9 Gráficos Para Entender o Crescimento Mórmon no Brasil

Estes gráficos ajudam a visualizar os dados demográficos sobre o mormonismo no Brasil. Baseados nos dados do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010 e publicado em 2012, eles mostram dados concretos sobre o crescimento d’A Igreja de Jesus Cristo dos Últimos Dias no país.

O que mais chama a sua atenção nesses gráficos? Que perguntas lhe surgem?

 

1. Sul e Sudeste concentram maior parte da população mórmon

ibge mórmons regiões brasileiras estatísticasO Sudeste é a região com maior concentração de santos dos últimos dias (41%). Juntos, Sudeste e Sul são lar para 67% dos mórmons brasileiros. O Nordeste é a terceira região com maior número de membros SUD (18%). As menores concentrações estão nas regiões Norte (8%) e Centro-Oeste (6%). Continuar lendo

Perdendo Membros? Como Resgatá-los?

A Igreja Mórmon está perdendo membros. Muitos membros. Milhares de membros.

Isso é um fato incontestável. Análises estatísticas, avaliando tanto o Brasil, como a Igreja global, demonstram clara e inequivocadamente que a taxa de crescimento da Igreja vem se mantendo, em média, nas mesmas proporções que a respectiva taxa de crescimento populacional. O que significa que a Igreja SUD cresce ao mesmo ritmo em que nascem bebês.

Tempos difíceis para a Igreja Mórmon?

Tempos difíceis para a Igreja Mórmon?

Contudo, essa não é o único dado estatístico relevante. A Igreja SUD faz um investimento ímpar em esforços missionários e em proselitismo para conquistar e recrutar novos membros, e não apenas manter os filhos e os netos dos membros já existentes. O fato da Igreja investir tamanho intenso investimento e ainda assim apresentar um crescimento relativo nulo só pode significar que a taxa de retenção é muito baixa, ou a taxa de evasão é muito alta.

Todo membro ativo, que já serviu ou serve como mestre familiar ou professora visitante, sabe disso em sua experiência pessoal. Quantas centenas de membros da Igreja encontram-se nos registros oficiais de sua ala ou ramo mas nunca frequentam a capela? Ou sequer conhecem os membros que frequentam? Ou sequer moram nos endereços anotados nas fichas oficiais?

No Brasil, essa taxa de evasão gira em torno de 75%! Nos Estados Unidos, país sede do mormonismo, em torno de 60%! Portanto, vê-se esforços intensos (e até milionários) por parte da liderança da Igreja para reverter essa sangria de fiéis.

A Igreja SUD, aparentemente, tem uma nova tática nos esforços para reverter essa abismal taxa de evasão: Continuar lendo

É a Igreja um mal necessário?

Church-pewsNão sou e nem me sinto um especialista na área de humanas e comportamento, embora minha vivência como mórmon praticante tenha me dado aval para ter experiências que refinaram minha capacidade de observação sobre mim e as pessoas que me cercam – em especial as pessoas de nossa própria fé.

Minha busca por descobrir quem realmente sou e o quanto desse ‘ser’ tem haver comigo e o quanto foi imposto pelo meio (ideias e comportamentos) tem sido meu desafio já desde algum tempo. Nesse processo minha empatia emocional e espiritual tem crescido, e posso hoje sentir isso. Assim, prefacio meu primeiro post nessa comunidade. Sem contanto desejar dar a impressão de que tenho eu algum desejo ‘oculto nas entrelinhas’ diferente do que tentarei aqui escrever no decorrer dessa aventura de postar opiniões e ouvir as dos demais. Na realidade, sinto-me como Néfi, que sabia ser muito bom no sentido oral da palavra (no meu caso, penso melhor do que falo ou escrevo), mas sentia o peso de sua inabilidade em escrever. O título? Sim, tem o propósito de chamar a atenção mesmo. Mas não se atenha apenas a ele.

Permitam-me iniciar por uma parábola, dessas que se ouvem, mas nunca se sabe de onde saiu… Eu ouvi isso há muito tempo… Continuar lendo

Programa da IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons

IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons
Conferência Anual da ABEM
(Associação Brasileira de Estudos Mórmons)
Tema: “A Relação entre Sede e Periferia na Igreja SUD”
19 de janeiro de 2013
São Paulo, SP

Programa

08:00 – 08:30 – Cadastramento e Café de manhã
08:30 – 08:35 – Abertura & Oração
08:35 – 08:50 – Mensagem de boas-vindas

09:00 – 10:20 Sessão A – “A entrevista oral nos estudos mórmons no Brasil: um guia prático” – Kent Larsen

10:20 – 10:40 – Intervalo 1 & Exposição

10:40 – 12:00 – Sessão B – Mesa-redonda: Por que a retenção nos EUA é maior que no Brasil?

————————————————–
12:00 – 13:00 Almoço
————————————————–

13:00 – 14:20 Sessão C – “A jornada de Andrew Jenson pela América Latina em 1923
Reid Neilson (Departamento de História da Igreja, EUA)

14:20 – 14:40 – Intervalo 2

14:40 – 16:00 – Sessão D – “Colonialismo Político-Religioso: O Impacto Sobre Mórmons Brasileiros da Cruzada Política Contra Gays nos Estados Unidos” – Marcello Jun de Oliveira

16:00 – 16:30 Coffee Break

17:50 – 18:50 – Sessão Sessão E – “Uma história cultural do Livro de Mórmon” – Daymon Smith

18:50 – 19:00 – Encerramento & Oração

Local: A IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons acontecerá na Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 345 (sobreloja), em São Paulo, SP.

Prepare-se para a IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons

Você já se agendou para a IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons? Ela acontece no dia 19 de janeiro de 2013, em São Paulo.

O tema da Conferência de 2013 será “A Relação entre Sede e Periferia na Igreja SUD”.

A Conferência é gratuita e aberta a todos os interessados. Continuar lendo

Como voltar à igreja?

Voltar a frequentar a Igreja, após um período de “férias” pode ser algo bastante difícil para muitos indivíduos, basicamente pelos motivos motivos que levam as pessoas a deixarem o convívio da Igreja. O olhar dos outros, a avalanche de responsabilidades e outras formas de pressão social pouco ajudam nesse processo de reintegração. Mas como superá-las?

Caso o indivíduo sinta vontade de voltar a frequentar a Igreja, como ele pode se prevenir dessas pressões? Ou passar por elas sem se machucar? Como fazer desse retorno uma experiência prazerosa e de fato espiritual?

Mãe e solteira

Imagem: Wikimedia.

Imagem: Wikimedia.

Quais os problemas enfrentados por mães divorciadas ou solteiras dentro da Igreja sud? Há preconceito contra essas mulheres? O que pode ser feito para que sejam melhor recebidas e tenham plena cidadania na Igreja?

Numa instituição que valoriza a família tradicional e que percebe o casamento e a paternidade e maternidade como passos para a deificação, sabemos que podem surgir certos “efeitos colaterais”: Continuar lendo

Apostasia pessoal

Apostasia é um conceito frequentemente empregado por santos dos últimos dias para se referir, (1) num sentido histórico, à transformação do cristianismo original e sua perda de autoridade divina e, (2) num sentido individual, a uma forma de decadência espiritual ou desobediência a princípios divinos. Continuar lendo

Por Que As Pessoas Se Afastam Da Igreja?

Por Que Se Afastam?

Por que as pessoas se afastam da Igreja SUD?

Essa é uma pergunta importante. Tão importante, que um post explorando o assunto de quase um ano atrás continua gerando comentários, discussão, e debate até hoje. Ontem, o site Why Mormons Questionpublicou os resultados de uma pesquisa realizada com mais de 3 mil pessoas sobre a questão “por que as pessoas perdem a fé”.

Surpreendentemente, a pesquisa demonstrou claramente que “perder a fé” não é a mesma coisa que “se afastar”! Continuar lendo

Quem são nossos samaritanos?

Hoje, na Escola Dominical, uma das parábolas abordadas foi a do samaritano socorrendo o judeu à beira da morte, em Lucas 10. A radicalidade do ensinamento de Cristo ao colocar o samaritano como próximo do judeu só pode ser entendida a partir da exclusão mútua entre os dois povos. Falando como judeu a uma audiência judaica, Cristo escolhe como exemplo de misericórdia um indivíduo Continuar lendo

O que faz as pessoas se afastarem da Igreja?

Discutindo o assunto da baixa taxa de retenção de membro na Igreja SUD no Brasil, recebi os seguintes comentários de um amigo.

Comentários, não. Desabafo!

Eu gostaria de compartilhar publicamente essa carta que, ao meu ver, expressa bem algumas frustrações comuns entre SUDs no Brasil. Além disso, é honesta, bem humorada, positiva, e excelente início para uma discussão franca. Continuar lendo