Orson Pratt: Politeísmo na Doutrina Mórmon

O Apóstolo Orson Pratt  discursou sobre a pluralidade de Deuses na doutrina Mórmon no histórico Tabernáculo em Salt Lake City em fevereiro de 1855:
CHL PH 4258it014 (1)

A doutrina bíblica pura e simples é que o Espírito de Deus está lá, que é Deus em todo o Seu poder e majestade. Todas essas passagens aparentemente misteriosas que os teólogos eruditos aplicaram à pessoa do Pai sendo Onipresente tem referência a esse Espírito Onisciente de qual temos falado. Qual será o efeito deste ponto de vista da doutrina sobre as pessoas? Nós respondemos, que uma pessoa que crê e segue isto como ensinado no Livro de Convênios e no Livro de Mórmon, nunca será confundido. Tais pessoas pensarão todo o tempo, “Se temos alguma coisa a ver, Deus está naquela coisa, e é a lei e poder pelo qual todas as coisas que nos rodeiam são governados e mantidos em perfeita ordem.” Que influência isso terá sobre um homem que acredita nisto? Ele vai ter muito mais cautela, muito mais do que de outra forma teria; porque Deus não pode estar nesta placa, ou em cada folha de grama em pessoa, mas quando sabemos que o Espírito Santo está presente em toda parte, sendo combinado com toda a matéria, então temos uma compreensão correta. Deus não pode estar em todos os lugares sem entender nossos ações e nossos pensamentos também. Você acredita que as partículas do Espírito Santo tem grande conhecimento? Quanto conhecimento que vai exigir que lhes permitam ignorar e supervisionar todas as obras de Deus? Eles vão exigir conhecimentos infinitamente maior do que jamais pensamos. Por exemplo, eles devem ter um conhecimento mais perfeito da lei do inverso do quadrado da distância referentes a gravitação universal, ou como eles poderiam saber a distância exata desses mundos inumeráveis sob a sua responsabilidade, de modo a mantê-los todos em movimento harmoniosamente como nós os vemos. Partículas de inteligência que podem fazer tudo isso, podem certamente saber os pensamentos e as intenções do coração; Por isso, devemos sempre considerar, quando tentados a fazer o mal, que Deus está ao redor de nós com todo o conhecimento que governa e controla a natureza. Você vê, então, que esta visão do assunto é calculada para ter um efeito que seja rentável para todos nós.

“Mas”, indagaria você, “como é que vai harmonizar-se com a passagem, em Isaías, onde o Senhor declarou que, ‘Não existe outro Deus antes de mim, nem deverá haver qualquer outro depois de mim?'” Como podemos acreditar nisso, quando acreditamos na revelação dada por intermédio de Joseph Smith, que diz que há muitos Deuses, e que Abraão, Isaque e Jacó são Deuses, e que todos os bons homens desta Igreja devem tornar-se Deuses? Paulo também fala do Deus único. Talvez alguns podem supor que isso está traduzido de forma inadequada. Mas você encontra a mesma coisa no Livro de Mórmon, traduzido pelo Urim e Tumim; as mesmas coisas também estão contidas na nova tradução do livro de Gênesis, dada a Moisés, onde o Senhor declara que, “Não há outro Deus além de mim.” Nestas expressões, Deus faz referência aos grandes princípios de luz e verdade, ou conhecimento, e não para os tabernáculos nos quais este conhecimento possa viver; tabernáculos são muitos e inúmeros, mas a verdade ou o conhecimento que muitas vezes é personificada e chamada de Deus, é um, sendo o mesmo em todos; Deus é um só, sendo uma unidade, quando representado pela luz, verdade, sabedoria, ou conhecimento; mas quando é feita referência aos templos em que habita este conhecimento, o número de Deuses é infinito.

Isso explica o mistério. Se devemos ter um milhão de mundos como este e contar suas partículas, acharemos que há mais Deuses do que há partículas de matéria nesses mundos. Mas os atributos da divindade são um; e constituem o único Deus do qual os profetas falam, e que os filhos dos homens em todos os mundos adoram.

Um mundo tem um Deus pessoal ou Pai, e seus habitantes adoram os atributos desse Deus, um outro mundo tem outro, e eles adoram os Seus atributos, e além d’Ele não há outro; e quando eles O adoram eles estão, ao mesmo tempo adorando os mesmos atributos que habitam em todos os Deuses pessoais que preenchem a imensidão. E, portanto, o Senhor diz, em uma das revelações destes últimos dias: “Vós sois os tabernáculos em que Deus habita, o homem é o tabernáculo de Deus.” Suponha-se que haja mil ou 144 mil, o número que João viu, e eles tenham a inscrição “Deus” em suas testas, que não foi colocada lá para fazer graça deles, mas para descrever suas pessoas e a autoridade que possuem. Suponha que todos eles recebam o mesmo conhecimento, Deus não habita neles? Se o homem é o tabernáculo de Deus, então Deus habita em todos eles, sendo um só Deus; mas quando falamos deles a título pessoal, dizemos que João viu cento e quarenta e quatro mil Deuses; se falamos da luz ou da verdade em cada um que governa tudo, então não há mais que só um Deus, e Ele está em todos os mundos, e ao longo de todo o espaço, onde quer que a mesma luz ou verdade idêntica seja encontrada; e todos os seres, desde toda a eternidade a toda eternidade, tem que adorar e adoram o mesmo Deus, e sempre terá que adorá-Lo; embora eles O adorem em tantos tabernáculos diferentes, no entanto, é o único Deus, ou em outras palavras, a mesma luz ou verdade que é adorada por todos. Quando olhamos para o assunto sob essa luz, não há nenhum mistério nisso. Apenas veja sob o prisma do que é revelado ao homem nestes últimos dias, e não há nada da escuridão e loucura sectária que caracterizam a cristandade apóstata; e não podemos compreender nem explicar um único princípio corretamente, e estamos no escuro e não podemos ver o caminho diante de nós; mas quando falamos e agimos sob a influência imediata do espírito de revelação, então podemos ver que aquilo do que o mundo é ignorante. Quando nos propomos a falar dos grandes e gloriosos princípios revelados em nossos dias, e a falar da grande e gloriosa luz agora revelada, e do qual o mundo tem sido ignorante por tantas gerações, e afirmar que o Senhor achou por bem revelar a plenitude do evangelho eterno a Joseph Smith, um analfabeto, o mundo religioso despreza-lo e expulsa-lo de suas habitações.

Por que veio o Senhor passar por todos os grandes e bons homens com Sua sabedoria – como foi, digo, que Ele passou por toda aprendizagem desta geração para revelar as doutrinas e princípios de nossa santa religião? Porque Ele determinou que nenhuma carne se glorie em Sua presença. Como foi que Joseph Smith foi capaz de tornar essas doutrinas tão simples como o alfabeto? Foi porque Deus estava com ele; Deus estava na obra; e nós, tão logo adoramos aquele Espírito Santo ou aquela inteligência em Joseph Smith ou em qualquer outra pessoa, não a pessoa, mas a Deus que está naquela pessoa, como adoramos os mesmos atributos em outro lugar. E quando encontrarmos o Pai de Jesus Cristo, vamos adorá-Lo, não a carne e ossos, mas os atributos. O Salvador nos diz que Ele tem revelado muitas coisas, para que possamos saber como adorar em espírito e em verdade. Como pode um homem invocar o nome de Deus de modo aceitável e compreensivamente, a menos que ele saiba sobre seus atributos, e a menos que suas doutrinas sejam reveladas? Como podem os pobres índios ignorantes da floresta chamar pelo nome de Deus aceitavelmente até que eles sejam ensinados sobre Deus e sobre Jesus? Eles devem entender muitas coisas, a fim de capacitá-los a compreender as coisas de Deus, e ser batizados de uma maneira aceitável. Se quisermos adorar o Pai e o Filho, devemos saber alguma coisa sobre eles.

Devemos estudar as leis de Deus, e obter um perfeito entendimento de todas as coisas que são reveladas, e vamos descobrir que podemos compreender tudo o que é para o nosso bem no presente.
Eu sei que eu estou tomando muito tempo. Fui levado em minha mente para explicar algumas dessas coisas, eu o tenho feito a partir do fato de que os Élderes vão para o estrangeiro entre as nações da terra e encontram muita oposição. Por exemplo, quando os eruditos e os sábios começam a contestar as revelações dadas a Joseph, o Vidente, deixem-nos (os Élderes) saber quais argumentos usar para sustentá-los, e vocês verão, irmãos, como é fácil mostrar que não há senão um só Deus quando se fala dos atributos, mas que há muitos Deuses quando se fala dos personagens nos quais os mesmos atributos habitam, e você pode torná-lo claro e simples.”
— Orson Pratt
 (Journal of Discourses 2:334)


Leia mais citações de Profetas e Apóstolos aqui.

Um comentário sobre “Orson Pratt: Politeísmo na Doutrina Mórmon

  1. Quando via as pessoas na missão dizendo Deus é tudo… e a árvore, o mar a terra etc…Percebo que as verdades estão espalhadas sobre a Terra existem verdades nos cientistas , em outras religiões e outras pessoas de todo tipo.Nos membros da igreja temos que ser uma esponja de verdades vindas de toda parte e de todos os seres.O evangelho restaurado nos ajuda a organizar estas verdades através do Espírito Santo e colocar as verdades dentro de nós na perpectiva e no direcionamento correto.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s