Diversidade Racial na Igreja Mórmon

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias destacou-se no quesito de diversidade racial em estudo recente. O centro de pesquisa ‘Pew Research Center’ publicou interessante estudo sobre diversidade racial em vários grupos religiosos nos Estados Unidos da América.

Entre 2011 e 2014, a Igreja SUD conduziu uma campanha publicitária multi-milionária para passar uma imagem ao público de uma religião heterogênea e racialmente diversificada.

A Igreja SUD conduziu uma campanha publicitária multi-milionária para passar uma imagem ao público de uma religião heterogênea e racialmente diversificada.

Entre vários dados estatísticos ilustrativos, a Igreja Mórmon se destacou dos demais grupos religiosos em alguns pontos.

  • A Igreja SUD é uma das igrejas com maior concentração racial, sendo composta predominantemente por brancos (85%).
  • A Igreja SUD apresenta, portanto, uma taxa de diversidade racial muito abaixo da média nacional e muitíssimo abaixo das proporções raciais populacionais.
  • O maior grupo étnico dentro da Igreja SUD nos EUA, depois da maioria esmagadora de norte-americanos brancos, é o de latinos (onde se enquadram brasileiros, junto com os descendentes da América hispânica) em 8%.
  • O segundo maior grupo étnico, representando 5% de todos os SUD, inclui uma mistura racial de polinésios, filipinos, e demais povos do Pacífico Sul, além de brasileiros, hispânicos, africanos, etc.
  • A Igreja SUD representa a menor concentração de Negros (ou Afro-Americanos) de todos os grupos avaliados, com meros 1% de Negros entre seus membros.
  • A Igreja SUD sofreu uma queda proporcional de Negros entre 2007 e 2014, de 3% do total de membros para a taxa atual de 1%.
  • A Igreja SUD cresceu, discretamente, a sua proporção de latinos nesse mesmo período (de 7% para 8% dos membros).
Diversidade racial em grupos religiosos nos EUA: Mórmons abraçam minorias raciais?

Diversidade racial em grupos religiosos nos EUA: Mórmons abraçam minorias raciais? (Fonte: Pew Research Center, Estudo Retrato Religioso 2014)

Os dados estatísticos demonstram, portanto, que a Igreja SUD sofre de um severo problema de diversidade racial. O que o estudo não explora são os motivos para essa discrepância. Por que Mórmons são quase exclusivamente brancos nos EUA? Por que Mórmons sofrem de péssima aceitação na comunidade Negra? Por que Mórmons perderam, proporcionalmente, mais membros Negros na última década? A recente campanha publicitária multimilionária fora uma tentativa de passar uma imagem de diversidade que não existe ou uma de reverter tal tendência populacional? Quais são as proporções raciais de membros SUD no Brasil? Especialmente, comparando-se com a proporção racial da população brasileira? (Considerando que, de acordo com o Censo 2010 do IBGE somos 47% Brancos, 43% Pardos, 7% Pretos, 1% Amarelos.) Há uma maior diversidade racial entre Mórmons no Brasil?

 

17 comentários sobre “Diversidade Racial na Igreja Mórmon

  1. Infelizmente essa péssima imagem jamais será retirada da Igreja. Durante anos, os nossos irmãos negros não podiam sequer ter o sacerdócio. Muitos profetas eram pré- conceituosos. Diziam que os negros nasceram para serem servos, que eram desprovidos de inteligência e etc. E o que vemos nos dias de hoje? um negro tirou os Estados Unidos da crise, e o negros são destaques em vários
    campos da sociedade.
    Acho sinceramente que a Igreja devia pedir desculpas em público por todas as coisas que fez contra os negros. Seria sinceramente um ato de humildade ao reconhecer seus erros.

    • Concordo plenamente! Se não fosse a revelação pessoal e o Testemunho eu já teria me afastado da Igreja por este motivo. Ninguém quer ser associado com imagem de racista.

      • O Papa João Paulo II fez um pedido de perdão em 2000. A Igreja Batista nos EUA admitiu racismo e pediu perdão também. O governo do Missouri em 2004 fez um pedido de desculpas pela ordem de extermínio do governador Boggs. Já não é a hora da Igreja fazer o mesmo?

    • Isso nos levaria a um empasse: se a Igreja é guiada por revelação e o que sai da boca dos profetas é a vontade De Deus, significa que as declarações preconceituosas de diversos profetas e apóstolos são a posição da Igreja em relação ao assunto. Inclusive sobre linhagem, pré existência e maldições. Declarações estas, em livros e discursos oficiais, que usam as palavras “nunca” e “sempre” com certa frequência, demonstrando que se tratavam de conceitos tidos como perenes. Não estou falando aqui sobre o direito do sacerdócio dado aos negros, e sim sobre o conceito todo sobre a divisão das raças dada pela Igreja durante muito tempo até uns três anos atrás. Caim, Cão, guerra nos céus etc.
      Em contrapartida, se a Igreja reconhece o erro e pede desculpas publicamente conforme sugerido, assume a falibilidade das declarações de seus líderes, sendo estas influenciadas por cultura, momento histórico, visão de mundo, de sociedade e interpretação pessoal das escrituras. Portanto, se o que foi dito tempos atrás merece um pedido de desculpas hoje, o que o merecerá, no futuro? É uma situação delicada por colocar em xeque uma das crenças mais arraigadas entre os mórmons: a da revelação contínua para que os líderes guiem a Igreja segundo a vontade inequívoca de Deus ( um profeta jamais levará seu povo ao erro).
      Para mim, no entanto, a segunda premissa já foi, ainda que sem um pedido de desculpas, alcançada no ensaio intitulado ” Etnias e o Sacerdócio “, publicado no site oficial lds. É só ligar os pontos e tcharam!! O óbvio aparece diante dos olhos de quem quiser ver.

  2. Hoje podemos ouvir mormons falando em preconceitos dos “profetas”, antes tudo era aceito como “revelação” de “deus”. Hoje ouvimos os mormons dizer coisa como essa, tipo: “se não fosse a revelação ou o testemunho”. O que mais vamos ouvir agora?

    • Missão.

      Os protestantes criaram a Ku Klux Klan e a ordem só aceita os mesmo e brancos para mostrarem sua “superioridade”. Nenhum SUD pode participar só protestante ou evangélico comum. A ICAR também já aprovou a escravidão etc. Martinho Lutero perseguiu judeus por não terem aceito sua mensagem e até Adolf Hitler citava suas falas para incentivar a população nazista. Estude um pouco de história e verá que erros há em várias denominações. Ou continua achando que o protestantismo “complicado e perfeitinho” não tem?

      • Caro Júlio,

        Eu concordo plenamente com o que disse, no entanto a política de jogar o saco com lixo no ventilador não resolverá nunca essa questão. Deve ser muito difícil engolir um peixe com as espinhas, penso que deva ser assim que o amigo deve se sentir. O racismo tá presente nas religiões, esse fato é inquestionável, e prova o quanto esses homens estão distantes do Criador e de seu filho Jesus. Observe que uma igreja ter menos de 1% de pessoas negras, mostra claramente que existe algo muito errado nessa organização. O homem sempre usou Deus para justificar seu ódio ou o seu amor. Ao longo da história o homem usou o nome de Deus muito mais para matar o seu semelhante do que para ama-los. São questões como essa que devemos pensar : é mais importante defender Deus ou defender uma organização?. A diferença do racismo mórmon é que fizeram dessa prática secular uma lei de “deus” na boca dos “profetas” . Os negros , eram representantes do diabo na terra, foram fracos na pré-existência e a cor da pele foi uma maldição. Essa segregação se perpetuará na vida cotidiana do negro em Utha por exemplo, era vetado ao negro estudar no sistema educacional, a igreja não empregava negros nas suas empresas, o negro não era aceito no time de basquete da BY e de quebra nem pensar em namorar com uma sud branca. Ao seu ver Julio, essas coisas podemos dize que é racismo? ou vms racionalizar afirmando que protestantes e católicos faziam isso também! !!!!

        Na minha opinião o mormon mais racista do século XX , foi o autor do Best Seller Doutrina Mormon , o Apostolo Bruce R.McConkie. Seu livro foi um sucesso na comunidade, pois nesse livro ele deixou claro a posição do negro na sociedade mormon. O tempo passou, Bruce já dorme na sepultura e seu livro já não faz o sucesso que fez. As idéias dos homens sempre estão mudando e o Apostolo do ódio ao negro após a “revelação” de 1978 disse; “esqueçam tudo que eu disse sobre os negros, e estamos debaixo de uma nova luz”. O muro da vergonha já caiu já faz algum tempo, no entanto, o muro do racismo mormon construido com odio e segregação, me parece intransponível.

    • Eu entendo perfeitamente tudo o que postou. Conheço muito bem a história da Igreja. Meu testemunho e defesa é sobre Cristo e não sobre a Igreja. No caso sei de todas as barbáries de várias denominações meu caro. Líderes evangélicos segregaram também nos EUA no sul do país. Essa questão era cultural na época. Há na história manifestações cristãs contra o casamento entre negros e brancos. Não nego o racismo na Igreja. Já fui expulso de um grupo no face onde fazia postagens ecumênicas. Nunca ofendi ninguém mas, fui expulso por calvinólatras(falavam mais de Calvino que de Jesus) que não aceitaram minha fé. Sou contra qualquer segregação. Também há de se notar que citações racistas há em várias religiões. Jesus irá julgar eles como eu o você.

      Agora a Igreja segregou mas, e a KKK que cometeu verdadeiros crimes? E as denominações evangélicas que usaram o texto que Noé amaldiçoou seu filho Cão e ensinavam que os negros eram descendentes do mesmo? Eu tenho Doutrinas de Salvação e lá diz que “um negro nasceu com menos vantagens por ter sido infiel na pré-existência”.

      Sei da história SUD e que deveria ser mais honesta. E a protestante também. Quando for dar aulas de história farei questão de contar as peripécias de Lutero e Calvino e assim desconstruir os “santos” protestantes. Mas infelizmente eles sempre serão santos e os das “seitas” homens maus. Afinal, seita é o nome que damos a religião dos outros, não?

      PS: 1% de negros nos EUA. Aqui no Brasil o que mais tem é mestiços(como eu) e negros membros. Se você viu várias denominações tem menos de 5% na pesquisa. Isso é geral nos EUA. Nem a Batista e presbiteriana LGBT(inclusiva) há muitos negros membros e olha que acreditava serem um número grande nessas.

    • Outro detalhe: Não sou membro que idolatra líderes. Sei de suas falhas ao contrário de muito membro SUD, calvinista e luterano.

  3. No rio de janeiro, onde conheci a igreja tenho muitos amigos que sào negros que já foram bispos, setentas de área, missionários no templo de SP.
    O que eu realmente vi nos EUA é a igreja majoritariamente branca.eu mesmo só conheço 1 élder americano negro, 1 sister americana negra (Sister White, quem diria, esse é o nome dela, acho que ela é da Pensilvânia, se não me engano, o sorriso dela me lembra muito o daquela atriz , a Whoopie Goldberg) e um élder negro canadense o que realmente é bem raro.

  4. Se observarem atentamente aos dados estatísticos verão que esta característica de “concentração branca” em igrejas de matriz judaico-cristã não é única ao mormonismo, nem mesmo em casos isolados; faz parte de um quadro muito mais amplo da sociedade estadunidense. A separação entre as etnias lá é distinto ao nosso caso (inclusive o processo identitário é mais segmentado). Para compreender este quadro não podemos nos limitar a um estudo único do mormonismo, mas observar questões estruturais daquela sociedade.

    Sei que é tentador observar uma religião como um “fato isolado”, mas, enquanto um fenômeno social, a religião está inserida num contexto histórico, político, econômico e sociocultural que não pode ser negligenciado. Faço este comentário para auxiliar nos textos aqui produzidos visando um melhor refinamento no trato teórico e metodológico das questões que não se pretender ser de cunho teológico ou filosófico.

    Se interessar ao autor posso indicar uma bibliografia básica sobre estrutura e estratificação social, assim como questões referentes às desigualdades étnicas (não falamos em “raciais” em Ciências Sociais, pois estas distinções entre “negros” e “brancos” são cultural e historicamente construídas e não um dado biológico/genético) nas Ciências Sociais, em particular na Antropologia e na Sociologia.

  5. Reparando no gráfico vemos que até a Southern Baptist Convention que é a segunda maior denominação atrás apenas do catolicismo tem em sua maioria brancos. Nos EUA a maioria da população é protestante e no Sul estados como Carolina do Sul, Geórgia, Mississippi e Alabama evangélicos são maioria.

  6. Júlio,

    Assim como você, eu também conheço um pouco da história da Igreja Mormon, talvez não tanto quanto você, mas o suficiente para poder travar conhecimento com o nobre amigo. O racismo, como já te disse tá presente nas Igrejas da cristandade e anda de mãos dadas com a crueldade dos homens. Não foram os mormons que inventaram o racismo, mas foi no mormonismo que essa prática encontrou apoio imoral. O racismo no mormonismo é endêmico. Nos EUA essa prática teve seu apogeu. .

    Julio, eu conheço o mormonismo há 30 anos. Tenhos amigos e familiares dentro dessa organização religiosa inclusive já estive dezenas de oportunidades em reuniões na igreja. Descobri muito cedo, o que é o mormonismo e suas práticas religiosas. Sempre fui um bom observador e após dois anos convivendo na comunidade mormon como um amigo e pesquisador percebi que não havia Elderes americanos negros. Ao questionar com eles as respostas eram as piores possíveis. Os missionários
    gostam de mostrar fotos da família, dos amigos e do período em que ficaram no CTM, e novamente e definitivamente eles não tinham amigos negros. Esse assunto mexeu na época com eles, pois eles faziam parte ainda da geração que nutria um sentimento não amistoso em relação aos negros. Na época não existia Internet e pouquíssimos livros sobre mormonismo, e fui a luta até que encontrei um livro de um pastor com o seguinte título, “A ilusão Mormon”. Li o livro em 1987. A partir desse momento passei a questiona-los e ouvi coisas que jamais esperava ouvir, e percebi o estrago que uma teoria racista faz na mente de uma criança e as consequências na vida adulta daquele ser humano. Ninguém nasce racista.

    Hoje encontro pessoas inteligentes como você abordando esse tema com honestidade e uma consciência nunca antes vista. Sou de uma época que quando falávamos sobre o racismo e poligamia com mormons a resposta era prove !!! vcs são mentirosos e depois seguido do já conhecido testemunho. Hoje ainda encontro mormons assim, que tentam se esconder da verdade e apostam na mentira fabricada pelos profetas mormons, racionalizando seus pecados. Falo aqui do racismo mormon, pois é o cerne da questão, mas esse pecado foi e é praticado na cristandade até os dias de hoje.

    • Como disse acima, gostaria muito que a Igreja emitisse uma Declaração Oficial (seria a terceira) pedindo perdão por esse fato. A ICAR fez isso com o Papa João Paulo II e achei muito digno. Abraços.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s