Raça e Sacerdócio: publicação oficial da Igreja aborda fatos antes ignorados

Nova página oficial sud esclarece que Brigham Young interrompeu a ordenação de negros ao sacerdócio como realizada por Joseph Smith

Amanda e Samuel Chambers, conversos mórmons, chegaram a Salt Lake City em 1870.

Amanda e Samuel Chambers, conversos mórmons, chegaram a Salt Lake City em 1870.

Na última sexta-feira (06/12), A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias publicou em seu site oficial uma nova página intitulada “Raça e o Sacerdócio“, onde busca esclarecer a intrincada história do banimento dos negros do sacerdócio sud. A página, disponível em inglês, dá um importante passo ao reconhecer a ordenação de negros durante a presidência de Joseph Smith – como havia reconhecido no novo cabeçalho da Declaração Oficial 02 – e afirma que foi Brigham Young quem interrompeu a ordenação de homens negros. O site afirma:

Durante as duas primeiras décadas de existência da Igreja, alguns homens negros foram ordenados ao sacerdócio. Um desses homens, Elijah Abel, também participou de cerimônias no templo de Kirtland, Ohio, e mais tarde foi batizado vicariamente por parentes falecidos em Nauvoo, Illinois. Não há nenhuma evidência de que o sacerdócio tenha sido negado a quaisquer homens negros durante a vida de Joseph Smith.

A origem em Brigham Young

Brigham Young (1801-1877)

Brigham Young (1801-1877)

Evitando um tom apologético, o texto oficial da Igreja não fala sobre revelação ou inspiração divina para o posterior banimento, mas explica sobre o contexto histórico de divisão racial em que se encontrava os EUA. Segundo o site, teorias foram criadas para tentar explicar o banimento:

Em 1852 , o Presidente Brigham Young anunciou publicamente que os homens de ascendência negra africana não poderiam mais ser ordenados ao sacerdócio, ainda que a partir de então negros continuassem a aderir à Igreja através do batismo e recebimento do dom do Espírito Santo. Após a morte de Brigham Young, os presidentes subsequentes da Igreja restringiram os negros de receber a investidura do templo ou casar-se no templo. Com o tempo, líderes e membros da Igreja promoveram muitas teorias para explicar as restrições do sacerdócio e do templo. Nenhuma dessas explicações é aceita hoje como a doutrina oficial da Igreja.

O texto ainda menciona a escravidão negra no Território de Utah e o fato aparentemente contraditório de que “[m]esmo depois de 1852, pelo menos dois mórmons negros continuaram a possuir o sacerdócio” – uma referência a Elijah Abel e Walker Lewis.

Mulheres

Jane Elizabeth Manning James (1822 –1908)

Jane Elizabeth Manning James (1822 –1908)

Além do impedimento da ordenação de homens ao sacerdócio e ordenanças maiores, a página oficial ainda lembra que as mulheres negras também eram impedidas de participar das ordenanças de selamento e investidura. O texto cita a pioneira negra Jane Manning James:

Jane Manning James, membro fiel negra que atravessou as planícies e viveu em Salt Lake City até sua morte, em 1908, (…) pediu para entrar no templo, foi autorizada a realizar batismos por seus antepassados mortos, mas não foi autorizada a participar de outras ordenanças.

Brasil em destaque

O Brasil é citado como uma das principais regiões do mundo onde a Igreja teve que rever sua política racial, dada a miscigenação de seus membros:

O Brasil, em particular, apresentou muitos desafios. Ao contrário dos Estados Unidos e África do Sul, onde o racismo de facto e jurídico levou a sociedades profundamente segregadas, o Brasil se orgulhava de sua herança racial aberta, integrada e mista. Em 1975, a Igreja anunciou que um templo seria construído em São Paulo, Brasil. Quando a construção do templo começou, as autoridades da Igreja encontraram fiéis mórmons negros e de ascendência mestiça que contribuíram financeiramente e de outras formas para a construção do templo de São Paulo, um santuário onde eles perceberam que não seria permitida sua entrada (…). Seus sacrifícios, bem como as conversões de milhares de nigerianos e ganenses na década de 1960 e início de 1970, tocaram os líderes da Igreja.

Teorias rejeitadas

Outra importante informação da nova página é de que a Igreja atualmente rejeita as teorias racistas sobre os negros ou qualquer outro grupo humano:

Hoje, a Igreja rejeita as teorias avançadas no passado que a pele negra é um sinal de desagrado divino ou maldição, ou que reflete ações de uma vida pré-mortal, que os casamentos inter-raciais são um pecado, ou que negros ou pessoas de qualquer outra raça ou etnia são inferiores (…). Os líderes da Igreja hoje, inequivocamente, condenam todo o racismo, passado e presente, em qualquer forma.

Cabe lembrar que no ano passado, um professor da BYU defendeu, em declarações ao jornal Washington Post, o banimento como uma “proteção” para que os negros não fizessem mal uso do sacerdócio. Aparentemente, houve uma mudança na política racial sud, sem que houvesse uma mudança igualmente substancial na doutrina sobre linhagens.

Progresso

A página “Raça e o Sacerdócio” faz parte de uma nova série de páginas abordando temas considerados controversos, como a definição de mórmons como cristãos e dois temas históricos – os diferentes relatos da Primeira Visão e o casamento plural. Tais iniciativas acompanham a tendência recente de frear um pouco os apologistas mais radicais e oferecer uma maior abertura de registros históricos. O esforço de tratar o tema dos negros no passado mórmon através de fatos e sem apologia representa um importante passo na historiografia da Igreja. Também abre caminho para a compreensão de que líderes da Igreja podem ser influenciados pelo seu contexto cultural. Resta saber como tal discurso chegará às capelas e publicações de uso frequente dos membros ao redor do mundo.


Atualização: no final de dezembro de 2014, o ensaio foi publicado em português como  título As Etnias e o Sacerdócio. Em 09 de janeiro de 2015, o título havia sido mudado para Ordenação ao sacerdócio antes de 1978. Em 27 de março de 2015, constatamos que o título havia sido novamente mudado para As Etnias e o Sacerdócio. A Presidência da Área Brasil, na opinião deste autor, tem visões muito peculiares sobre tradução.

Leia também: professor é desobrigado da da Escola Dominical após usar textos oficiais sobre negros e o sacerdócio.

178 comentários sobre “Raça e Sacerdócio: publicação oficial da Igreja aborda fatos antes ignorados

  1. Erro normal dos profetas. Assim como Pedro queria negar a pregação aos gentios. Brigou com Paulo. Depois Deus revelou a Pedro, dando-lhe uma dura.

    • Ou Paulo é que queria “inventar moda”?
      Mateus 15.
      21. Partindo dali, Jesus foi para a região de Tiro e Sidônia.
      22. Uma mulher cananeia, vinda daquela região, pôs-se a gritar: “Senhor, filho de Davi, tem compaixão de mim: minha filha é cruelmente atormentada por um demônio!”
      23. Ele não lhe respondeu palavra alguma. Seus discípulos aproximaram-se e lhe pediram: “Manda embora essa mulher, pois ela vem gritando atrás de nós”.
      24. Ele tomou a palavra: “Eu fui enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel”.
      25. Mas a mulher veio prostrar-se diante de Jesus e começou a implorar: “Senhor, socorre-me!”
      26. Ele lhe disse: “Não fica bem tirar o pão dos filhos para jogá-lo aos cachorrinhos”.
      27. Ela insistiu: “É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos!”
      28. Diante disso, Jesus respondeu: “Mulher, grande é tua fé! Como queres, te seja feito!” E a partir daquela hora, sua filha ficou curada.

      Ou seja, Jesus foi enviado SOMENTE ÀS OVELHAS PERDIDAS DA CASA DE ISRAEL e Ele deu uma “esmola” para ela, já que ela tinha muita fé, mas SÓ ISSO!

  2. Agora to confusa profeta errar em uma doutrina acho isso inaceitável,por que o Espirito Santo ensina a verdade sobre todas as coisas ou seja se ele errou nisso não havia Espirito Santo.

    • Sandra, compreendo sua perplexidade. É muito forte na cultura da Igreja a ideia de que o presidente da Igreja ou as demais autoridades gerais não erram em nenhum momento. Mas dificilmente você encontrará essa ideia de infabilidade nas escrituras sud ou mesmo em declarações oficiais desses mesmos líderes. Sobre o papel do Espírito Santo, eu faria a seguinte pergunta: eu e você também podemos ter a administração do Espírito Santo, por que erramos?

      • Ué, mas no caso do profeta, o próprio Deus não se dirige a ele? Não ouve do Próprio Jeová?

    • O unico ser perfeito foi Jesus Cristo, todos os outros estao sujeitos a cometer erros e o Senhor entende que seus filhos aqui na terra sao mortais e imperfeitos mas e atraves deles que o Senhor realiza suas obras. Devemos agradecer pelos servos de Deus apoiar los mas tambem devemos buscar a orientacao do Espirito e nao depender totalmente neles, o Senhor espera que todos recebam sua palavra atraves do Espirito Santo, outro aspecto importante a entender e que o Espirito revela a verdade mas nos somos imperfeitos e podemos errar, Quando Jesus visitou os Nefitas apos sua ressureicao ele comecou a ensinar o povo e verificou os registros dos Nefitas e tao logo percebeu que Nefi havia esquecido de registrar sobre a ressureicao de outras pessoas como ele havia instruido atraves do Espirito, Nefi percebeu o erro e o Senhor o pediu para corrigir o registro, Moroni tambem lamentou sua fraqueza em escrever as palavras recebidas pelo Espirito e se preocupou que os Gentios nos Ultimos dias( Nos) que seriam instruidos e que teriam nivel de estudo avancado iria debochar de suas palavras escritas mas o Senhor o confortou dizendo que os sabios receberiam suas palavras com gratidao.Tudo isso para mim me da conforto em saber que o Pai Celestial nos ama e entende nossas fraquezas e tem um desejo grande de nos perdoar e nos ajudar a progredir nessa vida, ele esta sempre nos amparando nao devemos temer e sim confiar nele, devemos tambem ter mais caridade por nossos irmaos aqui na terra, devemos olhar todas as pessoas com compaixao e caridade mesmo aqueles que parecem estar perdidos no mundo, o Senhor sabe das dificuldades da vida mortal, ele ja sabia antes do mundo ser criado por isso ele preparou seu plano e enviou Jesus Cristo seu filho perfeito para redimir a humanidade, se estudarmos as escrituras podemos ver que a maioria da humanidade sera redimida da queda e recebera uma heranca no reino Celestial, poucos sao os que serao condenados eternamente, temos motivos para sermos felizes mesmo diante de dificuldades.

      • Jesus Cristo veio a terra justamente para justificar nossos erros, nao sei o que vc quer dizer com o seu comentario, Mas Deus tem muito mais amor e paciencia do que a maioria das pessoas acreditam, Os Profetas no velho testamento cometeram muitos erros e ate Davi que cometeu dois pecados gravissimos O Senhor o prometeu que ele nao iria sofrer eternamente, No novo testamento vemos dezenas de exemplos em que os Apostolos cometeram erros e pecados e ate Pedro sendo o mais fiel dos Apostolos chegou a negar o Salvador e mesmo assim Jesus continuou a chama-lo para o Apostolado e Presidencia de sua Igreja na epoca. Sua pergunta me parece sem fundamento.

      • Perdão, não vejo como você. Pra mim Jesus nunca veio para justificar erro de ninguém e sim para ensinar a alguns e re-ensinar a outros a amar a um único Deus(que não seria ele próprio) e amar ao próximo como a ti mesmo. Uma coisa são os Profetas errarem(Pedro negando Jesus entre outros erros), outra coisa são eles dizerem que estão propagando o que Deus quer, colocando seus “achismos” na boca do Eterno, fazendo-se Deus. Amor e paciência não significa perdão, significa justiça. Assim mostro o fundamento de meu argumento.

      • Se Jesus tivesse vindo somente para ensinar nao seria necessario todo o sofrimento no Gethesemane ou sua morte na cruz, de fato ele pagou nossos pecados e justificou nossa queda perante o Pai. Quando cometemos pecados estamos sujeito a Justica de Deus mas quando arrependemos Jesus interfere com o Pai para nos perdoarmos, o ato de justificacao inclui o Sacrificio de Cristo e a nossa condicao caida, falta de conhecimento perfeito, fraqueza da carne, a maneira que fomos criados, influencia do mundo, influencia do inimigo etc… assim como em uma corte um advogado de defesa vai usar todos esses argumentos para ajudar absolver um condenado porem Jesus faz sem roubar a Justica.

      • Como disse, não vejo como você. Jesus sofreu? Quem não sofre? Os ladrões na cruz também sofreram. (e quanto a ele ter suado sangue, exagero ou não, isso só demonstra que ele estava muito ferido, ver ligação entre isso e o motivo dele pagar nossos pecados, é interpretação cristã(leia-se Paulo de Tarso).
        Vamos ver o que o Altíssimo quer?
        “Da falsa acusação te afastarás; não matarás o inocente e o justo, porque não justificarei o ímpio.” Exodo 23:7
        Ué, o grande plano de Deus para a humanidade não era derramar sangue inocente para justificar o ímpio?
        “para que o sangue inocente se não derrame no meio da tua terra que o SENHOR, teu Deus, te dá por herança, pois haveria sangue sobre ti.” Deuteronomios 19:10.
        Deuteronomios (acredita-se que foi escrito por Moises) diz que haveria uma maldição sobre Israel se sangue inocente fosse derramado em israel. Então, é maldição ou é salvação que vem pelo derramamento de sangue inocente?
        Veja, discutindo com os fariseus sobre a licitude de se colher para comer no sábado, Jesus explica que nem tudo era tão rigoroso e declara que os judeus ao serem tão rigorosos acabavam por derramar sangue inocente. E para dizer isso, Jesus argumenta com o que se imagina estar em comunhão com o desejo de Deus:
        “Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero e não holocaustos, não teríeis condenado inocentes.” Mateus 12:7
        Se eles soubesse que Deus não quer holocausto… Hum. agora complicou! Para o cristianismo Deus quis sim um sacrifício e condenou sangue inocente. Inclusive isso seria o maior plano de Deus. “Holocausto quero e condenar um inocente”, esta deveria ser a frase ratificando o que diz o cristianismo.
        “Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos.” Oseas 6:6
        “Pois não te comprazes em sacrifícios; ( do contrário, eu tos daria; e não te agradas de holocaustos. Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus.” Salmos 51:16,17
        Contrário a isso foi o sacrifício de sangue que, por fim, Ele escolheu para fundar sua nova religião. Será?
        Leiamos: Salmos 40:6,7,8
        “Sacrifícios e ofertas não quiseste; abriste os meus ouvidos; holocaustos e ofertas pelo pecado não requeres. Então, eu disse: eis aqui estou, no rolo do livro está escrito a meu respeito; agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.”
        É isso que ensina Paulo de Tarso quando diz que Deus preparou um holocausto e uma oferenda pelo pecado para que o mundo se livrasse do julgo da lei? “holocaustos e ofertas pelo pecado não requeres.” Ah, requeres sim, né?
        Mas vocês podem dizer que isso tudo é o sacrifício de animais no templo e não o sacrifício de Jesus. Mas quem inventou isso de sacrifício de Jesus foi Paulo de Tarso e ele disse que Jesus morreu segundo a tradição dos judeus como um cordeiro imaculado. Portanto Jesus teria morrido como um sacrifício, um sacrifício que Deus afirmou e reafirmou não aceitar e que é superado por crer e obedecer ao Eterno.
        Segundo a bíblia, um escriba judeu perguntou a Jesus o que era o principal na sua mensagem.“Respondeu Jesus: O principal é: Ouve, ó israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor!” Marcos 12:30
        Caramba, eu achei que Jesus diria “o principal é que creiam em mim como senhor e salvador e serás lavado no sangue bla bla bla”. Esqueceram de ensinar o cristianismo a Jesus!
        Jesus falou que Deus é único (e essa é a grande mensagem de Jesus) e o que o escriba falou em seguida?
        “Disse-lhe o escriba: Muito bem, mestre (professor), e com verdade disseste que Ele é o único, e não há outro senão Ele, e quem amar a Deus de todo o coração e de todo o entendimento e de toda a força, e amar ao próximo como a si mesmo excede a todos os holocaustos e sacrifícios.” Marcos 12:32-33
        Jesus disse logo depois: “Não, não excede o holocausto do cordeiro de Deus, esse sim tirará o pecado do mundo.”Ops, Jesus não falou isso. Não ta na bíblia.
        “Vendo Jesus que ele havia respondido sabiamente, declarou-lhe: Não estás longe do reino de Deus. E já ninguém mais ousava interrogá-lo.” Marcos 12:34
        Não havia mais nada a ser dito, nenhuma pergunta e nenhuma resposta foi tão importante quanto essa, então todos se calaram. Excede todo holocausto? e a morte de Jesus pela salvação da humanidade? Seria uma crueldade inútil pois nem motivo havia.
        Não há limites para o Eterno, porém, Coerentíssimo e Sapientíssimo são dois dos seus nomes. E se Ele diz: “não sacrifiquem seus filhos, não matem inocentes pois eu não justificarei o ímpio” e logo depois ele sacrifica o próprio filho para justificar o ímpio, então, ou Deus se contradiz e deixa de ser sábio e coerente ou a estorinha de Paulo é balela.
        O Altíssimo envia Jesus para reafirmar “se soubessem o que significa ‘misericórdia quero e não sacrifícios’ não terias matado inocentes” e depois só perdoa a humanidade depois de um sacrifício de um inocente?
        Ele envia Jesus para dizer “O mais importante é seguir ao Eterno, a devoção sincera a Deus e a empatia para com o próximo e isso excede todos os holocaustos e sacrifícios” E de repente a sua nova religião é trinitarista e há um sacrifício que excede tudo?

      • Querido, continua errando constrangedoramente, a doutrina da expiação é conhecida desde o velho testamento veja: Números 15:28 : w’khiPer haKohën al-haNefesh haSHogeget B’che†’äh vish’gägäh lif’nëy y’hwäh l’khaPër äläyw w’niš’lach lô. . Isto está em hebraico transliterado… Está escritura sagrada diz que o sacerdote fará expiação por aquele que pecar por ignorância… Aqui a palavra ignorância é usada para separar dos que pecam com conhecimento… Que neste caso teriam “uma expiação digamos mais complicada (as vezes não teriam)… E 1 Cronicas 16:40 diz: l’haálôt olôt layhwäh al-miz’Bach häoläh Tämiyd laBoqer w’läärev ûl’khäl-haKätûv B’tôrat y’hwäh ásher tziûäh al-yis’räël. Diz para oferecer holocaustos ao Senhor CONTINUAMENTE… Voltemos ao problemas dos ignorantes e dos não ignorantes… Pecadores não ignorantes são chamados nas escrituras de ingênuos, tolos ou de zombadores porque eles subvertem deliberadamente as escrituras… Veja Provérbios 1:22 ad-mätay P’täyim T’ëhávû fetiy w’lëtziym lätzôn chäm’dû lähem ûkh’šiyliym yis’n’û-däat… A promessa para os zombadores não é muito desejável… Nem para os tolos ou ingênuos.

      • Silvio,
        Antes de dizer que errei “constrangedoramente”, você deveria ser mais humilde e honesto intelectualmente e colocar o contexto de Números 15. Como não gosto de jogar sujo, com interpretações baseadas em apenas UM versículo, vou lhe ajudar:
        1 O Senhor disse a Moisés:
        2 “Diga o seguinte aos israelitas: Quando entrarem na terra que dou a vocês para sua habitação
        3 e apresentarem ao Senhor uma oferta, de bois ou de ovelhas, preparada no fogo como aroma agradável ao Senhor, seja holocausto, seja sacrifício, para cumprir um voto ou como oferta voluntária ou como oferta relativa a uma festa,
        4 aquele que trouxer a sua oferta apresentará também ao Senhor uma oferta de cereal de um jarro da melhor farinha amassada com um litro de óleo.
        5 Para cada cordeiro do holocausto ou do sacrifício, prepare um litro de vinho como oferta derramada.
        6 “Para um carneiro, prepare uma oferta de cereal de dois jarros da melhor farinha com um litro de óleo,
        7 e um litro de vinho como oferta derramada. Apresente-a como aroma agradável ao Senhor.
        8 “Quando algum de vocês preparar um novilho para holocausto ou para sacrifício, para cumprir voto especial ou como oferta de comunhão ao Senhor,
        9 traga com o novilho uma oferta de cereal de três jarros da melhor farinha amassada com meio galão de óleo.
        10 Traga também meio galão de vinho para a oferta derramada. Será uma oferta preparada no fogo, de aroma agradável ao Senhor.
        11 Cada novilho ou carneiro ou cordeiro ou cabrito deverá ser preparado dessa maneira.
        12 Façam isso para cada animal, para tantos quantos vocês prepararem.
        13 “Todo o que for natural da terra deverá proceder dessa maneira quando trouxer uma oferta preparada no fogo, de aroma agradável ao Senhor.
        14 E, se um estrangeiro que vive entre vocês, ou entre os descendentes de vocês, apresentar uma oferta preparada no fogo, de aroma agradável ao Senhor, deverá fazer o mesmo.
        15 A assembleia deverá ter as mesmas leis, que valerão tanto para vocês como para o estrangeiro que vive entre vocês; este é um decreto perpétuo pelas suas gerações, que, perante o Senhor, valerá tanto para vocês quanto para o estrangeiro residente.
        16 A mesma lei e ordenança se aplicará tanto a vocês como ao estrangeiro residente”.
        17 O Senhor disse ainda a Moisés:
        18 “Diga aos israelitas: Quando vocês entrarem na terra para onde os levo
        19 e comerem do fruto da terra, apresentem uma porção como contribuição ao Senhor.
        20 Apresentem um bolo feito das primícias da farinha de vocês. Apresentem-no como contribuição da sua colheita.
        21 Em todas as suas gerações vocês apresentarão das primícias da farinha uma contribuição ao Senhor.
        Sacrifícios por culpa involuntária
        22 “Mas, se vocês pecarem e deixarem de cumprir todos esses mandamentos
        23 – tudo o que o Senhor ordenou a vocês por meio de Moisés, desde o dia em que o ordenou e para todas as suas gerações –
        24 e, se isso for feito sem intenção e não for do conhecimento da comunidade, toda a comunidade terá que oferecer um novilho para o holocausto de aroma agradável ao Senhor. Também apresentarão com sua oferta de cereal uma oferta derramada, conforme as prescrições, e um bode como oferta pelo pecado.
        25 O sacerdote fará propiciação por toda a comunidade de Israel, e eles serão perdoados, pois o seu pecado não foi intencional e eles trouxeram ao Senhor uma oferta preparada no fogo e uma oferta pelo pecado.
        26 A comunidade de Israel toda e os estrangeiros residentes entre eles serão perdoados, porque todo o povo esteve envolvido num pecado involuntário.
        27 “Se, contudo, apenas uma pessoa pecar sem intenção, ela terá que trazer uma cabra de um ano como oferta pelo pecado.
        28 O sacerdote fará propiciação pela pessoa que pecar, cometendo uma falta involuntária perante o Senhor, e ela será perdoada.
        29 Somente uma lei haverá para todo aquele que pecar sem intenção, seja ele israelita de nascimento, seja estrangeiro residente.
        30 “Mas todo aquele que pecar com atitude desafiadora, seja natural da terra, seja estrangeiro residente, insulta o Senhor, e será eliminado do meio do seu povo.
        31 Por ter desprezado a palavra do Senhor e quebrado os seus mandamentos, terá que ser eliminado; sua culpa estará sobre ele”

        Resumindo, Deus está falando sobre como deve ser feito(todas as regras ritualísticas) holocaustos de animais para tirar os pecados da comunidade de Israel e se houver estrangeiro entre eles. SÓ ISSO! Jesus nem entra aqui! Eles nem sabíam de Jesus. Não se aplica aqui o “sacrificio expiatório de Jesus” em momento algum. É querer encaixar o novo testamento em um versículo onde o contexto não fala dele!

        Outra. Crônicas 16:40 diz(eu ia colocar o contexto aqui, mas o post ficaria maior do que já está, então leiam em suas biblias):
        40 para, regularmente, de manhã e à tarde, apresentarem holocaustos no altar de holocaustos, de acordo com tudo o que está escrito na Lei do Senhor, que ele deu a Israel. (de manhã e a tarde regularmente ou continuamente), e você quis dizer o quê com isso? O que isso prova do “sacrificio de Jesus”? Aqui só mostra que os sacerdotes de Jeová tinham seus “afazeres sagrados” díarios, pelos 2 turnos, SÒ! Nada de Jesus aqui! A não ser que esse Jesus seja um animal, ou vão inventar que os sacerdotes falavam em parábolas?

        Quanto a Proverbio 1:22, também não vi correlação com Jesus, é apenas uma admoestação.

      • sinto muito más nesse você errou sim constrangedoramente ao se referir ao sacrificil do Senhor, “sofreu ? quem não sofre?” eu estava lendo vossos debates e quando me deparei com essa sua frase sinceramente foi o fim para mim, por que a unica coisa que vi é, um cara que acha que entende de algo e não conhece o minimo sobre o sacrificil expiatório ? errou constrangedoramente com direito a vergonha alheia.

    • Se o Profeta agiu de maneira errada, com certeza agiu por vontade própria, talvez, por motivos pessoais, e não por INSPIRAÇÃO DO ESPIRITO SANTO.
      Assim como outras Igrejas já se retrataram, é dever da Igreja SUD também se retratar sobre os erros cometidos no passado.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.