“Dentro do império mórmon”

Esta é a América capitalista, não?
Sheri Dew, CEO da Deseret Book
As finanças da Igreja sud mais uma vez têm sido objeto de discussão na mídia, especialmente desde a candidatura de Mitt Romney e a construção de um super shopping em Salt Lake. Na semana passada, a revista Bloomberg Businessweek, especializada em economia e negócios, publicou uma reportagem de capa sobre o assunto. A revista destaca principalmente a alta lucratividade de algumas empresas mantidas pela Igreja e a falta de transparência de suas finanças. Assinada por Caroline Winter, “Dentro do império mórmon” não é sensacionalista, apresentando opiniões diversas e dados concretos (ver lista abaixo). Ou seja, bom jornalismo.

Não julgue uma revista pela capa A capa da versão impressa, infelizmente, fugiu dos padrões de qualidade expressos na reportagem. Numa paródia do trabalho de C.C.A. Christensen, João Batista (que provavelmente vai ser identificado como Jesus Cristo pelos leitores não familiarizados com a história mórmon) aparece impondo as mãos sobre Joseph Smith e Oliver Cowdery, dizendo “…E construirás um shopping, terás ações do Burguer King e abrirás um parque temático polinésio no Havaí que será grandemente isento das frustrações de impostos…”. A isso, Joseph Smith responde: “Aleluia”.

Tratar de crenças sagradas de uma religião com senso de humor requer muita intimidade com ela e alguns freios. Os criadores do South Park parecem ter feito isso com muito bom gosto. A capa da Businessweek, porém, não teve nenhum desses elementos ao parodiar um evento fundador da religião dos santos dos últimos dias em termos totalmente alheios, imputando a Joseph Smith as atuais políticas financeiras da Igreja. De fato, nesse ponto específico, a reportagem poderia ter sido mais clara sobre as diferentes visões econômicas ao longo da história mórmon.

Tendo entrevistado D. Michael Quinn e Leonard Arrington sobre o assunto, só posso imaginar que a revista quis economizar espaço sobre tal questão. Não há, por ex., a menção da Ordem Unida, tema essencial para entender a visão mórmon sobre a relação entre economia e espiritualidade e que marcaria um claro contraste entre o comunalismo ou coletivismo pioneiro mórmon e o capitalismo atual. Apesar de qualquer limitação ou problema, a reportagem traz muitas informações interessantes. Destaco abaixo alguns pontos.

Mundo dos negócios

* De acordo com os estudos de D. Michael Quinn, as finanças da Igreja são tão compartimentadas que provavelmente não há uma única pessoa, nem mesmo o presidente da Igreja, que saiba tudo a respeito do dinheiro possuído e movimentado pela instituição.

* Como outras organizações religiosas nos EUA, a Igreja sud tem isenções de impostos em relação ao seu patrimônio imobiliário, assim como doações. Isso também inclui títulos financeiros doados. Mitt Romney e outros associados na sua empresa Bain Capital doaram milhões de dólares em ações, entre 1997 e 2009, incluindo US$ 1 milhão da Domino’s Pizza e US$ 2 milhões do Burger King.

* Organizações sem fins lucrativos mantidas pela Igreja às vezes parecem ser lucrativas, afirma a revista. O Centro Cultural Polinésio, no Havaí, por ex., recolheu em 2010 US$ 23 milhões em vendas de ingresso e US$ 36 milhões em doações livres de impostos. As isenções do complexo cultural são federais, uma vez que localmente tribunais do Havaí consideram-no uma empresa comercial.

* O Havaí também é sede da Hawaii Reserves, empresa com fins lucrativos, que possui terras, edifícios comerciais e residenciais e dois cemitérios.

* A maior empresa comercial de propriedade da Igreja é a Deseret Management Corp. (DMC), que possui diversas subsidiárias. A DMC tem entre 2 a 3 mil funcionários e patrimônio anual estimado em US$ 1.2 bilhões. Apesar dos fins lucrativos, ela também conta com cerca de 1.400 voluntários, em grande parte aposentados.

* A DMC é presidida por Keith McMullin, 70 anos, que até a última Conferência Geral era o segundo conselheiro no Bispado Presidente. Ao ser desobrigado, McMullin foi convidado pelo presidente Monson a trabalhar na DMC.

* Ao todo, há 10 diretores na DMC: os três membros da Primeira Presidência, os três do Bispado Presidente, outros três apóstolos seniores e  McMullin.

* Empresas comerciais pagam 10% dos seus rendimentos à Igreja, como dízimo. Mas, de acordo com McMullin, ocorrem situações em que o caminho contrário é necessário. “De tempos a tempos, se há uma necessidade particular, haveria alguns fundos disponíveis, mas felizmente ao longo dos anos, não foi o caso com muita frequência,” diz McMullin. “Se você tem um imprevisto em particular em uma empresa, precisa ter algum fluxo de caixa adicional até sair de um momento difícil. Vou te dar um exemplo: estamos passando por um agora mesmo; chama-se recessão “.

* Sobre o City Creek Center, um super shopping que custou mais de US$ 1,5 bilhão, o presidente da DMC diz que a Igreja não tem o propósito de obter lucro: “Haverá um retorno? (…) Sim, mas tão modesto que nunca se teria feito tal investimento – o verdadeiro retorno vem das pessoas voltando ao centro [de Salt Lake] e da revitalização das empresas.” Pausando brevemente, acrescenta com ênfase, “é para promover o objetivo da igreja para fazer (…)  os homens maus bons, e os homens bons melhores. ”

* A Igreja também possui um fundo de investimento chamado Ensign Peak Advisors, “que emprega gerentes especializados em ações internacionais, gestão de tesouraria, renda fixa, investimento quantitativo e  mercados emergentes”. Essa parece ser a empresa mais lucrativa e menos pública de todas. De acordo com um de seus vice-presidentes, “bilhões de dólares mudam de mãos todos os dias”.

* Empresas voltadas ao agronegócio incluem a Sooner Cattle Co., sediada em Oklahoma e com vendas anuais estimadas em US$ 760 mil; Agrinorthwest, com 161 subsidiárias e vendas estimadas em US$ 68 milhões anuais, sediada no estado de Washington; Deseret Land and Livestock, que atua em Utah e Wyoming, possuindo cerca de 8500 cabeças de gado; AgReserves, com fazendas no Canadá, Austrália, Grã-Bretanha e América Latina.

* No ramo de seguros, a Igreja possui a Beneficial Life Insurance Company, que obteve a renda líquida de US$ 17 milhões em 2010 e ativos avaliados em US$ 3.3 bilhões.

Reações

Como é comum no meio sud, a reportagem da Bloomberg Businessweek gerou algumas reações militantes de membros da Igreja denunciando supostas distorções da reportagem ou mesmo perseguição à Igreja, como pode ser lido em alguns comentários no site da revista. A Igreja também publicou um comunicado sobre sua independência financeira.

Por outro lado, membros da Igreja a favor de maior transparência financeira aproveitaram também o momento para iniciar uma petição online para que a Igreja sud retome a prática existente até 1959 de relatórios financeiros anuais com divulgação de números concretos. A petição foi iniciada por Ron Madson, um advogado de 57 anos de Alpine, Utah, citado pela reportagem: “O dinheiro pode estar sendo administrado perfeitamente, pelo que sabemos. Mas nós não sabemos”.

Hoje, 24 de julho, marca a entrada de Brigham Young e o primeiro grupo de pioneiros no que hoje é o estado de Utah. Fugindo dos EUA e avessos ao mercado, eles acreditavam na construção de Sião. Fora da Babilônia, não dentro dela. O que será que eles diriam do ímpeto comercial da moderna Igreja sud? E você, o que pensa disso tudo? Será possível uma maior transparência nas finanças da Igreja e mesmo o retorno de relatórios financeiros concretos, divulgados na Conferência Geral?

 

102 comentários sobre ““Dentro do império mórmon”

  1. Eu não vejo mal algum no fato de a Igreja ter empresas com fins lucrativos, se isso for garantir a independência financeira dela. Mas eu confesso que um pouco de transparência não faz mal. Onde está essa petição? Dá pra colocar assinatura? =P

    • Concordo, Paulo. Acho que a questão da transparência envolve justamente (1) a definição clara e honesta do que é sem fins lucrativos e o que é com fins lucrativos e (2) clareza no que é feito com o lucro das empresas comerciais. Muitos membros imaginam que um investimento bilionário como o City Creek Center vai gerar lucros que por sua vez serão investidos na construção de templos ou ajuda humanitária. Mas não é isso que declara o presidente da DMC na reportagem.

      Nunca é demais lembrar que qualquer dinheiro que tenha dado início a uma empresa comercial veio em algum momento de dinheiro ou bens doados ou consagrados como dízimo e outras doações. O link para petição está no antepenúltimo parágrafo acima ou aqui: http://bycommonconsent.org/

    • Vamos deixar de ser ingênuos. Sabe aquela escritura de confiar no braço da carne. É óbvio que existem falcatruas nisso tudo. Se não! por que deixar de fazer os relatórios anuais e dar transparência aos membros da Igreja de suas finanças?

      • Vamos deixar de ser ingênuos mesmo. Fui examinador do Prêmio Nacional da Qualidade por dois anos, e afirmo com segurança que com exceção das empresas que participam do prêmio e de algumas que publicam sua movimentação em revistas especializadas, poucas empresas são transparentes com suas finanças. Outro detalhe importante, a receita federal e mesmo um órgão da União monitoram o tempo todo o movimento de organizações sem fins lucrativos. O que impossibilita falcatruas. O Antônio me orienta muito a respeito de determinadas reações, mas as vezes é difícil entender porque as pessoas escrevem aqui sem conhecimento algum de causa.

      • Quando farão petição as outras religiões tipo católicos ? Seria muito bom pois há séculos e séculos possuem riquezas ocusas ….Fica a dica…

  2. Com certeza, transparencia é fundamental até para que possamos incrementar isso em nossa vida social.Marido que não revela os gastos para Familia…isso deve ser parte de uma cultura saudável até para os governos a igreja deve liderar pelo exemplo.Eu entendo que são números complexos de serem conseguidos.Mas poderia se pelo menos torna-los um mínimo acessiveis se quiser nem necessita publicar na Liahona.Só deixar em algum site, já está otimo.

    • Quem sabe, Otavio, a Igreja poderia começar num ano apresentando percentuais para o uso do dízimo (x% para manutenção de prédios, x% para salários de funcionários, x% para impressão de materiais, etc) e no ano seguinte apresentar valores para cada item? 🙂

  3. Também concordo com vocês, é necessário um pouco mais de transparência, porém, deixo os seguintes questionamentos para quem puder responder:

    Existe algum motivo específico que levou a Igreja a deixar de publicar relatórios mais detalhados sobre suas finanças?
    Será que essa transparência pode ser, de algum modo, prejudicial à igreja?
    Partindo do pressuposto que a igreja obedece à toda legislação do país onde exerce suas atividades, que motivo levaria a igreja a divulgar suas informações financeiras além do exigido pela lei?

    Forte abraço colegas.

    • Victor, não posso oferecer respostas conclusivas, mas aqui vão algumas ideias.

      “Existe algum motivo específico que levou a Igreja a deixar de publicar relatórios mais detalhados sobre suas finanças?” Não que tenha sido documentada e esteja em conhecimento público. Mas, de acordo com estudiosos, o período dessa mudança coincide com o início de investimentos de fundos do dízimo no mercado de ações.

      “Será que essa transparência pode ser, de algum modo, prejudicial à igreja?” Provavelmente, deve haver entre as autoridades gerais essa impressão. Mas seria de fato? Com honestidade e separação completa entre o dízimo e demais doações dos membros e do capital das empresas comerciais provavelmente não haveria nada constrangedor ou comprometedor.

      “Partindo do pressuposto que a igreja obedece à toda legislação do país onde exerce suas atividades, que motivo levaria a igreja a divulgar suas informações financeiras além do exigido pela lei?” A necessidade de transparência vai além de questões legais e é antes de mais nada, pelo que entendo, uma questão interna da própria Igreja. Assim, um dos motivos seria, em primeiro lugar, cumprir com as diretrizes estabelecidas por revelação de que todas as coisas devem ser feitas na Igreja pelo comum acordo, inclusive o uso das contribuições financeiras (D&C 104:71).

      Abraços!

      • Cara um outro dia um membro ficou muito bravo comigo porque eu compartilhei aquela publicação sobre a igreja entrar no mercado imobiliário, segundo ele eu deveria especificar que o dinheiro não era do dizimo mas sim de outras fontes, eu falei que nao o fizera porque em nenhum lugar especificava de onde o dinheiro vinha, achei interessando vc ter falado do investimento do igreja com dinheiro do dizimo no mercado de ações, você tem fontes sobre isso?

  4. Sou um profundo conhecedor sobre como a igreja primitiva na época de Paulo usava os recursos obtidos (Sejam eles quais forem: Dizimos, ofertas, doações voluntárias etc) pelos santos fiéis. Com certeza absoluta, estes fundos eram revertidos única e exclusivamente para manutenção das víuvas acima de 60 anos de idade sem decendência ou com filhos falecidos, para escravos que convertiam-se a Cristo e necessitavam de ajuda temporal, para membros com necessidades temporal (momentâneas) como: alimento, roupa etc, e, para o acolhimento dos mendigos que ficavam jogados nas ruas, lavá-los por fora e por dentro , convertê-los a Cristo ( serem conhecidos como : os caridosos).
    Pergunto:
    O que Paulo o apostolo faria, caso ele estivesse vivendo em nossa época com a igreja próspera e com tantas empresas, terras, fazendas produtivas, ações etc, será que ele relataria o que está sendo feito com os recursos (gordos) obtidos pelas mesmas? Será que ele continuaria a canalizar estes recursos para as viúvas, escravos (membros que necessitam de uma ajuda financeirra de uma bolsa de estudo integral para qualificarem-se intelectualmente e profissionalmente e tornarem-se autosuficientes), para membros que estão urgentemente necessitando de remédio, comida e roupa sem precisar usar a tal guia ANR ou este membro ter que vender o que tem em casa, chamar amigos, familiareres para tentar sanar seus problemas e só então depois disto recorrer à Igreja? E pior ainda! Será que ele instruiria aos bispos (que já não possui nem talões de cheques) para socorrer algum membro necessitando de ajuda do fundo de jejum? Ou ele continuaria a investir mais e mais empresas, fazendas, ações e tornar a Igreja (Corporação) mais rica do que já é, e, enquanto isto, tentando salvar os membros no domingo, e, durante a semana, ficar assistindo o mundo cruel, competitivo, ganancioso e egoísta crucificá-los.

    • Perguntas oportunas, Anderson. Não sei se temos um quadro muito bem definido sobre as finanças da igreja cristã primitiva, mas o que você propõe certamente parece uma possibilidade bem plausível, pelo que conhecemos das escrituras. Se analisarmos as revelações modernas em D&C também veremos um quadro mais parecido com esse descrito, onde a unidade entre os santos é buscada também em termos materiais.

    • Tá na cara que todo esse recurso vai pros bolsos de uns poucos “escolhidos” pelo Senhor. Enquanto isso os membros fazem limpeza pra igreja tão pobrezinha.

  5. Queridos amigos, esse é o meu maior problema com “A Corporação”. A igreja atualmente doa apenas 1, (sim, disse um) por cento de sua receita para fins humanitários, enquanto outras igrejas aqui nos Estados Unidos doam entre 20 e 30 por cento. Em cima disso, ninguém, e eu quero dizer, ninguém aqui sabe como a igreja aplica os aproximados 8 bilhões de dólares que recolhe a cada ano. No livro, The Book of Mammon: Um livro sobre a empresa que possui os Mórmons, por Daymon M. Smith, (que está disponível na Amazon.com aos interessados em comprá-lo):
    The Book of Mammon: A Book About A Book About The Corporation That Owns The Mormons by Daymon M. Smith.
    Damon relata sobre vários casos de abusos tanto políticos como econômicos feitos pela “Corporação em nome de Deus”. Ele pergunta ao leitor, se Jesus estivesse vivo hoje, aceitaria Ele o comportamento “capitalista”, que a igreja tem exercido, especialmente durante os últimos cinquenta anos?
    Eu humildemente diria, NÃO! NUNCA!
    Eu adoraria sim, ver a igreja se envolvendo em ajudar as pessoas simples e pobres em nosso dia a dia. Gostaria também de fazer uma pergunta ao grupo: Ao invés da igreja construir um shopping center em Salt Lake City, por que não construir um grande centro médico? Quando eu fui diagnosticado com câncer de estágio 4, a minha vida foi salva por um hospital “Católico”, e não SUD, e que por sinal, é considerado um dos melhores aqui em nos EUA. Acredito também que O Livro de Mórmon nos ensina sobre os sérios riscos de quando se tornamos ricos e poderosos, nos alertando sobre as duras e graves consequências de quando perdemos a influência Divina e consequentemente, criamos a nossa própria destruição .
    Eu sempre gostei de ver a igreja dentro de uma posição forte e independente, porém, o que vejo hoje, me assusta, e muito! Eu vejo a “nossa igreja”, passando pelos mesmos desafios, que a igreja Nefita passou no passado. Não podemos permitir que a riqueza, orgulho e poder econômico passem a distrair-la do real propósito, na qual ela foi restaurada.
    Cristo está mais preocupado na assistência e salvação do ser humano do que na criação de um império.
    Abraço.

    • De fato, Wagner, há muitos paralelos entre a antiga igreja nefita, descrita no LM, e a atual igreja sud. Mas mesmo esses paralelos são silenciados internamente pela leitura superficial e distorcida do Livro de Mórmon. Mas, aos que souberem ler, está lá…

      • Tudo o que é dito neste site são opiniões a respeito de fatos da Igreja. Esta opiniões podem estar certas ou erradas, mas o que me chama mais a atenção é que a maioria das opiniões e textos mostram uma Igreja mais negativa do que positiva. Exemplo é o que disse Wagner e Antonio Trevisan concordou. Quando penso que vocês podem estar certos, fico triste e desencantado com a Igreja e perco toda vontade de testificar da veracidade da Igreja, de Joseph Smith como profeta e do Livro de Mormon e também de levar o evangelho para outras pessoas. Mas espero sinceramente que vocês estejam errados, e que um dia a Igreja esclareça o porque de da construção do shopping, o porque investe apenas 1% em ajuda humanitária, porque antes profeta índio e depois a troca para referência Josesh Smith e outros assuntos. Enquanto a Igreja não esclarecer, continuaremos a fazer especulações e debates que podem ser bons ou ruins. Ou será que a Igreja esclareceu e nós que não enxergamos? Enfim, minha intenção não é criticar ninguém, talvez minhas colocações acima estejam completamente equivocadas e se assim for peço desculpas se eu estiver ofendendo alguém. E peço que me ajudem a entender melhor o propósito deste site e de quem o faz. Espero sinceramente acreditar que vocês não tenham perdido seu testemunho assim como não quero perder o meu, pois amo a Deus, a Jesus Cristo, a Igreja e ao Evangelho e espero que vocês também sintam amor. Por favor, não deixem de comentar minha resposta, pois quero entendê-los melhor e não julgá-los, e quero crer que o objetivo deste não é o de destruir um testemunho sobre a Igreja. Sem mais agradeço e espero por sua resposta.

      • Marcos,

        concordo com sua caracterização que “Tudo [ou a maior parte] o que é dito neste site são opiniões a respeito de fatos da Igreja. Esta opiniões podem estar certas ou erradas”. No entanto não acho que sempre “a maioria das opiniões e textos mostram uma Igreja mais negativa do que positiva”, uma vez que depende muito do assunto sendo debatido e do ponto-de-vista dos autores e leitores.

        Sobre o texto acima, você afirma que “Quando penso que vocês podem estar certos, fico triste e desencantado com a Igreja e perco toda vontade de testificar da veracidade da Igreja, de Joseph Smith como profeta e do Livro de Mormon e também de levar o evangelho para outras pessoas”. Eu entendo como alguns fatos e/ou sua interpretação podem ser decepcionantes, nesse tema da política financeira da Igreja sud atual. Não vejo que relação isso possa ter, porém, com o chamado de Joseph Smith como profeta. Ele não está mais aqui deste lado do véu até onde sei e não é o responsável pela falta de transparência ou uso questionável do dinheiro. Ele não lidera a Igreja sud hoje.

        O que quis dizer com minha colocação sobre a capa da revista (acima) é justamente essa confusão na opinião pública: uma suposta unidade perfeita entre o passado e o presente do mormonismo. Essa unidade não existe. Há coisas que continuaram desde 1844 até agora e outras que são totalmente diferentes. A visão econômica de Joseph Smith era coletivista, por exemplo. A mesma diferença está no Livro de Mórmon, que afirma o poder destrutivo da vaidade e do orgulho, do esquecimento do pobre e corrupção das coisas sagradas em favor do lucro (artimanhas sacerdotais). Quando o Wagner fala que nos parecemos muito com a igreja nefita, acredito que isso apenas nos prova ainda mais o poder profético desse livro que nos fala desde o pó. Não é à toa que ele é ignorado enquanto livro e rebaixado à categoria de “ferramenta missionária”.

        Acho que este site busca promover um ambiente saudável para a discussão. Mas é uma discussão adulta, onde não há só preto e branco, mas alguns vários tons entre os dois. Com certeza, não seria “adequado” a todo e qualquer membro. Para alguns, os próprios temas tratados não inadequados. Bom, não somos um site oficial da Igreja e oferecemos discussões que não são feitos nos ambientes oficiais (reuniões, aulas, etc).

        Precisa ficar claro também que cada texto é de responsabilidade do autor e não expressa a visão de um grupo. E as opiniões estão aqui para serem testadas, avaliadas, discutidas. Eu mudo de opinião com certa frequência.

        A cada dia eu descubro cada vez mais a beleza e veracidade do que foi ensinado por Joseph Smith. Isso não me impede de ver os problemas que existam na igreja sud; ao contrário, os problemas se tornam mais evidentes, pelo contraste.

        Se um assunto te faz mal, causa tristeza, talvez seja melhor deixar ele ali em estado de espera e voltara ele depois com uma preparação maior. Já fiz isso algumas vezes.

        Um abraço!

      • Com relação ao que você disse: “Eu entendo como alguns fatos e/ou sua interpretação podem ser decepcionantes, nesse tema da política financeira da Igreja sud atual. Não vejo que relação isso possa ter, porém, com o chamado de Joseph Smith como profeta. Ele não está mais aqui deste lado do véu até onde sei e não é o responsável pela falta de transparência ou uso questionável do dinheiro. Ele não lidera a Igreja sud hoje”. O que eu quis dizer é que a Igreja SUD de hoje é a mesma que Joseph Smith restaurou pelo poder de Deus. E quando pregamos o evangelho restaurado para outras pessoas é que entre outras coisas queremos que as pessoas tenham um testemunho e façam parte da Igreja, mas se a Igreja está se desviando tanto dos ensinamentos de Joseph Smith, então porque trazer mais membros para a Igreja? O melhor então seria a pessoa aceitar Joseph Smith como profeta, O Livro de Mórmon como verdadeiro e jamais frequentar a Igreja e pagar o dízimo e as ofertas de jejum?
        Você disse que os problemas se tornam mais evidentes pelo contraste, então será que estaria na hora de Deus tirar os atuais líderes e colocar novas pessoas governando a Igreja de Jesus Cristo aqui na Terra? A não ser que ela tenha deixado de ser a verdadeira Igreja de Jesus Cristo, ou nunca foi? Às vezes me parece que alguns de vocês que escrevem neste site não frequentam mais a Igreja e nem prestam mais testemunho de sua veracidade , seja no púlpito ou fora da Igreja para outras pessoas.
        As minhas colocações acima não são julgamentos, seja com relação à Igreja ou seja com relação a você Antonio e outros que escrevem neste site, mas são dúvidas e impressões que eu tenho. Agradeço por ter me respondido antes, e peço por gentileza que possa responder novamente. Obrigado.

      • Caro Marcos,

        O problema que eu vejo quando discutímos esses tipos de possíveis erros cometídos pela igreja (pelo menos no meu caso), é que na minha humilde opinião, muitas vezes existe uma enorme lacuna entre o que os membros fiéis (incluíndo líderes) falam na “nossa igreja”, em relação , a pura verdade. Ainda mais, eu não vejo as coisas como preto e branco. Existem muitos tons de cores lá fora, nossa história é ampla e muitas vezes complicada. A razão na qual não tenho problemas em discutir essas questões, é porque quero que a igreja melhore, que seja mais honesta, clara e que favoreça um melhor fluxo de informações, pricipalmente de dentro para fora dela.
        Eu não adoro a igreja, mas sim tenho respeito por ela, sei que ela não é perfeita, pois ela é uma “instituição”, assim como, ela não é o Evangelho em sí, mas sim, um instrumento de Deus para trazer o Evangelho a todos nós. Eu adoro sim Jesus Cristo e nosso Pai Celestial com todo o meu coração. Para mim, se a igreja for não a única igreja verdadeira na face da terra, isso não faz muita diferença. A minha integridade não está à venda, e por isso quando vejo algo errado, prefiro não ficar calado. Porque se eu ficar calado, estaria indiretamente aceitando o erro também.
        Eis um exemplo: O outro dia dentro de uma reunião do Sumo Conselho, um irmão quiz justificar a poligamia como correta para todos os membros do grupo, (e eu por não aceitá-la como divina) propus as seguintes escrituras em Jacó 2:27-28 no Livro de Mórmon que dizem:
        27 Portanto, meus irmãos, ouvi-me e atentai para a palavra do Senhor: Pois nenhum homem dentre vós terá mais que “uma” esposa; e não terá concubina alguma. 28 Porque eu, o Senhor “Deus”, deleito-me na acastidade das mulheres. E as “libertinagens” são para mim “abominação”; assim diz o Senhor dos Exércitos.
        O atual prefácio do Capítulo 2 de Jacó no Livro de Mórmon que diz: “Jacó condena a prática (não autorizada) do casamento plural”, sendo esse detalhe (não autorizada) adicionado por Bruce R. McConkie nos anos 70, indo diretamente contrário aos ensinamentos e a palavra de Deus, somente para justificar a poligamia de Joseph Smith, que por sinal, foi abominada por Deus, pois nunca deu certo. Esses comentários de McConkie não existiam na versão original do Livro de Mórmon. E por que foram inseridos ? Se o Senhor claramente vê isso como abominação. Por isso tive que rebater, pois como disse antes, acho isso (assim como o Senhor, totalmente errado!), além do que, se eu ficasse calado, estaria indiretamente aceitando essa doutrina como correta.
        Porém, fiz esses comentários com o maior respeito, amor e delicadeza possível. Pois busco a verdade, e aonde ela estiver eu espero estar também. E por isso sou respeitado na minha ala. Ao mesmo tempo não busco abalar o testemunho de ninguém, mas sim, sigo o conselho de um grande escritor,autor e amigo Mórmon chamado Grant Palmer que diz: Não veja Jesus Cristo através dos olhos de seus líderes, mas sim, veja seus líderes (e a igreja), através dos olhos de Jesus Cristo.
        Eu espelho miha vida nele (Jesus) e não no presidente da igreja. E creio que muitas vezes nos confundimos (como povo) de quem realmente devemos seguir. Tive a oportunidade de conhecer pessoalmente dois presidentes da igreja, e um membro da primeira presidência, sei que são bons homens e buscam o melhor para a igreja e seus membros, porém, como visto no passado, eles podem cometer erros. Jesus Cristo nunca!
        Por isso acho que devemos discutir essa variantes que muitas vezes podem causar um um certo desconforto ao nosso testemunho, porém, sei que a vida é complicada, talvez sejam esses testes, ferramentas para tornar-nos mais fortes, mais próximos do progresso divino, mais humanos, mais amantes da verdade, mais imperfeitos, enfim, mais pensadores e honestos, assim como o nosso criador quer que sejamos.
        Assim sendo Marcos, espero que você encontre as respostas que tanto busca e que o senhor abençoe a sua jornada, com mais “tons coloridos” do que em preto e branco.
        Abraço.

      • Marcos, a Igreja é verdadeira. Ela gasta mais do que 20% de sua receita em ajuda humanitária. Quem afirmou 1% não sabia o que estava dizendo. Que outra organização ajuda com Fundo Perpétuo, Fundo de Jejum?

      • Mauro, de onde você esta tirando essa mentira? Os dados publicados pela própria Igreja sugerem muito, muito, muito menos que 20% — possivelmente muito menos que 1%, mas é difícil precisar porque as finanças da Igreja são secretas sagradas.

        Fundo de jejum? Centenas de igrejas. Quase todas que eu conheço. Usualmente, chamam de ofertas, oferendas, ou de doações mesmo. Até a IURD gasta mais em caridade, proporcionalmente, que a Igreja SUD.

        Fundo Perpétuo? Várias. Dúzias. Usualmente, eles chamam de bolsas de estudo. Ou, como os Adventistas, constróem escolas e faculdades, proporcionando bolsas e educação. Nós construimos shoppings!

      • Esse site nao e para pessoas com testemunho fraco, nao estou dizendo que seja o seu caso mas aqui debatemos assuntos mais profundos a respeito de fatos sobre a igreja, nao se trata de um site para acusar ou defender a igreja. Eu tenho um testemunho forte do evangelho e acredito em debater as coisas de forma honesta e transparente.

    • Wagner, concordo, eu a algum tempo descobri que esta nao é a Igreja de Cristo, porque se fosse, de fato, as suas AÇOES, se pareceriam com as do nosso Salvador!!!

      Nao aceito aqui as pessoas falarem que a Igreja é verdadeira, querendo separar este fato do fato de o que fazem seus líderes. Ele guia ou nao guia esta igreja? Se guia Ele mudou muito desde seus ensinamentos em Jerusalém! Eu acredito firmemente que NAO, Ele nao guia e nunca guiou-a. A nossa história é tao e as vezes mais suja do que algumas outras igrejas, porém com uma grande diferença, as “outras” nunca reivindicaram serem a “VERDADE” máxima sobre a terra, e isso pra mim é o que impede que a igreja SUD seja o Reino de Deus restabelecido sobre a terra!!!

      Aqui no Brasil somos ensinados (tal qual deve ser ai) a guardarmos o dia do Senhor e etc… e em Utah agora que a igreja tem um shopping? Será que será ensinado para guardar os domingos a menos que se vá ao shopping em Utah!!! ai ai …

      p.s: …mas respeito a todos e suas opinioes e convicçoes porque num passado muito próximo engrossava as fileiras daqueles que diziam “eu sei que esta é a única igreja verdadeira e bla bla bla”

      Abç

      • Eu sei que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Ùltimos
        Dias é a verdadeira Igreja de Jesus Cristo, independente dos erros dos líderes. Você pode não frequentar Igreja alguma, mas é cristão. Se o Senhor no dia do julgamento levar em consideração apenas os erros humanos como você faz com relação à Igreja, então pode ter certeza: ninguém habitará em sua presença.

      • “Se o Senhor no dia do julgamento levar em consideração apenas os erros humanos”.

        Humanos??? Amigo Marcos, muitos dos erros graves que vemos na história da Igreja (a verdadeira), foram mentiras e invençoes de homens ditos profetas… algumas perpetuadas por outros.

        Quando um homem, aceito como uma profeta fala e age a frente da igreja, ele nao mais esta falando ou agindo em seu nome (salvo na sua vida particular). Pelo que críamos, ele falava e agia em consonancia com a a vontade de Deus. Nao podemos ser convencionais. Quando me convem ele “ouve e fala” com Deus e quando nao, “errou o homem”… Esse discurso cansou e esvaziou-se.

        E mesmo que o aceitássemos segue algumas ponderaçoes:

        1) Onde está a obediencia ao que fora previamente ordenado através das escrituras?

        2) Onde está o poder da oraçao que esses homens tinham para serem guiados “pessoalmente” pelo Salvador (como até bem pouco eu acreditava)? E eles nao o procuraram! Porque? Sim, porque se aceitarmos que eles o fizeram entao devemos acreditar que o Senhor os orientou errado (e isso eu nao creio).

        3) Consegue imaginar o Senhor inspirando um profeta ou mesmo a liderança de sua igreja através do sacerdócio a construir um shopping? a comprar açoes do Burguer King? a construir um clube de campo para caça? E nao posso aceitar como resposta que Ele nao precisa ordenar em todas as coisas… Porque essas sao questoes que envolvem dinheiro santo de dizimos e ofertas e as tres “missoes” da Igreja.

        Eu sei que Deus e Jesus Cristo jamais inspiraram estes homens neste e em tantos outros assuntos tao amplamente debatidos e comprovados por aqui. Eu sei que eles nao foram ou sao profetas de Deus.

        “Por vossos frutos os conhecereis” (Mat 7:20)

        P.s: Quero só deixar claro que entendo e respeito a todas as opinioes, mas nunca mais deixarei de expor as minhas. Acho que sao essas coisas que enriquecem-nos e fortalecem nosso intelecto, posiçoes, reavaliaçoes e crenças. Creio que Cristo vive e que nos ama muito e nos quer de volta a sua presença.

      • “3) Consegue imaginar o Senhor inspirando um profeta ou mesmo a liderança de sua igreja através do sacerdócio a construir um shopping? a comprar açoes do Burguer King? a construir um clube de campo para caça? E nao posso aceitar como resposta que Ele nao precisa ordenar em todas as coisas… Porque essas sao questoes que envolvem dinheiro santo de dizimos e ofertas e as tres “missoes” da Igreja.”

        Se você não acreditasse na Bíblia, mas somente em Deus e Jesus Cristo, será que você conseguiria imaginar Deus aceitando o Templo de Salomão que foi construído com as maiores riquezas da época?

      • Salomão até então era um profeta e era riquíssimo, será que seria possível aceita que um servo do Senhor fosse tão rico (para os padrões da época)?

      • “Humanos??? Amigo Marcos, muitos dos erros graves que vemos na história da Igreja (a verdadeira), foram mentiras e invençoes de homens ditos profetas… algumas perpetuadas por outros.” Já pensou se o Senhor considerar os seus tão graves quanto você afirma que são os da Igreja? Tadinho de você, de mim, e de todos os humanos.

      • Eu diria que haverá mais complacencia contigo e comigo, do que com aqueles que cometeram esses erros e ainda tiveram coragem de atribuí-los a Revelaçao Divina. Amigo Marcos faça-me o favor nao compare meus pecados que tem influencia direta na minha vida e no máximo numa pequena esfera ao meu redor… Enquanto que somos “convidados” a guardar um domingo e santificá-lo pelos mesmos homens que construiram um templo de consumismo. Vai dizer que nao abrirá aos domingos? Vai dizer que foi uma revelaçao ou ainda que deve ter recebido aprovaçao do Senhor?… Ah Marcos… tadinho de mim!!!

      • Não podemos (eu,você e todos que se expressam nesse site) nos esquecermos nunca das palavras sagradas do Salvador quando formos fazer alguma especulação ou darmos alguma opinião:
        “«Não julgueis, para não serdes julgados; pois, conforme o juízo com que julgardes, assim sereis julgados; e, com a medida com que medirdes, assim sereis medidos. Porque reparas no argueiro que está na vista do teu irmão, e não vês a trave que está na tua vista? Como ousas dizer ao teu irmão: ‘Deixa-me tirar o argueiro da tua vista’, tendo tu uma trave na tua? Hipócrita, tira primeiro a trave da tua vista e, então, verás melhor para tirar o argueiro da vista do teu irmão.»”Mateus 7,1-5.

      • SENHORES, NÃO PODEMOS DIZER ALGO QUE NÃO SABEMOS.
        OS SENHORES TEM A CERTEZA QUE O SHOPPING DA IGREJA ABRIRÁ AOS DOMINGOS? ???SE ALGUEM POSSUI ESTA INFORMAÇÃO NOS REPASSE.
        ENQUANTO ISSO, TUDO O QUE DISSEREM SERÁ MERA EXPECULAÇÃO!!!!

      • Disseste bem, era riquíssimo e administrava o que era seu. Nao questionei isso e sim o uso do dinheiro santo por parte dos homens que “recebem orientaçoes pessoais” do Senhor quanto a como agir com os assuntos do reino, meu amigo. É isso que reprovo e repudio aceitar, como açoes de homens que tem um relacionamento pessoal com Deus qto a como agir em sua obra. Entende?

        Nao há pecado, a meu ver, em ser rico. Mas estude mais um pouquinho e veja como (se vc conseguir o que muitos que assinaram um manifesto de transparencia como eu) a igreja aplica os ricos recursos obtidos através do seu e do meu dízimo (qdo eu frequentava a igreja). Veja se isso é condizente com o que ensinou o Senhor e com as missoes da igreja.

        Menos de 1% do que é arrecadado, por exemplo, é utilizado em ajuda humanitária. No lugar de um hospital por exemplo ou uma escola profissionalizante em algum lugar do Brasil, tivemos em Utah a construçao de Shopping!

        Sei que voce assim como eu nao sabe do porque da construcao deste shopping (se adimitirmos a direçao divina para esse empreendimento), a semalhança de nossos pensamentos talvez terminem ai. Talvez voce aceite que tenha um propósito, digamos eterno. Eu nao, nao consigo mais aceitar e dizer amém para as coisas que a olhos nús vemos que estao em dissonancia com tudo que aprendemos na própria igreja.

        O bom é que pelo menos por aqui temos chance de conversar, concordar ou nao e mesmo assim, nao nos discriminamos, nao me sinto anti-mormon por isso, nem me sinto menos digno ou menos privilegiado do amor de Deus, muito pelo contrário, experimento hoje uma das melhores fases da minha vida. Tenho paz, como qdo estava na igreja, uma esposa especial, um bom emprego, enfim, algumas das coisas que era levado a acreditar, de forma suscinta é claro, a pensar que fora da igreja eu jamais conseguiria.

        Saiba meu amigo, que podemos discordar no campo de idéias e convicçoes, mas o meu intuito maior e compartilhar o momento que vivo, porque sei que como eu, que fui ex-missionário, membro do sumo, bispo e líder da obra- muitos passam, passaram e passarao pela aflitante angústia de descobrir que a verdade absoluta nao está na igreja mórmon e em nenhuma outra. Nós (que acreditamos em Deus) temos que viver com retidao e temor a Ele, fazendo o nosso melhor, dentro de nossas limitaçoes e Ele se encarrega do resto. Sinais, símbolos e rigidez aparente, nao nos levarao a Deus. Nossas atitudes sim. Assim Creio.

      • Quando você assinou o manifesto, você ainda era membro da Igreja? Porém, se você assinou depois de se desligar da Igreja, eu fico sem entender o porque você assinou?

      • Menos de 1% do que é arrecadado, por exemplo, é utilizado em ajuda humanitária.

        IRMÃOS, SE AS FINANÇAS DA IGREJA SÃO UMA CAIXA PRETA, DE ONDE ESTÃO TIRANDO ESTA INFORMAÇÃO A RESPEITO DA AJUDA HUMANITÁRIA??????

      • Uma coisa é aceitar um Templo do Senhor. Outra é aceitar um Shopping, o Templo do Consumismo.
        Jesus Cristo, quando esteve na Terra, expulsou os mercadores dos arredores do Templo. Eles caçoavam da santidade daquele lugar. Será que há alguma semelhança com o que foi analisado?

      • È fácil julgar a Igreja diretamente por seus atos somente sem saber os motivos que levaram a fazer isso ou aquilo. Muitas vezes a Igreja não diz o motivo, mas o que dissermos a respeito de seus atos serão meras especulações.

      • Era uma construçao com um fim (em tese) de estudo e adoraçao nao era? E assim como no princípio do dízimo, damos a “melhor parte” ao Senhor. Como comparar com a construçao de um shopping, investimento em mercado de açoes e um clube de caça por exemplo?

      • Geninho, como vc eu tbm cheguei a triste conclusão da não veracidade desta Igreja.

        Ha pouco tempo tbm fazia parte desse time de fiéis, sustentados por seus testemunhos(forçados), de toda essa ladainha que sabemos não ser em nada parecidos com os ensinamentos de Jesus. Gosto muito quando o Marcello denomina as coisas SAGRADAS como SECRETAS. Pq é bem assim que funciona, pra tudo o que eles não querem te responder, pra tudo o que as explicações seriam muito levianas a resposta é Sagrado ou então Doutrina Profunda!

        O que vejo de profundo na Igreja é o Buraco em que ela está se metendo, todos os dias aparecem novos demonstrativos da falta de comprometimento com as pessoas, com o evangelho, já não se importam tanto com a nossa opinião, afinal eles já estão ricos o suficiente para darem de ombros e tbm contam com um exercito numeroso de defensores da causa “deles”. É muito triste ver tanta gente sendo levada por essa lama, desde a restauração existe muita coisa obscura. Dai me pergunto: Pq a Igreja Verdadeira precisa esconder tanta coisa? Será que não é no minimo estranho que tantas coisas sejam feitas por baixo dos panos? Pq esconder e usar da boa fé das pessoas? Aff eu estou realmente cansada de ver as pessoas defendendo o indefensável!

        Mas espero que Deus tome a frente, pelo enorme amor que tem por cada um dos seus filhos! O dia virá em que tudo será transformado e quando esse dia chegar a igreja SUD cairá!

  6. Meus caros,
    Ao invés de julgarem as ações da Igreja e de seus lideres, os Profetas, se ajoelhem e busquem com sinceridade um conhecimento dos céus de que os atuais profetas são justos e fieis, e que agem sob o comendo direto do grande cabeca da igreja, que leva seu nome.
    Ninguém melhor do que Ele para vos mostrar isto. Se nao receberem resposta, e porque estão tão distantes Dele que nao conseguem ouvir sua doce voz.
    Eh mais fácil a acreditar em profetas mortos, como vcs tem dito aqui. Confio em nosso atual profeta, em seus conselheiros e em todos os outros Doze. Sei que eles são tão profetas e justos quanto o foram Joseph, Brigham, Pedro e Paulo de antigamente.
    Podemos nos perguntar e querer saber porque A Igreja faz isto ou aquilo, mas nao podemos desconfiar da fidelidade e santidade de seus supremos lideres, os profetas atuais. Eles sabem o que fazem, e tem conduzido com excelência A Igreja até hoje. Quem critica-los e for contra, vai se afundar e se afastar dos céus.
    Ouros lideres, membros e funcionários da Igreja podem errar sim, mas se são pegos, são devidamente corrigidos.
    A Igreja eh verdadeira, sempre foi e sempre será. E todos os seus profetas também. Eh perfeita, justa e santa. Eh o governo do Senhor sendo organizado aqui na terra. Quem for contra este governo, a sua organização e seus lideres, sinto muito…

    • Vale relembrar as escrituras pois não estão desatualizadas…os problemas sempre voltam…
      MOSIAS 26
      6 Porque aconteceu que enganaram, com suas palavras lisonjeiras, a muitos dos que pertenciam à igreja e fizeram com que cometessem muitos pecados; tornou-se necessário, portanto, que aqueles que cometiam pecados e que pertenciam à igreja fossem aadmoestados pela igreja.
      7 E aconteceu que eram levados à presença dos sacerdotes e entregues aos sacerdotes pelos mestres, sendo levados pelos sacerdotes à presença de Alma, que era o asumo sacerdote.
      8 Ora, o rei Mosias dera a Alma autoridade sobre a igreja.
      9 E aconteceu que Alma nada sabia sobre eles; mas muitas testemunhas havia contra eles; sim, muita gente se apresentava e testemunhava a respeito de suas iniqüidades.
      10 Ora, nunca antes havia acontecido coisa semelhante na igreja; portanto, o espírito de Alma perturbou-se e ele fez com que os levassem à presença do rei.
      11 E ele disse ao rei: Eis aqui muitos que trouxemos a tua presença, que são acusados por seus irmãos; sim, e foram apanhados cometendo várias iniqüidades. E eles não se arrependem de suas iniqüidades; portanto, trouxemo-los a tua presença, para que os julgues de acordo com seus crimes.
      36 E os que não quiseram confessar seus pecados e arrepender-se de suas iniqüidades, não foram contados com o povo da igreja; e seus nomes aforam riscados.
      37 E aconteceu que Alma pôs em ordem todos os assuntos da igreja; e começaram novamente a ter paz e a prosperar muito nos assuntos da igreja, andando circunspectamente diante de Deus, recebendo muitos e batizando muitos.

      ALMA 1
      21 Ora, havia entre o povo da igreja uma lei severa que proibia a qualquer homem que pertencesse à igreja aperseguir aqueles que não pertencessem à igreja; e proibia perseguições entre eles mesmos.
      22 Não obstante, havia muitos entre eles que começaram a tornar-se orgulhosos e a contender acaloradamente com seus adversários, chegando a bater-lhes; sim, golpeavam-se uns aos outros com seus punhos.
      23 Ora, isto aconteceu no segundo ano do governo de Alma, causando à igreja muitas aflições; sim, isto foi causa de muitas tribulações na igreja.
      27 E eles arepartiam os seus bens com os bpobres e os necessitados e os doentes e os aflitos, cada um de acordo com o que possuía; e não usavam vestimentas custosas; contudo, eram asseados e formosos.
      28 E assim eles organizaram os negócios da igreja; e assim começaram a ter paz contínua novamente, apesar de todas as perseguições.
      29 E então, graças à solidez da igreja, começaram a aenriquecer extremamente, tendo abundância de tudo que lhes era necessário—abundância de rebanhos e manadas e de animais cevados de toda espécie; e também abundância de grãos e de ouro e de prata e de coisas preciosas; e abundância de bsedas e de finos tecidos de linho e de toda espécie de bons tecidos simples.
      30 E assim, em sua aprosperidade, não deixavam de atender a quem quer que estivesse bnu ou faminto ou sedento ou doente ou que não tivesse sido alimentado; e o seu coração não estava nas riquezas; portanto eram liberais com todos, tanto velhos como jovens, tanto escravos como livres, tanto homens como mulheres, pertencessem ou não à igreja, não fazendo cacepção de pessoas no que se referia aos necessitados.
      31 E assim prosperaram e tornaram-se muito mais ricos que aqueles que não pertenciam a sua igreja.

      ALMA 4
      6 E aconteceu, no oitavo ano do governo dos juízes, que o povo da igreja começou a tornar-se orgulhoso, por causa de suas excessivas ariquezas e de suas bfinas sedas e de seus finos tecidos de linho; e pelos seus muitos rebanhos e manadas; e seu ouro e sua prata e toda espécie de coisas preciosas que haviam obtido pelo seu trabalho; e por causa de tudo isso engrandeceram-se a seus próprios olhos e começaram a usar vestimentas muito luxuosas.
      7 Ora, isto foi motivo de grande aflição para Alma, sim, e para muitos que Alma aconsagrara como mestres e sacerdotes e élderes da igreja; sim, muitos deles ficaram grandemente contristados com a iniqüidade que começara a haver entre seu povo.
      8 Porque viram e observaram com grande tristeza que o povo da igreja começava a engrandecer-se no aorgulho de seus olhos e a voltar o coração para as riquezas e para as coisas vãs do mundo; que eles começavam a desdenhar uns dos outros e a perseguir os que bnão acreditavam segundo sua própria vontade e prazer.
      9 E assim, durante este oitavo ano do governo dos juízes, começou a haver grandes acontendas entre o povo da igreja; sim, havia binveja e disputas e malícia e perseguições e orgulho, excedendo até o orgulho daqueles que não pertenciam à igreja de Deus.
      10 E assim terminou o oitavo ano do governo dos juízes; e a iniqüidade na igreja era uma grande pedra de tropeço para aqueles que a ela não pertenciam; e assim o progresso da igreja começou a diminuir.
      11 E aconteceu que no começo do nono ano, Alma viu a iniqüidade na igreja e viu também que o aexemplo da igreja principiava a levar os incrédulos de uma iniqüidade a outra, causando assim a destruição do povo.
      12 Sim, viu grande desigualdade entre eles, alguns se enchendo de orgulho, desprezando os outros, virando as costas aos anecessitados e aos nus e aos bfamintos e aos sedentos e aos doentes e aflitos.
      15 E então aconteceu que Alma, tendo visto as aflições dos humildes seguidores de Deus e as perseguições que lhes eram infligidas pelo resto de seu povo; e vendo toda a sua adesigualdade, começou a ficar muito triste; mas o Espírito do Senhor não o abandonou.

      • Mais uma evidencia de a Igreja atual esteja no caminho de uma eventual apostasia, muitas escrituras testificam disso nos ultimos dias.

    • “mas nao podemos desconfiar da fidelidade e santidade de seus supremos lideres, os profetas atuais. Eles sabem o que fazem, e tem conduzido com excelência A Igreja até hoje. Quem critica-los e for contra, vai se afundar e se afastar dos céus.” (citaçao sua).

      Posiçoes como a sua meu caro Rogério sao preocupantes. Os próprios profetas já reconheceram equívocos (para nao chamar de erros) de seus antecessores em assuntos como sacerdócio aos negros, poligamia, revelaçoes modernas nao cumpridas e etc…

      Se isso foi “conduzir com excelencia a igreja até hoje”. Tenho um pergunta: Qual é seu entendimento sobre conduzir com excelencia?

      • Na sua opinião para que a Igreja fosse verdadeira, nenhum líder jamais poderia cometer erros e nem jamais poderá cometer?

  7. Pra mimm é insignificante o assunto…Deus é maior,enquanto nos preocupamos com questões financeiras,nos esquecemos de fitar os olhos na glória de Deus…se tem algo errado ou não,certamente não seremos nós quem responderá perante Deus no último dia.

  8. Caros amigos irmãos
    Perder tempo analizando hipoteses !!!
    Eu não conheço uma igreja mais transparente , mas nos dias
    atuais não da para receber como dízimo batatas e ai distribuí-las
    aos membros , certo !!!
    Em relação a limpar os banheiros eu não vejo nem um problema , mas
    sim uma oportunidade.
    Será que todos que leram estas matérias já leram a LIAHONA deste mes !!!
    O leram o LIVRO DE MORMON HOJE !!!

    • HAHAHAHAHAHAHA! Limpar banheiros uma oportunidade? De que? De limpar a sujeira desses homens mais preocupados com os proprios bolsos?

      Olha chega a ser ridiculo (me desculpe o termo), infelizmente a Igreja é cheia de pessoas assim!

      Pq vc não sai limpando os banheiros das empresas por ai, ou pq vc não limpa banheiros publicos? Te garanto que seria uma bela oportunidade de vc crescer como ser humano!

      Quer dizer então que Deus espera que a gente limpe os banheiros de uma capela, pra nos ensinar alguma coisa?

      Realmente vc precisa aprender muita coisa, a primeira é deixar de ser tão manipulado!

  9. Senhores, para que servira demonstrativo se muitos de nós mal entende o extrato complexo dos bancos, e ficamos nos questionando… “Opa! era para eu ter uns 200 reais aqui nessa conta!!”

    • Gostei Claudia! Pela lógica geral do debate, deveríamos todos nós deixar transparentes nossas finanças. Aí veríamos quem paga um dizimo honesto e por aí vai… E como bem sugere muitos não controlam sequer o que ganham… Conheço algumas duzias de membros com o nome sujo na praça e outra duzia que não pagam impostos e que não pagam corretamente seus funcionários… Como podemos nos arvorar a julgar a igreja? Por não deixar transparente suas finanças?

      • Querido, acontece que a Igreja recebe teu dinheiro em nome de Deus,e com isso temos que ter um certo cuidado.

        Quanto aos membros que tem seus nomes sujos, vc deveria pensar nas dificuldades que talvez essas pessoas possam ter passado, diferente de uma organização que vive do dinheiro dos outros que só o entregam por confiança, por acreditarem em seus ensinamentos e muitos por medo do inferno. Usam da boa fé das pessoas para enriquecer! E a ti pouco importa quem paga ou não seus dizimos, não tens nada a ver com isso pq o dinheiro não é teu, já o dinheiro da igreja é de todos os que pagam!

      • Carlinha, li seu depoimento acima, mas não pude responder logo abaixo… Hoje vivo muito bem e a cada dia descobrindo mais coisas que os “homens inspirados por Deus” se “esqueceram” de mencionar nos manuais que contam a “história” desta igreja…
        Entro pouco aqui, estou tocando a vida em frente, depois do terremoto, as coisas tem se acertado!
        Abç e sucesso!

  10. Respeito todas as opiniões, pois a liberdade é um dos pilares do plano do Pai Celestial….bom saber das preocupações e testemunhos, compreendo e sou solidário em termos compaixão e sentirmos dor pelos menos afortunados, é mesmo difícil, só quem vive ou viveu tal situação sabe o que é ter fome e dor, deve ser terrível!!!

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s