Mórmons Vaiam Sem-Teto, Revoltam-se Contra Abrigos

Durante uma assembleia aberta para os cidadãos da cidade de Draper, Utah, em sua grande maioria mórmons, um morador de rua foi vaiado enquanto prestava testemunho a favor da proposta de seu prefeito para construir dois abrigos para os sem-teto.

Templo mórmon d´A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias na cidade de Draper, Utah (Foto por Leon7, reprodução sob permissão)

A cidade de Draper, sede de um luxuoso e multimilionário templo da Igreja SUD, situa-se justamente na divisa entre os condados de Salt Lake e Utah, cujos censos demográficos denotam populações entre 61 e 88% mórmon, e uma das maiores concentrações de igrejas ou capelas e filiação religiosa nos Estados Unidos, aparentemente se opõe virulentamente contra abrigar pobres moradores de rua.

Assista a cena abaixo e entenda o caso:

Tudo começou com a proposta do prefeito de Salt Lake Ben McAdams para construir vários abrigos para as centenas de sem-teto que moram pelas ruas do centro de cidade. Salt Lake City é a cidade sede da Igreja SUD, e ela vem investindo bilhões de dólares nas últimas décadas para, supostamente, embelezar e revitalizar o centro da cidade ao seu redor.

Aproveitando que o legislativo de Utah decidiu remover a penitenciária estadual  da cidade de Draper, o seu prefeito Troy Walker voluntariou adaptar a futura vazia prisão em um abrigo para os moradores de rua da vizinha Salt Lake, em conjunto de outro sítio local igualmente mal aproveitado. Ingenuamente, Walker agendou uma audiência pública para receber reações da população sobre o uso desses imóveis públicos, como é o costume no oeste americano.

Mais de mil cidadãos de Draper, acima de 2% de toda população municipal, compareceram para feroz e agressivamente opor-se à abertura de abrigos para sem-teto. Ameaças de impeachment, retaliações eleitorais, e até processos judiciais se uniram a vaias e gritos incoerentes, além de xingamentos e ofensas pessoais, tanto na reunião como nas mídias sociais.

Confessou o prefeito Troy Walker:

“Eu pensei que a comunidade apoiaria, de alguma forma, esse conceito [de abrigar os desabrigados]. Eu estava errado. Eu ouvi, sem sombra de dúvidas, que os meus constituintes não querem fazer isso de nenhuma maneira e sob hipótese alguma.”

Durante a reunião, Lawrence Horman subiu ao palco e tentou falar de sua experiência como sem-teto em Salt Lake, suas ambições para tentar reerguer sua vida, voltar a trabalhar, e conseguir superar essa condição, e o quanto uma pequena ajuda na forma da estabilidade de ter um abrigo, um teto, lhe poderia proporcionar essa segunda chance, mas seu testemunho foi completamente abafado pelos sons das vaias do público.

“Nós nos ajudaremos a si mesmos, se apenas vocês nos derem a chance de ter de onde começar.”

Impossibilitado de falar contra a onda de agressão verbal, vaias, e gritos, Horman desistiu e deixou o palco. Em entrevista depois, ele admitiu, expressando gratidão pelos esforços de ambos prefeitos:

“O motivo pelo qual [os prefeitos] tentaram agilizar esse processo é justamente porque toda vez que alguém toca nesse assunto de moradores de rua, essa é a reação das pessoas. Ninguém quer sem-teto em suas comunidades.”  

 

Presente na reunião na condição de funcionário público estadual da secretaria de empregos, Dan Powell, que já foi morador de rua quando sofreu com drogadição até conseguir permanecer sóbrio e reerguer-se há 11 anos, saiu do auditório quando começaram a vaiar Horman.

“Isso partiu meu coração. (…) As pessoas têm suas opiniões e eu respeito isso. Eu só gostaria que fossem mais educadas ao expressá-las.”

 

Ao final de reunião de mais de 3 horas, quando os munícipes já estavam dispersando apenas após o prefeito prometer desistir dos abrigos, um morador de rua que se identificou como Daniel Shipp tomou o microfone e se dirigiu aos remanescentes:

“Vocês sabem como nós, pessoas desabrigadas, nos sentimos tentando viver nessa comunidade, nesse mundo de vocês? Como leprosos. Vocês estão nos dizendo para … vivermos ou morrermos isolados.

“Quando vocês pararem para pensar e considerar a questão dos sem-teto no futuro, eu lhes peço que tenham um pouco de compaixão. Ponderem nisso. Abram seus corações. Nós, membros da comunidade de desabrigados, realmente precisamos de sua ajuda, do contrário, por que alguém iria querer se tornar um membro da sua sociedade quando ninguém nos quer?”


Leia mais sobre mórmons e auxílio aos necessitados:

Mórmons Dão Esmola?

Igreja SUD Doa a Sem-teto

O Amor de Muitos Esfriará

Pobres Não São Espirituais

Comunistas pensam como Cristãos?

Atribuem Sucesso Financeiro a Deus?

Quais Membros Inativos Valem a Pena Recuperar?

9 comentários sobre “Mórmons Vaiam Sem-Teto, Revoltam-se Contra Abrigos

  1. Notei na conferência um acerto apelo para tolerância nos discursos.Infelizmente para algumas pessoas a prosperidade “superficializa” a alma, algumas ficam mesquinhas e egoístas. Cheias de vaidade e orgulho. Isso pode acontecer num ambiente coletivo onde o grupo ou a “massa” toma para si seu território seu “mundinho”, onde o “diferente” é uma ameaça!

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.