvimento desse novo programa da igreja. Dito isto, os membros da minha ala, pelo menos, acreditam que esta é uma tentativa de fortalecer a igreja contra ataques graves, erosão e decadência.”

Veja o post original aqui:

O discurso do Apóstolo Renlund parece confirmar as observações colocadas acima.

Assista o discurso em sua íntegra aqui:

Renlund relata o caso de um conhecido seu que teria exibido dúvidas intelectuais sobre a historicidade da Primeira Visão (porque descobrira que Joseph Smith foi mudando os detalhes de sua visão com o passar do tempo), as mentiras que a Igreja contou sobre abandonar poligamia (porque descobrira que profetas e apóstolos continuaram praticando poligamia após o Manifesto de 1890, conhecido hoje como Declaração Oficial 1), e o passado da segregação racial oficial (porque descobrira da proibição contra negros que durou mais de um século). De acordo com o Apóstolo, apesar de tais fatos históricos serem verídicos, eles podem ser “explicados” intelectualmente. Contudo, Renlund não os “explica” e limita-se a afirmar que tais “explicações” não são importantes, pois membros da Igreja devem simplesmente “querer acreditar” e, consequentemente, terão “fé” em tais “explicações”. O que, no frigir dos ovos, seria o mais importante.

Não obstante as protestações apostólicas, o fato objetivo e inquestionável é que Renlund, e portanto a liderança da Igreja, admite que há um problema de “dúvidas intelectuais” entre os jovens da Igreja com relação a questões históricas. Aparentemente, a resposta da Igreja não é discuti-las aberta e francamente, ou engajar com os fatos honestamente, mas simplesmente exigir que seus jovens “tenham fé”, e se não tiverem fé ainda, “queiram acreditar” e ignorar tais dúvidas.

Será que essa é uma estratégia frutífera a médio ou longo prazo? Quão diferente é essa estratégia do que já vinha sendo feito nas últimas décadas? Quão profunda será essa tendência geracional do mileniais e membros da geração Z de questionar e explorar intelectualmente suas tradições religiosas?

22 comentários sobre “Crise na Igreja SUD Influencia Novos Programas?

  1. a verdade nua e crua é que a igreja não pode aceitar que errou porque ela é em teoria guiada por Deus que não erra jamais. só que ela errou sim e continua errando até hoje e não há como reparar esses erros sem admitir que não há Deus algum no comando. o jeito é ela tentar tirar proveito enquanto pode porque a queda virá logo logo

    • Exato, essas constantes mudanças nos rituais e outras coisas é por causa da grande saída dos membros no mundo inteiro, eles estão doidos sem saber o que fazer, eu mesma resignei meu nome e conheço outros 100 que fizeram isso, imagine no resto do mundo.

    • Sempre acreditei da mesma maneira que você: a Igreja é verdadeira e não podem haver erros doutrinários. E se ocorrer devido a uma má escolha de algum líder do sacerdócio isto precisa ser esclarecido aos membros para que não hajam brechas para as dúvidas sobre o princípio de revelação aos profetas (Amós 3:5).

      Um exemplo que sempre me chama a atenção: a Igreja já assumiu no site oficial que Brigham Young errou ao negar o sacerdócio aos homens de outras raças, em especial aos negros, por motivos pessoais influenciado pela política, crença e história local de sua época, ou seja, para a maioria das religiões os negros eram amaldiçoados. No entanto, nunca houve um pedido de desculpas, mas sim encerrou-se a polêmica com uma revelação, restando uma escolha: aceitar e ficar ou não aceitar e sair. O que não entendo é por que foi necessário uma revelação para encerrar uma doutrina que não se iniciou com uma revelação, algo semelhante ao casamento plural, que houve uma revelação para iniciar e encerrar os casamentos?

      Sendo assim, por que Deus permitiu e a Igreja permaneceu com esta crença por tantos anos? Por que muitos profetas disseram que Deus não revelava nada sobre o assunto a eles, quando questionado e que somente com o Pres. Kimball é que tudo mudou?

      Ou seja, seria mais fácil assumir que Brigham mesmo como profeta errou e deu início a um dos episódios mais tristes e polêmicos na história da igreja e se desculpar, assim como a Igreja Católica já assumiu e pediu desculpas por vários erros históricos, do que dar margem a mais dúvidas como as que eu apresentei acima.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.