Ezra Benson: Obediência Cega

Mórmons são institucionalmente estimulados à obediência cega a seus líderes eclesiásticos.

Mórmons são ensinados que obediência é a “primeira lei do céu” e, portanto, o princípio mais importante de sua religião. Membros da Igreja SUD devem ignorar suas próprias consciências, seus instintos e seu julgamento pessoal e apenas obedecer o Presidente da Igreja sem hesitação ou questionamento.

Tome, por exemplo, essa lição oferecida pelo Profeta Heber Grant que explicou que devemos obedecer o Profeta mesmo quando nos pede para fazer algo errado, ou esse ensinamento publicado pela Igreja SUD para seus membros que estipula que não devemos pensar por nós mesmos, apenas obedecer.

Ezra Taft Benson, 13o Presidente da Igreja, ensinou que a Constituição dos EUA é um documento divino e que se deve obedecer ao Profeta cegamente sem nunca questioná-lo.

Contudo, poucos líderes ousaram explorar esse preceito tão explicitamente quanto Ezra Taft Benson.

Benson proferiu um discurso em um serão para alunos da BYU em fevereiro de 1980, quando era o primeiro na linha de sucessão para um Presidente Spencer Kimball já enfêrmo e debilitado. O discurso, entitulado  ‘14 Princípios Fundamentais Para Seguir O Profeta‘ foi publicado e distribuído em formatos impresso, áudio e vídeo por toda Igreja, tornando-se um clássico Mórmon instantâneo. Na atualidade, o discurso é frequentemente citado em manuais da Igreja SUD e em Conferências Gerais (o Cláudio Costa é fã).

Eis os 14 princípios que resumem os pontos principais do discurso de Benson:

Em conclusão vamos resumir esta grande chave, estes “Quatorze Princípios Fundamentais para Seguir o Profeta”, pois a nossa salvação depende deles.

1. O Profeta é o único homem que fala pelo Senhor em tudo.

2. O Profeta vivo é mais importante para nós do que as obras-padrão.

3. O Profeta vivo é mais importante para nós do que um profeta morto.

4. O Profeta nunca fará a Igreja se desviar.

5. O Profeta não precisa de nenhum treinamento específico ou de credenciais terrenos para falar sobre qualquer assunto ou agir em qualquer assunto a qualquer momento.

6. O Profeta não precisa dizer “assim diz o Senhor” para nos dar uma escritura.

7. O Profeta nos diz o que precisamos saber, nem sempre o que queremos saber.

8. O Profeta não se limita à razão humana.

9. O Profeta pode receber revelação sobre qualquer assunto, temporal ou espiritual.

10. O Profeta pode aconselhar sobre questões cívicas.

11. Os dois grupos que têm a maior dificuldade em seguir o Profeta são os orgulhosos que são doutos e os orgulhosos que são ricos.

12. O Profeta não será necessariamente popular com o mundo ou o mundano.

13. O Profeta e seus conselheiros constituem a Primeira Presidência – o quórum mais elevado da Igreja.

14. O Profeta e a Presidência – o Profeta vivo e a Primeira Presidência – siga-os e será abençoado – rejeite-os e sofrerá.

Eis o discurso na íntegra:

Quatorze Princípios Fundamentais para Seguir o Profeta

Meus amados irmãos e irmãs. Estou honrado de estar em sua presença hoje. Você alunos são uma parte de uma escolha geração jovem-a geração que poderia testemunhar o retorno do Senhor.

Não apenas a Igreja crescendo em número, hoje, ela está crescendo em fidelidade e, ainda mais importante, a nossa geração mais jovem, como um grupo, é ainda mais fiel do que a geração mais velha. Deus os reservou para a última hora – o grande e terrível dia do Senhor (D&C 110:16). Será sua responsabilidade não só ajudar a carregar o reino ao triunfo, mas salvar sua própria alma e se esforçar para salvar as de sua família e honrar os princípios da inspirada constituição dos Estados Unidos.

Para ajudá-lo a passar os testes cruciais que tem pela frente, eu estou lhes dando hoje vários aspectos de uma grande chave que, se você a honrar, ela irá coroá-lo com a glória de Deus e trazê-lo vitorioso, apesar da fúria de Satanás.

Em breve estaremos honrando nosso profeta em seu 85º aniversário. Como uma Igreja, cantamos o hino “Graças Damos, Ó Deus, por um Profeta” (Hino no. 196). Aqui, então, está a grande chave – Siga o profeta – E aqui estão os catorze princípios fundamentais para seguir o Profeta, o Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Primeiro: O Profeta é o único homem que fala pelo Senhor em tudo.

Na seção 132 versículo 7 de Doutrina e Convênios [D&C 132:7] o Senhor fala do Profeta – o Presidente – e diz:

“[N]unca há mais que um, na Terra, ao mesmo tempo, a quem esse poder e as chaves desse sacerdócio são conferidas.”

Em seguida, na seção 21 versículos 4-6 [D&C 21: 4-6], o Senhor afirma:

“Portanto, vós, ou seja, a igreja, dareis ouvidos a todas as palavras e mandamentos que ele vos transmitir à medida que ele os receber, andando em toda santidade diante de mim; Pois suas palavras recebereis como de minha própria boca, com toda paciência e fé. Porque, assim fazendo, as portas do inferno não prevalecerão contra vós…”

Segundo: O Profeta vivo é mais importante para nós do que as obras-padrão.

O Presidente Wilford Woodruff relata um incidente interessante que ocorreu nos dias do Profeta Joseph Smith:

“Vou me referir a uma determinada reunião que participei na cidade de Kirtland em meus primeiros dias. Nessa reunião foram feitas algumas observações que foram feitas aqui hoje, no que diz respeito aos profetas vivos e em relação à Palavra de Deus escrita. O mesmo princípio foi apresentado, embora não tão amplamente como tem sido aqui, quando um homem de liderança na Igreja levantou-se e falou sobre o assunto, e disse: ‘Você tem a palavra de Deus a sua frente aqui na Bíblia, o Livro de Mórmon e a Doutrina e Convênios; você tem a Palavra de Deus escrita, e vocês que dão revelações devem dar revelações de acordo com os livros, como o que está escrito nesses livros é a palavra de Deus. Devemos limitar-nos a eles. ”

“Quando ele concluiu, o irmão Joseph virou-se para o irmão Brigham Young e disse: ‘Irmão Brigham, eu quero que você vá para o pódio e diga-nos a sua opinião no que diz respeito aos oráculos vivos e a palavra de Deus escrita.’ Irmão Brigham assumiu o posto, e ele tomou a Bíblia, e a colocou no púlpito; ele tomou o Livro de Mórmon, e o pôs no púlpito; e ele tomou o livro de Doutrina e Convênios, e o colocou no púlpito a sua frente, e ele disse: ‘Há a palavra de Deus escrita para nós, acerca da obra de Deus, desde o princípio do mundo, quase, até os nossos dias. E agora,’ continuou, ‘quando comparados com os oráculos vivos esses livros não são nada para mim; Esses livros não transmitem a palavra de Deus direta para nós agora, como fazem as palavras de um profeta ou um homem que carrega o santo sacerdócio em nossa época e geração. Eu preferiria ter os oráculos vivos do que toda a escrita nos livros.” Esse foi o curso que ele seguiu. Quando terminou, o irmão Joseph disse para a congregação; ‘Irmão Brigham vos disse a palavra do Senhor, e ele vos falou a verdade.’ “(Conference Report, outubro 1897, pp. 18-19).

Terceiro: O Profeta vivo é mais importante para nós do que um profeta morto.

A revelação de Deus a Adão não instruiu Noé a construir a arca. Noé precisava de sua própria revelação. Portanto, o profeta mais importante para agora, no que diz respeito a mim e a vocês, é o da nossa época e do nosso tempo, a quem o Senhor está revelando Sua vontade para nós. Portanto, a leitura mais importante que podemos fazer é qualquer uma das palavras do profeta contidas mensalmente em nossas revistas da Igreja. Nossas instruções sobre o que devemos fazer a cada seis meses são encontradas nos discursos da Conferência Geral, que são impressas na revista da Igreja.

Cuidado com aqueles que preferem os profetas mortos contra os profetas vivos, pois os profetas vivos sempre têm precedência.

Quarto: O Profeta nunca fará a Igreja se desviar.

O Presidente Wilford Woodruff declarou:

“Eu digo a Israel, o Senhor nunca me permitirá a mim, ou a qualquer outro homem que sirva como Presidente da Igreja, a fazer com que se percam. Não está no programa. Não está na mente de Deus. “(Discursos de Wilford Woodruff, pp. 212-13).

O Presidente Marion G. Romney relata este incidente que aconteceu com ele:

“Lembro-me de anos atrás, quando eu era Bispo e o Presidente Heber J. Grant iria discursar na nossa ala. Após a reunião, eu o dirigi para casa… Andando ao meu lado, ele colocou o braço sobre meu ombro e disse: ‘Meu filho, você sempre mantenha seus olhos fitos no Presidente da Igreja e se ele alguma vez lhe pedir para fazer qualquer coisa, e seja errado, e você o faça assim mesmo, o Senhor os abençoará por isso’. Então, com um brilho nos olhos, ele disse: ‘Mas você não precisa se preocupar. O Senhor nunca vai deixar seu porta-voz desencaminhar o povo. ‘”(Conference Report, Outubro 1960, p. 78.)

Quinto: O Profeta não precisa de nenhum treinamento específico ou de credenciais terrenos para falar sobre qualquer assunto ou agir em qualquer assunto a qualquer momento.

Às vezes, há aqueles que sentem que seus conhecimentos terrestres sobre um determinado assunto seja superior ao conhecimento celestial que Deus dá a seu profeta sobre o mesmo assunto. Eles acham que o profeta deva ter as mesmas credenciais terrenas ou a mesma formação que eles tiveram antes que eles aceitem qualquer coisa que o profeta tenha a dizer que poderia contradizer sua escolaridade terrena. Quanta escolaridade terrena tinha Joseph Smith? No entanto, ele deu revelações sobre todos os tipos de assuntos. Nós ainda não tivemos um profeta que tenha feito um doutorado em qualquer assunto. Nós encorajamos conhecimento terreno em muitas áreas, mas lembre-se que sempre que houver um conflito entre o conhecimento terreno e as palavras do profeta, você escolha o profeta e você será abençoado e o tempo irá mostrar-lhe ter feito a coisa certa.

Sexto: O Profeta não precisa dizer “assim diz o Senhor” para nos dar uma escritura.

Às vezes, há aqueles que discutem as palavras. Eles podem dizer que o profeta apenas no deu conselhos mas que não somos obrigados a segui-lo, a menos que ele diga explicitamente que é um mandamento. Mas o Senhor diz do Profeta, “…dareis ouvidos a todas as palavras e mandamentos que ele vos transmitir…” (D&C 21: 4.)

E por falar em tomar conselho do profeta, em D&C 108:1, o Senhor afirma:

“Em verdade, assim te diz o Senhor, meu servo Lyman: Perdoados são os teus pecados, porque obedeceste à minha voz e vieste aqui esta manhã para receber conselhos daquele que designei.”

Brigham Young disse: “Eu ainda nunca preguei um sermão e enviei-a para os filhos dos homens, que eles não possam chamar de escritura.” (Journal of Discourses, 13:95).

Sétimo: O Profeta nos diz o que precisamos saber, nem sempre o que queremos saber.

“Tu nos tens declarado coisas duras, mais do que somos capazes de suportar”, queixaram-se os irmãos de Néfi. Mas Néfi respondeu dizendo, (1 Ne 16: 1-2) “[O]s culpados consideram, portanto, a verdade dura, porque penetra-lhes até o âmago.”

Disse o Presidente Harold B. Lee:

“Você pode não gostar do que vem da autoridade da Igreja. Ele pode entrar em conflito com os seus pontos de vista políticos. Ele pode contradizer suas visões sociais. Pode interferir com alguns de sua vida social… A sua segurança e a nossa depende se vamos ou não seguir … Vamos manter o nosso olhar fito sobre o Presidente da Igreja.”(Conference Report, outubro 1970, pp. 152-153).

Mas é o profeta vivo que realmente perturba o mundo. “Mesmo na Igreja”, disse o Presidente Kimball, “muitos são propensos a decorar os túmulos dos profetas de ontem e apedrejam mentalmente os vivos.” (Instructor, 95:527)

Por quê? Porque o profeta vivo recebe o que precisamos saber agora, e o mundo prefere os profetas que estam mortos ou que se preocupam com seus próprios assuntos. Alguns dos chamados especialistas em ciências políticas querem que o profeta mantenha-se calado sobre política. Algumass pretensas autoridades sobre Evolução querem que o profeta mantenha-se calado sobre Evolução. E assim vai a lista.

Como nós respondemos às palavras de um profeta vivo quando ele nos diz o que precisamos saber, mas preferiríamos não ouvir, é um teste de nossa fidelidade.

Disse o Presidente Marion G. Romney, “É uma coisa fácil acreditar nos profetas mortos, mas é uma coisa ainda maior acreditar nos profetas vivos.” E então ele nos dá esta ilustração:

“Um dia, quando o presidente Grant ainda estava vivo, eu estava sentado no meu escritório em frente dele logo após uma conferência geral. Um homem veio me ver, um homem idoso. Ele estava muito chateado com o que havia sido dito nesta conferência por alguns dos irmãos, incluindo eu mesmo. Eu poderia dizer que a partir de seu sotaque que ele viera de uma terra estrangeira. Depois que eu o tinha acalmado o suficiente para que ele pudesse ouvir, eu disse, ‘Por que você veio para a América?’ ‘Estou aqui porque um profeta de Deus disse-me para vir.’ ‘Quem era o profeta?’ eu continuei. ‘Wilford Woodruff.’ ‘Você acredita que Wilford Woodruff era um profeta de Deus?’ ‘Sim, senhor.’

‘Então veio a pergunta sessenta e quatro dólares, ‘Você acredita que Heber J. Grant é um profeta de Deus?’ Sua resposta: ‘Eu acho que ele deveria manter a boca fechada sobre assistência para idosos.’

‘Agora eu vou dizer-lhe que esse homem nessa posição está no caminho para a apostasia. Ele está perdendo as suas chances para a vida eterna. Assim é com todo aquele que não consegue seguir o profeta vivo de Deus.” (Conference Report, abril 1953, p. 125.)

Oitavo: O Profeta não se limita à razão humana.

Haverá momentos em que você terá que escolher entre a revelação de Deus e o raciocínio dos homens – entre o profeta e o professor. Disse o Profeta Joseph Smith:

“Tudo o que Deus requer é justo, não importa o que seja, embora não possamos ver a razão do mesmo até muito tempo depois que os eventos ocorreram.” (Scrapbook de Literatura Mórmon, vol. 2, p. 173).

Será que parece razoável para um oftalmologista ser ordenado a curar um cego cuspindo no chão, fazendo argila e aplicando-o aos olhos do homem e, em seguida, dizendo-lhe para lavar em uma piscina contaminada? No entanto, é precisamente este o caminho que Jesus tomou com um homem, e ele foi curado. (Ver João 9: 6-7) Por acaso é razoável curar lepra fazendo um homem lavar-se sete vezes em determinado rio, mas este é precisamente o que o profeta Eliseu disse para um leproso fazer, e ele foi curado. (Ver 2 Rs. 5)

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos do que seus pensamentos “(Is. 55: 8-9).

Nono: O Profeta pode receber revelação sobre qualquer assunto, temporal ou espiritual.

Brigham Young disse:

“Alguns dos homens que lideravam em Kirtland fizeram muita oposição a Joseph, o Profeta, por ele mexer com assuntos temporais…

“Em uma reunião pública dos Santos, eu disse: ‘Ó Élderes de Israel, … será que alguns de vocês poderiam traçar a linha de demarcação entre o espiritual e temporal no reino de Deus, para que eu possa compreendê-lo?” Nenhum deles conseguiu fazê-lo …

“Eu desafio qualquer homem na terra a apontar o caminho que um Profeta de Deus deve seguir, ou apontar o seu dever, e quão longe ele deve ir, em ditar as coisas temporais ou espirituais. Coisas temporais e espirituais são inseparavelmente ligados, e sempre será “(Journal of Discourses, 10:. 363-64).

Décimo: O Profeta pode aconselhar sobre questões cívicas.

Quando um povo é justo, eles querem os melhores para liderá-los no governo. Alma era o chefe da Igreja e do governo no Livro de Mórmon; Joseph Smith foi prefeito de Nauvoo e Brigham Young foi governador de Utah. Isaías estava profundamente envolvido em dar conselhos sobre questões políticas e de suas palavras o próprio Senhor disse: “Grandes são as palavras de Isaías”. (3 Né. 23: 1.)

Décimo primeiro: Os dois grupos que têm a maior dificuldade em seguir o Profeta são os orgulhosos que são doutos e os orgulhosos que são ricos.

O estudado pode sentir que o profeta só é inspirado quando concorda com eles, caso contrário, o profeta está apenas dando sua opinião como um homem. Os ricos podem sentir que não têm necessidade de tomar o conselho de um profeta humilde.

No Livro de Mórmon, lemos:

“Oh! Quão astuto é o plano do maligno! Oh! A vaidade e a fraqueza e a insensatez dos homens! Quando são instruídos pensam que são sábios e não dão ouvidos aos conselhos de Deus, pondo-os de lado, supondo que sabem por si mesmos; portanto, a sua sabedoria é insensatez e não lhes traz proveito. E eles perecerão.

Mas é bom ser instruído, se ouve-se aos conselhos de Deus.

E a quem quer que bata, ele abrirá; e os sábios e os instruídos e os ricos que são orgulhosos de seu conhecimento e de sua sabedoria e de suas riquezas — sim, estes são os que ele despreza; e a menos que se despojem de todas estas coisas e considerem-se insensatos diante de Deus e humilhem-se profundamente, ele não lhes abrirá.” (2 Ne 9: 28-29, 42; grifo do autor).

Décimo segundo: O Profeta não será necessariamente popular com o mundo ou o mundano.

Conquanto o profeta revela a verdade, divide as pessoas. Os sinceros de coração dão atenção às suas palavras, mas os injustos ou ignoram o profeta ou lutam contra ele. Quando o profeta aponta os pecados do mundo, o mundano quer fechar a boca do profeta, ou então agir como se o profeta não existisse, em vez de se arrepender de seus pecados. Popularidade não é um teste de verdade. Muitos profetas foram mortos ou expulsos. Ao chegarmos mais perto da segunda vinda do Senhor, você pode esperar que, como as pessoas do mundo se tornarão mais maus, o profeta será cada vez menos popular com eles.

Décimo terceiro: O Profeta e seus conselheiros constituem a Primeira Presidência – o quórum mais elevado da Igreja.

Em Doutrina e Convênios o Senhor se refere à Primeira Presidência como “o mais alto conselho da Igreja” (D&C 107:80) e diz “quem me recebe, recebe aqueles, a Primeira Presidência, a quem enviou…” (D&C 112:20).

Décimo quarto: O Profeta e a Presidência – o Profeta vivo e a Primeira Presidência – siga-os e será abençoado – rejeite-os e sofrerá.

O Presidente Harold B. Lee relaciona este incidente da história da Igreja:

“A história é contada nos primeiros dias da Igreja, particularmente, acho que em Kirtland, Ohio, onde alguns dos irmãos dirigentes nos conselhos presidentes da Igreja se reuniram secretamente e tentaram um esquema de como eles poderiam se livrar da liderança do Profeta Joseph. Eles cometeram o erro de convidar Brigham Young a uma dessas reuniões secretas. Ele os repreendeu, depois de ter ouvido o propósito de sua reunião. Isso é parte do que ele disse: ‘Você não pode destruir a nomeação de um profeta de Deus, mas você pode cortar o fio que liga você ao profeta de Deus, e se afundar até o inferno’.”(Conference Report, abril 1963, p. 81)

Em uma conferência geral da Igreja, o Presidente N. Eldon Tanner afirmou:

“O Profeta falou claramente na sexta-feira de manhã, dizendo-nos quais são as nossas responsabilidades …

Um homem me disse depois: ‘Você sabe, há pessoas em nosso estado que acreditam em seguir o Profeta em tudo o que acha que está certo, mas quando é algo que acho que não está certo, e isso não acontece lhes parece atraente, então muda tudo.’ Ele disse, ‘Então eles se tornam seus próprios profetas. Eles decidem o que o Senhor quer e o que o Senhor não quer.

Eu pensei o quão verdadeiro, e quão sério é, quando começamos a escolher qual dos convênios, qual dos mandamentos vamos manter e seguir, estamos tomando a lei do Senhor em nossas próprias mãos e nos tornando nossos próprios profetas, e acreditem, estaremos enganados, porque somos falsos profetas para nós mesmos quando não seguimos o Profeta de Deus. Não, nunca devemos discriminar entre estes mandamentos, escolhendo aqueles que devemos e os que não devemos guardar.” (Conference Report, outubro 1966, p. 98)

“Olhe para a Presidência e receba instrução”, disse o Profeta Joseph Smith. (Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p 161) Mas Almon Babbitt não queria, e em Doutrina e Convênios, seção 124, versículo 84 [D&C124:84], o Senhor afirma:

“E quanto a meu servo Almon Babbit: Há muitas coisas que não me agradam; eis que ele aspira a estabelecer seu próprio conselho, em vez do conselho que decretei, sim, o da Presidência de minha Igreja…”

Em conclusão vamos resumir esta grande chave, estes “Quatorze Princípios Fundamentais para Seguir o Profeta”, pois a nossa salvação depende deles.

1. O Profeta é o único homem que fala pelo Senhor em tudo.

2. O Profeta vivo é mais importante para nós do que as obras-padrão.

3. O Profeta vivo é mais importante para nós do que um profeta morto.

4. O Profeta nunca fará a Igreja se desviar.

5. O Profeta não precisa de nenhum treinamento específico ou de credenciais terrenos para falar sobre qualquer assunto ou agir em qualquer assunto a qualquer momento.

6. O Profeta não precisa dizer “assim diz o Senhor” para nos dar uma escritura.

7. O Profeta nos diz o que precisamos saber, nem sempre o que queremos saber.

8. O Profeta não se limita à razão humana.

9. O Profeta pode receber revelação sobre qualquer assunto, temporal ou espiritual.

10. O Profeta pode aconselhar sobre questões cívicas.

11. Os dois grupos que têm a maior dificuldade em seguir o Profeta são os orgulhosos que são doutos e os orgulhosos que são ricos.

12. O Profeta não será necessariamente popular com o mundo ou o mundano.

13. O Profeta e seus conselheiros constituem a Primeira Presidência – o quórum mais elevado da Igreja.

14. O Profeta e a Presidência – o Profeta vivo e a Primeira Presidência – siga-os e será abençoado – rejeite-os e sofrerá.

Testifico que esses catorze fundamentos em seguir o profeta vivo são verdadeiras. Se queremos saber o quão bem nós estamos com o Senhor, então, vamos nos perguntar quão bem nós estamos com a Sua mortais capitão-how perto fazer nossas vidas em harmonia com ungiu-o vivendo Profeta-Presidente da Igreja do Senhor, e com o Quórum da Primeira Presidência.

Que Deus abençoe a todos nós a olhar para o Profeta e da Presidência nos dias críticos e cruciais à frente é a minha oração.

14 comentários sobre “Ezra Benson: Obediência Cega

  1. Que discurso mais manipulador.
    São esses tipos de lideres que levam as multidões a matarem em nome da fé.
    E esse tipo de Líder que incita seu povo a violência.
    E acreditar que um homem comum tem poder e devemos obediência a essa pessoa que leva a humanidade a realizar e defender as piores loucuras é insano demais.
    Como o Antônio citou em outro post, é o discurso mais “satânico” ja proferido.
    Lembro que na doutrina mórmon o principal fundamento para nascermos a primeiro mandamento era a escolha o Livre arbítrio e não obediência cega. Obediência cega era o Plano de Lúcifer para salvação.

    • Priscila, li o discurso do Pres. Benson várias vezes e meus olhos, minha mente e meu espírito não viram nada de manipulador e muito menos satânico!
      Aconselho você a ler com outros olhos que não seja os “olhos da critica”! Nossos líderes são seres humanos e como tal erram e dizem algumas coisas sem inspiração, mas dizer que é satânico e manipulador os ensinamentos do Pres. Benson é dizer estultice. Quero repetir o que o Pres. Marion G. Romney disse, (se isso te fizer refletir já é um progresso) Esse trecho é do próprio discurso em pauta. O Pres. Grant se referiu a um homem que foi vê-lo pois estava chateado com o que foi dito na conferencia. O Pres. Grant se expressa: “Agora eu vou dizer que este homem nesta posição está no caminho da apostasia”.
      Existe muita crítica neste mundo, atualmente é o que mais fazem. Quase ninguém produz, mas legiões criticam o que poucos produzem. Este site é um exemplo disso, porém gosto de ler as reportagens e principalmente os comentários postado e confesso que fico triste em ver que tem muitos engrossando essa corrente. Costumo dizer que no fim de tudo somente os que buscam conhecimento pelo estudo e também pela FÉ irão poder reconhecer a sutileza dos fenômenos que estão por vir.

  2. Quando eu me batizei na igreja o Profeta era o Presidente Benson e eu me lembro de uma circular que dizia que nenhum membro da igreja estava autorizado a pertencer a nenhuma sociedade que dentro de seus ensinos praticassem rituais como os do templo. alguns conhecidos que eram maçons na época ficaram em uma saia justa e alguns em obediência ao profeta saíram da ordem. realmente ele era assim mandava uma ordem e como membros a obediência deveria ser imediata.

  3. Eu não acredito em profetas como “super seres” .Todos nós somos profetas no âmbito de nossa esfera, trabalhando com o Senhor , todos no mesmo barco.Acredito do livre arbítrio e podemos sentir os frutos da obediência ou não ao profeta em nosso espírito e em nosso caráter.Temos que organizar a tríade de nossa alma EU x Profeta x Espírito Santo(Senhor). Buscar um equilíbrio e sentir a paz interior e aceitação por DEUS da obediência ou não do profeta. Tive uma reunião com a liderança e vou ser sincero…se eu tivesse numa posição diferente iria bater cabeça para defender o que eu achava certo.Mais importante de tudo é ter LUZ PRÓPRIA e Espírito de Revelação , isso é mais importante que todas as outras revelações.Pois os unos de Espírito que farão milagres , se sua revelação bateu com a do Profeta ótimo! Se não bateu escreva uma carta e vai a luta…Como eu já fiz várias vezes na igreja.E vou fazer sempre! Até eu morrer e até depois da morte! Aliás já to com uma pronta pra enviar.

  4. Esses são os homens “santos” que deus supostamente chama…….que Satânico! eles existem até hoje dentro da igreja sud.

  5. Concordo em gênero, número e grau com a irmã Priscila. A obediência cega a um líder tem sido responsável pelos mais trágicos episódios da experiência humana neste planeta, e não preciso mencioná-los pois já os conhecemos sobejamente. Por outro lado, quando o homem resolve raciocinar e seguir a sua própria consciência, herdada geneticamene e formada ao longo do processo educativo informal e formal, pode errar, sim, mas na maioria das vezes são erros afetos à sua própria vida, ou ao seu círculo mais imediato de relações, porém, mais importante, passíveis de correção. Arrisco-me a dizer que via de regra as decisões de cada um de nós tendem a ser muito mais sábias que aquelas originadas na cabeça de um líder, qualquer que seja ele. Aliás, minha opinião a respeito disso não se limita a líderes humanos, mas se estende ao próprio Deus: acho que como criaturas feitas à imagem e semelhança de Elohim, somente podemos nos tornar iguais a ele quando, ao invés de seguirmos suas ordens cegamente, exercitamos nosso intelecto e aplicamos, aí sim, o que ele nos legou não a título de ordens, mas de ensinamentos. Sou mesmo forçado a dizer que nosso sistema de pensamento, racional, lógico, objetivo, seja dedutivo ou indutivo, embora não perfeito, pode ser e frequentemente é mais adequado para resolver problemas da vida prática que aquilo que vem pelas escrituras ou pela boca de líderes religiosos. Vejamos alguns casos práticos: a) uma criança nasce com uma deformação física e nós, seus amorosos país, ao invés de nos conformarmos com aquilo que Deus nos deu e passarmos noites acordados orando para que ele seja curado, recorremos ao melhor da medicina para mudarmos os desígnios divinos, buscando a cura do filho; b) um criminoso invade a casa de nossa família disposto a roubar, estuprar e matar. Temos uma arma e, ao invés de clamarmos pela ajuda divina para levar o bandido embora, e inobstante o primeiro dos Dez Mandamentos, aproveitamos um descuido dele para apressar sua jornada para o inferno, salvando assim nossa família; c) um grupo de sírios recém-chegados ao Brasil bate à nossa porta pedindo ajuda. O dinheiro do dízimo pago à Igreja está reservado, mas ao invés de entregá-lo ao bispo, nós o utilizamos para comprar alimentos para os refugiados, permitindo que se alimentem. Tudo isso, caros irmãos, é exercitar nossa inteligência com discernimento, e não cumprir cegamente uma regra. Tudo isso, também, é nos rebelarmos, no melhor sentido possível, contra aquilo que Deus nos dá, e nos dá exatamente como treinamento para sermos um dia como ele é. Acho, sinceramente, que os benefícios de que usufruímos na sociedade contemporânea vêm dessa nossa saudável rebeldia, e que até nossa participação neste blog, questionando as regras impostas pela Igreja e até mesmo por Deus, é tudo o que ele quer que façamos.

  6. Nenhuma pessoa que alguma vez já esteve próxima da deidade (seja por qual experiência for) e em plena faculdade de sua consciência se deixaria atribuir a si mesmo o título de Cristo e Senhor dos demais. Não desejaria tomar Seu lugar e desejar sequer ser comparado a Ele.

    Saberia estar aquém da simples comparação, e usaria todos seus esforços para aproximar os demais da verdadeira adoração, sim, encaminhar as pessoas a sua volta Aquele que realmente salva.

    E este mesmo Cristo, por mérito, é digno de ser chamado o “Senhor dos Senhores” (e este mesmo, sequer tenta nos obrigar a qualquer coisa, mas Seu amor converte o coração daquele que O deixa entrar).

  7. Embora uma pessoa tenha opinião diferente das autoridades eclesiásticas, por falta de conhecimento, ela deve tomar muita cautela em sua maneira de agir com relação a tais divergências, ou o adversário tirará proveito da situação, e ela se tornará de tal forma imbuída do espírito de apostasia, que logo passará a combater a Deus e a autoridade que ele aqui colocou para governar a sua Igreja. Jamais cometereis um engano seguindo as instruções e conselhos daquele que está à testa da Igreja, como o porta-voz de Deus na terra. Vivamos em estreita ligação com o Espírito, para que possamos pôr à prova todos os seus conselhos.

    • Importante saber que apostasia seria um afastamento de Deus e seus ensinamentos. Na igreja usamos o termo apostasia para quase tudo, bastou um irmao faltar da igreja algumas vezes que ja dizem que ele se apostatou, na verdade o irmao pode ate estar mais proximo de Deus do que muitos que estao ativos. Apostasia nao tem nada a ver com nao estar ativo na igreja.

    • Caro Flavio, é Interressante como utilizamos a palavra apóstata ou apostasia na igreja.
      Apostasia no nosso dicionário significa se afastar da fé ou crença. Demos um significado diferente a palavra e utilizamos como um adjetivo pejorativo para classificar membros que tem opinião divergente
      Cuidado ao dizer que o adversário terá poder sobre os membros por discordar das maluquices de autoridades gerais. E criticar erros pode ser positivo, e de certa forma falar que estamos vendo e não concordamos com isso mesmo que tal pessoa foi nomeado apostolo, autoridade etc

  8. apesar de todas as opiniões, ainda acho que até onde conheço, e não é muito. Não vi os profetas SUD desencaminhar seus membros. Apenas eles prometem algo que as pessoas acreditam ser verdade e através da sua crença, seguem seus conselhos e vivem bem. Os ensinamentos e os discurso, apesar de serem “sem sal”, não vejo desencaminhar ninguém. Quando falam em casamento eterno, palavra de sabedoria, amor ao próximo, estudar as escrituras, estão ensinando coisas boas, se eles não conseguem fazer profecias que se cumpram, pelo menos ensinam coisas boas. Realmente ainda não vi mensagem da primeira presidência ou do quorum dos doze, desviarem alguém.

    • E nao e isso que lideres de outras igrejas fazem? O Papa tambem nao desencaminha ninguem, os Pastores de outras igrejas tampouco, mas nos somos os unicos a dizer ao mundo todo que temos Profetas e que nossa e a unica igreja verdadeira na terra. Deveriamos ser um pouquinho diferente nao acha? como algumas revelacoes e profecias de vez enquando ajudaria.

  9. Os parágrafos iniciais do texto são claramente opinativos. Seria mais interessante se o autor do texto se apresentasse e vinculasse sua opinião à sua imagem.

    Quando vejo um texto postado pelo “Vozes Mórmons”, espero algo mais objetivo, sem pender para nenhum lado, seja contra ou a favor. Quando vejo um texto postado por autor específico, fico esperando uma opinião contrária ou favorável.

    Sugiro que quando o site postar algo pelo usuário “Vozes Mórmons” que seja mais objetivo e menos opinativo.

    Abraços.

  10. Eu concordo com Jose, eu também nunca vi nenhum desses líderes em questão desencaminharem alguém na Igreja. Gosto dos discursos e acho que se esforçam pra passar uma mensagem boa. Agora, vai de cada um, nós, como seres pensantes, temos nossas próprias opiniões em relação ao que nos é passado por eles, mas não creio que isso seja grave, o fato de concordarmos ou não com o que eles falam não nos torna mais ou menos santos.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s