Apóstolo Russell Ballard Ofende Mulheres

Mulheres SUD solteiras “encalham” apenas porque não sabem se vestir bem e usar maquiagem.

O Apóstolo M. Russell Ballard ofendeu mulheres  em discurso proferido em devocional para jovens em Utah, justamente por demonstrar tamanho desrespeito e empatia pelas mulheres solteiras na Igreja.

BATOM

Os comentários de Ballard foram proferidos na semana passada e geraram críticas, queixas, e vídeos e memes viralizados.

O trecho em questão:

“Eu sei que vocês estão esperando que eu fale sobre casamento, não estão? Eu não gostaria de desapontá-los. Eu simplesmente diria aos irmãos: Acordem!  Abram seus olhos e olhem ao seu redor um pouco. Vocês, moças bonitas, não andem por aí vestidas como homens. Ponham um pouco de batom de vez em quando pra ficarem mais charmosas. É simples assim. Eu não sei por quê tornamos todo esse processo tão difícil.” — M. Russell Ballard

O Apóstolo Ballard ignora estudos que demonstram as muitas dificuldades reais encontradas por jovens Mórmons, especialmente mulheres, com ritos sociais de namoro e casamento e apenas sugere que maquiagem e roupas mais “femininas” resolveriam tudo.

Assista o discurso em sua íntegra aqui.

Recentemente, um vídeo viralizou com outro comentário de Ballard sobre namoro e casamento, que incluía sua injunção para jovens se casarem e terem muitos e muitos filhos imediatamente, mesmo que não tenham como sustentá-los, irresponsavelmente comparando a situação sócio-econômica atual na Argentina com a dele quando se casou durante o maior boom econômico (nos Estados Unidos do pós-guerra) na história da humanidade.

Na era do YouTube e mídias sociais, Russell Ballard está se tornando famoso por clipes com comentários machistas e preconceituosos. No ano passado, seus comentários mandando mulheres ficarem quietas, ou não falar demais, em reuniões da Igreja também ganharam notoriedade.


Alguns outros comentários interessantes nesse discurso de Ballard:

“Não precisamos questionar nada na Igreja. Não saia por essas trilhas. Apenas fique no Livro de Mórmon. Apenas fique na Doutrina e Convênios. Apenas ouça os Profetas. Apenas ouça os Apóstolos. Nós não os desencaminharemos. Nós não podemos desencaminhá-los. Por isso há 15 de nós. Nós somos duros uns com os outros, com certeza.” — M. Russell Ballard

23 comentários sobre “Apóstolo Russell Ballard Ofende Mulheres

  1. Que absurdo afirmar esse tipo de coisa como se fosse a realidade. Deve ser um misógino desses que se quer sabem que são. Está cheio de homens assim por aí que gostam de diminuir as mulheres principalmente quando prestam algum serviço. Eu imediatamente os coloco em seus lugares e quase morro de repulsa. Para mim, esse tipo de atitude ou posicionamento não tem jeito. É lamentável. E o apóstolo antes de ser apóstolo é homem, então não há diferença.

  2. O comentário de M. Russel Ballard precisa ser contextualizado: ele falava em um devocional para moças e rapazes em idade de casamento e aparentemente tentava dar ao seu discurso um sentido menos grave, para relaxar. Aparentemente ele atingiu o objetivo, fazendo com que sua audiência risse em vários momentos de seu tom de blague. Descontextualizado, o discurso realmente parece ofensivo, especialmente a irmãs mais liberais, que não veem problemas em vestir calças compridas — e, provavelmente, que os homens usem arcos nos cabelos. No fundo, no fundo, irmãos, essa é uma questão muito pessoal, que depende do gosto de cada um. Eu, por exemplo, prefiro mulheres que, independentemente de serem feias ou bonitas, estejam vestidas de saias ou vestidos, tenham cabelos cortados no estilo channel e usem salto alto. Acho isso extremamente sensual, acentuando a feminilidade. E, se fosse escolher hoje uma mulher para me casar, escolheria uma que desejasse ter muitos filhos. No entanto, admito que essas preferências não são partilhadas por todos os homens e há quem prefira outras formas de apresentação e estilos diferentes de vida. Assim, não crucifiquemos o apóstolo, desta vez e por isso, pelo menos. Vamos esperar um outro escorregão…

    • A questão, Friederick, é justamento essa.

      Para as mulheres que gostam de figuras masculinas de autoridade lhe dizendo como se vestir para “vencer na vida”, certamente o comentário não será ofensivo. Mas há uma proporção não insignificante de mulheres que se ofenderão com a insinuação que “dar uma tapa no visual” é uma parte importante para “vencer na vida”. E nós sabemos o quanto casamento define “vencer na vida” para moças e mulheres crescendo dentro da Igreja.

      Nós concordamos com você. O comentário de Ballard precisa ser contextualizado. O contexto é o machismo crônico (e velado) que permite a homens determinar como mulheres devem aparentar, vestir-se, portar-se, e em geral servir papel subserviente.

    • Eu também achei isso…o pessoal se divertiu e a maioria estava rindo.Hoje vivemos num mundo do politicamente correto.A comunicação se tornou algo muito sensível.Não podemos ser muito fanáticos e obcecados pela cultura vigente.Vejo nobreza na caridade onde “não suspeita mal” “não se regozija com a iniquidade” “tudo espera” tudo crê”.Eu tento me refinar nos meus discursos na igreja, não sei se alguma vez falei algo que deu polemica.Mas se eu falasse não gostaria que pensassem em mim como um inimigo, até gostaria de ouvir críticas para ver se aprendo algo novo.Independente do falar o importante é missão e propósito de cada um nesta Terra e que cada experiencia sirva para tornar as relações melhores.Seja dando um “feedback” ou ouvindo algum.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.