Superlua e Profecias Mórmons

Hoje é dia de “superlua”.

Você sabe o que é uma “superlua”, porque ocorre, o qual o seu significado para o mormonismo moderno?

Superlua fotografada nos céus da Bretanha. (Fotografia por Owen Humphreys/PA)

Superlua fotografada nos céus da Bretanha. (Fotografia por Owen Humphreys/PA)

O fenômeno astronômico de hoje deve ser interessante pelo espetáculo visual e pela oportunidade de aprendizado científico. Às vezes, porém, mórmons se interessam mais por profecias apocalípticas. Há um ano atrás, às vésperas de outro evento similar, uma profecia viralizou nas redes sociais entre os membros da Igreja SUD em tôrno da eclipse lunar que coincidentemente ocorreu em conjunto com a “superlua”.

Tamanho foi o interesse que a própria Igreja SUD sentiu a necessidade de emitir nota oficial.

Entenda mais.

A “superlua” é um têrmo popular para a coincidência entre a Lua Cheia (quando a Lua, em sua órbita ao redor da Terra, se posiciona diretamente oposta ao Sol do ponto-de-vista da Terra) e o perigeo (quando a Lua se encontra mais próxima à Terra em sua órbita elíptica – isto é, não um círculo perfeito, ao redor dela), fazendo a Lua Cheia parecer até 14% maior e 30% mais brilhante para observadores na superfície terrestre do que uma Lua Cheia comum. Ela ocorre aproximadamente 1 a 3 vezes ao ano. Neste ano, por exemplo, teremos a coincidência de três Luas Cheias com “superlua” uma seguida da outra (em outubro, a de hoje, e a de dezembro).

A “superlua” de hoje é especial por duas outras coincidências. A aproximação da Lua Cheia à Terra que ocorre hoje é a mais próxima desde 1948, e a mais próxima até 2034. Para aqueles que não tem a felicidade de um céu claro esta noite, podem assistir transimissões ao vivo e imagens vindas do observatório Slooh e do mundo inteiro aqui:

O evento do ano passado que chamou tanta atenção foi a ocorrência, tampouco rara porém infrequente, da coincidência entre uma “superlua” com uma eclipse lunar total. Eclipses lunares ocorrem quando a Terra, em sua órbita ao redor do Sol, posiciona-se temporariamente entre o Sol e a Lua, projetando sua sombra em seu satélite natural, a Lua, bloqueando os raios solars sobre ela. Elas são fenômenos mais comuns, ocorrendo 2 ou mais vezes ao ano.

O enorme interesse mórmon ocorreu, porém, não pelo espetáculo visual ou do conhecimento científico que o permite prever com precisão e compreender suas origens, mas de profecias e avisos espirituais que se tornarem muito populares na comunidade mórmon de uma membro da Igreja e autora.

Julie Rowe escreve sobre sua “experiência de quase-morte” desde 2004, quando ela relata haver cruzado para o “mundo espiritual” e recebido visões apocalípticas do futuro, em conjunção com um mandato divino de alertar e avisar seus correligionários SUD e demais infiéis. Rowe tornou-se, nessa última década, uma autora e oradora de sucesso, gozando de tremendo sucesso nos EUA, especialmente nas comunidades mórmons.

Com a viralização nas mídias sociais sobre o evento astronômico, Rowe publicara comentários crípticos em seu site, como “A hora chegou”, levando muitas pessoas, especialmente membros da Igreja, à uma frenesi de preparações e armazenamentos para o proverbial bíblico fim do mundo.

Tamanha sensação que a Igreja SUD publicou um memorando oficial para todos os responsáveis por seu Sistema Educacional da Igreja alertando para o perigo de crer em profecias apocalíticos alarmantes.

Patrick Mason, Chefe da cadeira Howard W. Hunter na Universidade da Califórnia – Claremont, qualificou essa notícia:

“A situação tornou-se importante e relevante o suficiente para que filtrasse até o topo e convencesse os líderes máximos da Igreja de que era algo que deveriam controlar.”

Líderes da Igreja SUD reconheceram que a autora é membro ativa da Igreja, mas que ela não fala em nome da Igreja e não pode ser levada a sério como sua representante. Orientou ainda seus membros que devessem estar “preparados espiritual e físicamente para os altos e baixos da vida”, evitando especulações e “esforços extremos na antecipação de eventos catastróficos”.

É interessante notar que o mormonismo foi fundado com uma veia intensamente apocalíptica. Joseph Smith anotava fenômenos astronômicos (e acidentes e catástrofes) como sinais do fim do mundo, inclusive ensinando aos membros que deveriam fitar os céus por eventos astronômicos como sinais do fim que se aproximava, já que literalmente viviam nos “últimos dias”. O historiador mórmon e Patriarca da Igreja SUD Richard Bushman descreve o fervor apocalíptico de Joseph Smith assim:

“Nos primórdios, os Santos pensavam que uma meia-dúzia de anos trariam o fim. Acordado certa manhã às 4 horas para assistir os sinais nos céus, Joseph relatou: “Eu me levantei e contemplei com imenso regozijo as estrelas caindo do céu… um sinal seguro de que a vinda de Cristo está muito próxima.”¹

O historiador do mormonismo do século 19, Klaus Hansen, resumiu a prática assim:

“Contudo, os Santos não haviam sido deixados num mar de inteira incerteza. Os sinais dos tempos, como faróis, os guiariam através da escuridão e das águas turbulentas até que a luz de Cristo reaparecera. Aos gentios, tais faróis seriam luzes de aviso, se não o fogo do julgamento. Pois entre os sinais incluir-se-iam calamidades da natureza, acidentes ferroviários, fogos, explosões de barcos à vapor, guerras, revoluções, e sinais nos céus. Como não havia nunca grande dificuldade em achar tais catástrofes em abundância, o [jornal da Igreja SUD] Estrela Milenar fielmente os documentava em cada edição sob uma seção especial entitulada “Sinais dos Tempos”. [Joseph] Smith fazia o mesmo em seu diário pessoal. Toda calamidade no mundo era vista como um sinal do, e uma contribuição para, o fim do mundo. “Todas são”, observou T. B. H. Stenhouse, “para o Santo, confirmações alegres de sua fé, e sugestões do triunfante reconhecimento do… ‘Reino’.”²

Durante o século 20, a Igreja SUD ensinava o “armazenamento doméstico” justamente como medida profética de “esforços extremos na antecipação de eventos catastróficos”. No passado, comerciantes em Utah notaram um aumento súbito na venda de produtos enlatados e perecíveis desidratados, justamente dos tipos destinados a armazenamento apocalípticos. Após o evento astronômico haver passado sem eventos cataclísmicos, Rowe defedendeu-se publicamente:

“Eu concordo que o Currículo para as classes da Igreja SUD só devem vir de fontes reconhecidas pela Igreja SUD como sendo autoritário. Minha história não se destina a ser autoritária nem a criar qualquer doutrina da Igreja. É simplesmente parte da minha jornada pessoal que eu tenho escolhido compartilhar na esperança de que ele possa ajudar as pessoas a se prepararem para os tempos em que vivemos, aumentando a sua fé em Cristo e olhando para o nosso Profeta e os líderes da Igreja por orientação (…) Eu gostaria de poder pessoalmente dar a cada pessoa no planeta o eu livro, ele é tão importante. “

E ela segue desafiando a liderança da Igreja SUD publicando mensagens signalizando a proximidade do fim do mundo. Sua última mensagem postada em 18 de outubro p.p. mantém o mesmo tom apocalíptico e abertamente crítico aos pronunciamentos proféticos da liderança da Igreja SUD:

“As tribos de Israel estão voltando e as tribos perdidas trarão consigo registros adicionais. Nestes registros veremos que fomos enganados, fomos logrados e temos uma falsa sensação de segurança ao acreditar que as tradições dos homens nos salvarão. E as filosofias dos homens, agora misturadas com as escrituras, criarão uma divisão. Uma peneira. Uma separação. E ainda uma outra chance para cada um de nós escolher novamente a entrar pelo portão. Os portões estão abertos. Os portões estão se fechando. Yom Kippur veio e foi embora. O julgamento está chegando. Estamos prontos? Pois a Montanha do Senhor é o templo e sobre os seus telhados Ele vai limpar a sua Igreja antes de mais nada. Preparem-se para o tremor. Está vindo. E Deus não será escarnecido.”

Estaria a Igreja SUD sinalizando uma evolução para o abandono de suas origens e seus elementos apocalípticos? Por que a mensagem de Rowe encontra tamanha popularidade entre mórmons, mesmo havendo um repúdio oficial pela liderança eclesiástica da Igreja?


NOTAS

[1] Bushman, Richard L, Joseph Smith: Rough Stone Rolling, Knopf, 2005, p 166.
[2] Hansen, Klaus J, Quest for Empire: The Political Kingdom of God & the Council of Fifty in Mormon History, Michigan State University Press, 1967, p 17.

5 comentários sobre “Superlua e Profecias Mórmons

  1. “Líderes da Igreja SUD reconheceram que a autora é membro ativa da Igreja, mas que ela não fala em nome da Igreja e não pode ser levada a sério como sua representante” Isso e muito interessante porque muitos Profetas e mensageiros enviados por Deus nunca foram levados a serio ou mesmo falaram em nome da igreja ou qualquer instituicao como no caso de Lehi; Abinadi; Nefi; Samuel Lamanita; Joao Batista; Jesus Cristo e mesmo Joseph Smith. Temos que ter auxilio do Espirito Santo para distinguir o que vem de Deus e o que vem dos homens, mas simplismente rejeitar um mensageiro so porque ele/ela nao pertence a igreja ou nao tem um cargo de lideranca ou credencial eclesiastica seria um erro fatal, com certeza os lideres e membros da epoca de Alma nao reconheceram ou aceitaram quando o Senhor enviou Abinadi para testificar e profetizar, o mesmo aconteceu com muitos outros. Joao Batista tinha que pregar no deserto, outros tinham que se esconder em rochas, enfim a historia confirma que Deus chama quem ele quer e onde ele quiser para pregar, alertar, avisar e profetizar. No caso dos sinais da segunda vinda sobre a tal lua de sangue, nao se trata dessa lua cheia que e um fenomeno natural e sim de um evento que acontecera na segunda vinda de Cristo e nao antes, ainda isso e algo que nos nao entendemos como ira acontecer e nao ha evidencia cientifica de como isso ira acontecer mas Deus sabe e quando acontecer todos verao.

    • Exato, isso mesmo que eu disse, esses fenomenos naturais nao tem nada relacionado com as profecias. Quando os eventos profetizados acontecerem ninguem ira questionar, todos saberao que vem de Deus.Talvez eu nao soube explicar melhor mas concordo com seu comentario que esses eventos sao naturais e aconteceram muitas vezes no passado.

  2. Os judeus já esperavam o Messias que estabeleceria seu reino antes da vinda de Jesus e as profecias apocalípticas eram muitas. Em seguida Paulo e os primeiros cristãos também aguardaram a volta de Cristo em sua própria época. Joseph e os santos no século dezenove também esperavam o advento em seus dias interpretando os fenômenos celestes e as catástrofes como sinais. E todos eles já passaram e nada aconteceu. Hoje estamos repetindo o mesmo para a nossa época usando as mesmas profecias antigas usadas pelos judeus, pelos primeiros cristãos e por Joseph e os primeiros santos que as adaptaram para as suas respectivas épocas como nós estamos fazendo, parece que vamos também passar sem nada acontecer. E as gerações futuras continuaram a fazer o mesmo.

    • Como voce pode saber que nao vai acontecer? O fato de muitos nao saberem interpretar as profecias nao as tornam invalidas. Ha registros de profecias que foram cumpridas nas escrituras, se voce nao acredita nas escrituras ai e outra coisa. No novo testamento quando Jesus falava de sua vinda ele dizia que os sinais seriam dados na geracao dos gentios, os Apostolos achavam que seria naquela epoca. O Livro de Mormon derrama mais luz no assunto, os Profetas Nefitas entendiam que a vinda de Cristo seria depois do tempo dos gentios. Nao ha provas que esse evento venha acontecer(vivemos pela fe) mas tambem nao ha provas que ele nao possa acontecer. Por isso voce nao pode afirmar que nao ira acontecer. 3 Nefi:16, Jesus explica como os eventos aconteceram nos ultimos dia antes da sua vinda:
      Primeiro os gentios seriam abencoados nas Americas, eles receberiam o evangelho primeiro, depois eles rejeitariam o evangelho(dom de profecias; revelacoes; visoes; milagres cessariam entre os gentios) depois disso o Senhor traria a plenitude do evangelho para aqueles que sao da casa de Israel e se os gentios nao se arrependerem eles serao cortados, a partir dai os sinais da vinda de Cristo serao manifestados e todas nacoes saberao que tais eventos sao os sinais de sua vinda, no verso 20 ele diz:
      20 O Senhor desnudou seu santo braço perante os olhos de todas as nações; e todos os confins da Terra verão a salvação de Deus.

      Compare com as profecias em Isaias tambem.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s