Orson Whitney: Mórmons Não Temem Verdade, Independente da Fonte

O Apóstolo Orson F. Whitney, então servindo como Bispo, ficou famoso por um discurso proferido para uma conferência de jovens em junho de 1888, e subsequentemente publicado no jornal oficial da Igreja SUD e distribuído em julho seguinte, no qual ele defende uma maior abertura entre mórmons para estudos acadêmicos e literários.

Orson Ferguson Whitney, Apóstolo da Igreja SUD (1906-1931)

Orson Ferguson Whitney, Apóstolo da Igreja SUD (1906-1931)

Por causa desse discurso, Whitney é conhecido como o “pai da literatura mórmon“.

Eis o trecho desse discurso no qual Whitney defende que mórmons não deveriam nunca temer verdade, independente de sua fonte ou origem, e o estudo acadêmico como uma missão religiosa para todos os mórmons: Continuar lendo

Russell Nelson: A Verdade Deve Ser Ignorada

Em discurso para o corpo docente e discente da universidade da Igreja SUD, o Apóstolo Russell Nelson explicou que a verdade, e fatos históricos, devem ser ignorados para se manter fiel à Igreja.

Apóstolo Russell Nelson, atualmente Presidente do Quórum dos Doze

Continuar lendo

Joseph Smith: Falta Inteligência a Membros

O Profeta Joseph Smith ensinou que uma determinada postura, indicando profunda falta de inteligência, lhe parecia comum entre os membros da Igreja em sua época.

Joseph Smith

É possível ver essa mesma postura entre membros da Igreja hoje? E, se for, ela representa o mesmo déficit intelectual que o Profeta insinuou há quase 2 séculos atrás? Continuar lendo

Orson Hyde: Pré-Adamitas

Para Apóstolo mórmon, Terra tinha habitantes antes de Adão e Eva

Na Conferência Geral de 06 de outubro de 1854, Orson Hyde, então presidente do Quórum dos Doze, discursou sobre casamento para os santos dos últimos dias. Além de pregar sobre a necessidade do casamento plural e sobre o matrimônio de Jesus, Orson Hyde também afirmou que o planeta já havia sido habitado antes da chegada de Adão e Eva.

Orson Hyde. Mormonismo.

Orson Hyde (1805–1878)

Continuar lendo

Joseph Smith: Rompa os Grilhões do Homem Negro

Durante sua campanha à presidência dos Estados Unidos em 1844, Joseph Smith propôs o fim da escravidão negra. Após experimentar a violência no estado escravocrata do Missouri e ser exposto, durante o período de Nauvoo,  a ideias abolicionistas, suas justificativas da escravidão, sob preceitos bíblicos, cederam lugar à defesa de que a escravidão negra deveria ser encerrada dentro de seis anos, mediante a indenização dos seus proprietários.

Leia abaixo os trechos de seu programa presidencial.

Joseph Smith. Mórmons.

Continuar lendo

George Q. Cannon: Abençoar Qualquer Criança

Livro de Mórmon. 3 Néfi 17:23.

“Olhem para suas crianças”, pintura de Minerva Teichert.

Em algumas mentes parece haver a ideia de que deveria existir uma forma diferente de bênção para crianças nascidas de não membros e para aquelas que são identificadas com a Igreja; e é a partir de tais fontes de que, no caso de crianças pertencentes a membros da Igreja “as bênçãos de Abraão, Isaque e Jacó” e todos os favores relacionados são frequentemente conferidos à criança. Isso é completamente errado. Se tomarmos o exemplo de nosso Senhor e Redentor, que é nosso modelo e cujo exemplo não é possível seguir em excesso, encontramos que Ele abençoava todos que eram levados a Ele. Não encontramos nenhum indício de que Ele perguntasse de quem eram as crianças ou sobre a posição ou fé dos seus pais. Sua afirmação era “Deixai os pequeninos e não os estorveis de vir a mim, porque dos tais é o Reino dos céus”; e Ele colocava Suas mãos sobre elas e as abençoava. Todas as crianças pequenas, não importa qual seja sua filiação, são inocentes aos olhos do céu, e devem ser recebidas como tais e abençoadas como tais.

George Q. Cannon (editor),  Juvenile Instructor 34 (01 de março de 1899): p. 138.

Ordenanças do templo – parte 6

Círculos de oração, vestimentas e altares

Joseph Smith (1805-1844)

Joseph Smith (1805-1844)

Iniciadas por Joseph Smith em maio de 1842, as cerimônias da investidura continham, como parte da “comunicação das chaves pertencentes ao Sacerdócio“, instruções  sobre uma forma ritual de oração,  chamada de “verdadeira ordem de oração”.  Quando realizada em grupo,  era muita vezes chamada de “círculo de oração”.

“Não sabíamos como orar”

A verdadeira ordem de oração incluía gestos e palavras sagradas.  Segundo o relato do então secretário do Profeta, William Clayton, pelo menos uma das palavras teria sido vista em uma de suas pedras de vidente:

ele [Joseph Smith] a respeito das palavras-chave.  A g. [grande] palavra-chave foi a primeira palavra que Adão falou é uma palavra de súplica.  Ele encontrou a palavra pelo Urim e Tumim. [1]

Há duas fontes históricas contemporâneas que podem ter influenciado Joseph Smith na busca da verdadeira ordem de oração: o protestantismo e a maçonaria.

Reunião durante o

Reunião durante o “Segundo Grande Despertar”.

Em algumas expressões do revivalismo protestante, participantes das reuniões ao ar livre muitas vezes formavam um círculo parar orar. Como escreveu um observador:

quando o convite era feito, havia uma corrida geral, o grande anel de oração era preenchido e por pelo menos duas horas oração ardente subia ao céu. [2]  

As reuniões campais e a diversidade de doutrinas e práticas religiosas dos diversos grupos influenciaram o adolescente Joseph Smith na inquietação espiritual que o levou à Primeira Visão, entre seus 14 e 16 anos. Continuar lendo

Brigham Young: do Pó de Outra Terra

O Presidente Brigham Young fez os seguintes comentários sobre a criação de Adão no histórico Tabernáculo, em abril de 1856:

BY“Ainda que tenhamos na história que nosso pai Adão foi feito do pó desta terra, e que ele nada sabia sobre seu Deus antes de ser feito aqui, não é assim; e quando aprendermos a verdade, veremos e compreenderemos que ele ajudou a fazer este mundo, e foi o administrador principal naquela operação. Ele foi a pessoa que trouxe os animais e as sementes de outros planetas para este mundo, e trouxe uma esposa consigo e permaneceu aqui. Vocês podem ler e acreditar como quiserem no que se encontra escrito na Bíblia. Adão foi feito do pó de uma terra, mas não do pó desta terra. Ele foi feito como vocês e eu somos feitos, e nenhuma pessoa foi jamais feita sob qualquer outro princípio.” — Brigham Young (Journal of Discourses 3:319)

 


 

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou a respeito de Adão

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou sobre quem fora Adão

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou sobre progresso eterno

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou Apóstolos errando em doutrinas

 

Heber C. Kimball: esta terra

Heber Chase KimballQuando escaparmos desta terra, supomos que iremos ao céu? Vocês supõem que irão à terra de onde veio Adão, de onde veio Elohim, de onde veio Jeová? Não. Quando aprenderem a se tornar obedientes ao Pai que habita nesta terra, ao Pai e Deus desta terra, e obedientes aos mensageiros que Ele envia – quando tiverem feito tudo isso, lembrem-se de que não deixarão esta terra. Nunca a deixarão até que se tornem qualificados, e capazes, e capacitados para se tornarem vocês próprios um pai de uma terra.

Heber C. Kimball (Journal of Discourses 1:356)

Minha religião me aproxima de Deus?

Calma, não seja apressado(a) em dar a resposta. Vamos antes entender juntos o contexto do que quero dizer com ‘aproximar de Deus’, depois vamos à nossa própria consciência e buscar a resposta.

Detalhe de A criação de Adão, de Michelangelo (aprox. 1512).

Detalhe de A criação de Adão, de Michelangelo (aprox. 1512).

Essa pergunta me ocorre já há algum tempo, e quase sempre tem relação com a atitude de algum ‘santo dos últimos dias’ (entre os quais mais convivo) ou algum membro de alguma outra denominação (cristã ou não).

O contexto para a pergunta quase sempre se dá em ocasiões onde percebo casos de intolerância, mesquinhez, insensibilidade aos problemas alheios, egoísmo e coisas do tipo, sem contar os casos de artimanhas sacerdotais e ‘domínio injusto’. Tudo isso, pasmem, em defesa do ‘nome do bom deus’ e ‘sua vontade’. Pelo menos é o que dizem ou mentem a si mesmos. Continuar lendo

Hugh B. Brown: Sobre a liberdade de pensamento

huge_b_brownA Conferência Geral da Igreja que começa amanhã é útil para os mórmons em várias maneiras. Os discursos fazem a base de lições durante as seis meses seguintes em que membros debatem o significado desses discursos. E nós selecionamos citações que sintetizam a forma como vemos o evangelho a partir desses discursos.

Embora vejo problemas com o uso de citações, eu quero lançar uma nova série de artigos aqui na Vozes Mórmons—citações que acho importantes e uteis, segundo o meu entender.

Continuar lendo

Disseminar conhecimento

Que pensam desta citação?

cannonA natureza do reino ao qual estamos associados é disseminar conhecimento através de todas as fileiras do povo, e fazer de cada homem um profeta e cada mulher uma profetisa, para que possam compreender os planos e propósitos de Deus. (George Q. Cannon, Journal of Discourses 12:46)

Mortalidades: Mórmons e Reencarnação

Mórmons acreditam em reencarnação? A esmagadora maioria provavelmente não. E tal crença nunca foi considerada como uma doutrina característica do mormonismo. Mas um olhar histórico sobre o passado nos revela que muitos mórmons já partilharam da crença em múltiplas provações mortais.

A ideia de que o ser humano passa por mais de uma vida mortal parece existir nas mais diversas tradições religiosas ao redor do mundo. É interessante notar que mesmo em religiões que majoritariamente creem em uma única vida mortal, há aqueles que acreditam em reencarnação, como é o caso de algumas escolas cabalistas dentro do judaísmo.¹ Ainda que tenha sido sempre uma posição minoritária entre as autoridades gerais e nunca tenha chegado a fazer parte da doutrina de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o conceito de que há múltiplos nascimentos e mortes para o mesmo indivíduo já foi defendido por proeminentes líderes mórmons. Neste breve artigo, nos concentraremos em apenas dois nomes – os apóstolos Orson F. Whitney e Heber C. Kimball.  Continuar lendo

Aproximarmo-nos de Cristo através da Conferência Geral

Imagem

“Decidam agora fazer da conferência geral uma prioridade em sua vida. Decidam ouvir com atenção e seguir os ensinamentos transmitidos. Ouçam ou leiam os discursos mais de uma vez para entenderem e seguirem melhor os conselhos dados. Assim fazendo, as portas do inferno nao prevalecerão contra vocês, os poderes das trevas serão afastados e os ceus estremecerão para o seu bem.” (Paul V. Johnson, “As bênçãos da Conferência Geral”, A Liahona, Novembro de 2005, pág 50)

“Não podeis dizer que vos submeteis à lei de Deus enquanto rejeitais a palavra e o conselho de seus servos.” (John Taylor – Journal of Discourses, vol. 7, p. 325)

Ao assistir a 1º e 2º Sessão de Sábado e fechando com chave de ouro com a Sessão do Sacerdócio, senti-me muito renovado e comovido com as mensagens de riquíssima instrução e intenso incentivo, tal como noutras Conferências Gerais, o que no foi diferente nas sessões de Domingo. Sai de cada sessão sentido-me melhor comigo mesmo e com meu Deus, bem como muito mais decidido e comprometido em melhorar em minha vida em todos os aspectos! Indubitavelmente, aqueles que falaram nesta Conferência Geral “(…) buscaram ajuda e orientação dos céus ao prepararem seu discurso. Eles foram inspirados quanto ao que vão compartilhar conosco.” (Presidente Thomas S. Monson, A Liahona, Nov/2009) Continuar lendo