Mentir em nome de Deus

Mórmons acreditam em mentir em nome de Deus?

“Mentir em nome de Deus” é uma expressão comum para a prática de contar mentiras ou meia mentiras ou meia verdades para defender o que o autor crê ser os interesses de Deus, Sua igreja, ou Sua obra. A expressão é popular em várias vertentes do Cristianismo, porém a frase em inglês lying for the Lord é quase uma exclusividade Mórmon.

Essa associação com o Mormonismo é justificada?

Tomemos um exemplo recente. Ontem nós recebemos um email com a seguinte mensagem:

Boa tarde! Acompanho[ o] conteúdo de vocês e estou sendo ensinado pelos missionários mórmons …. Gostaria de uma opinião de vocês, visto que no final a decisão é minha … Seria uma boa escolha eu me tornar mórmon?

Estávamos discutindo entre nós como responder honestamente a essa excelente e complexa pergunta, quando um de nós decidiu checar a página no Facebook de nosso interlocutor. O que se vê logo no banner dele?

Casamento Templo São Paulo

Parabéns, de todos nós no Vozes Mórmons, ao nosso leitor pelo seu recente casório!

Contudo, ou ele é o pesquisador mais precoce na história do Mormonismo, casando-se no templo quase um ano antes de se batizar na Igreja, ou ele está deliberadamente mentindo para nós. Presume-se que tal mentira seria para “defender” a Igreja de “apóstatas” publicando “distorções” sobre a Igreja SUD e sua história. Talvez esperando receber alguma nota “incriminadora” de nossa parte como resposta à sua pergunta. [1]

“Em verdade, em verdade eu te digo: Ai daquele que mente para enganar, porque supõe que outro minta para enganar, pois esse não está isento da justiça de Deus.” (D&C 10:28)

A pergunta mais importante aqui seria, porém, se tal prática seria justificada ou válida. Os fins justificam os meios? Defender a Igreja justifica mentir? É isso o que a Igreja ensina a seus membros?


Leia também

A história da Igreja SUD “mentindo em nome de Deus”

Quem são os verdadeiros Anti-Mórmons?

Discernindo distorções sobre história Mórmon

A Igreja SUD desfazendo uma mentira prévia

A Igreja SUD mentindo sobre um artigo nosso

A Igreja SUD mentindo sobre intelectual Mórmon

 

NOTA           

[1] Se o nosso falso pesquisador tivesse sido honesto, a nossa resposta provavelmente teria sido: “Todos nós somos entusiastas do Mormonismo, todos nós servimos fielmente como missionários por 2 anos ou mais, e todos nós amamos tanto o Mormonismo que dedicamos nosso tempo livre ao seu estudo. Acreditamos que, se você sente-se feliz e realizado com sua participação nele, certamente o recomendamos. Afinal, como ensinou o Profeta Joseph Smith, o propósito de nossas vidas é encontrar e abraçar o que nos faz felizes.”

11 comentários sobre “Mentir em nome de Deus

  1. Se for ele mesmo na foto, então não passa de um baita mentiroso! Infelizmente, existe muito isso na igreja, e pior ainda existe muitos líderes mentirosos.

    Um pequeno exemplo de mentiras comuns na igreja são as contagens de membros nas reuniões sacramentais, Conferências de Estaca, etc., essas contagens são “normalmente” alteradas pra “mais”.

    Sou membro do Sumo Conselho da minha Estaca, e confesso com toda sinceridade de coração, que perdi 90% das boas palavras do Elder Costa na Conferência da minha Estaca só contando e recontando os membros… Se eu pudesse eu juraria, mas digo que foi aumentado pra mais de 100 pessoas nessa conferência… Fiquei muito chateado com o Presidente quando ele expôs no grupo (grupo de whatsapp) da Estaca o número da frequência daquele dia… Tem outras situações que já presenciei mas não quero abalar as pessoas com essas verdades…

    Agora, fico pensando, se no meio religioso onde fizemos as mais sagradas e verdadeiras promessas e entre elas está a de “falar a verdade” e infelizmente existem muitos mentirosos, como não está o resto do mundo?

  2. Ensinado, pode até não ser, mas é prática recorrente em entrevistas algumas o famoso ‘jogar verde pra colher maduro’, quando o entrevistador, fazendo o entrevistado não saber o que ele já sabe, usa de meios como citar que ‘ouviu de alguém’ para ver se a pessoa ‘se entrega’ voluntariamente. Na realidade, parece ser um tipo de cultura passada de ‘pai pra filho’ no que tange a manias e hábitos que alguns homens adquirem observando práticas de outros (e achando até coisa legal de se fazer).

    Mas confesso que percebo com mais frequência as tais ‘meias verdades’ ao relatar ou ‘colocar panos quentes’ nas própria histórias SUD.

    Mas esse irmãozinho aí se superou nas ‘pescaria’.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.