Brigham Young: Sociedade de Socorro Matou Joseph Smith

O Presidente Brigham Young fez os seguintes comentários sobre a Sociedade de Socorro em reuniões com o Quórum dos Setenta e o Quórum dos Sumos Sacerdotes em Nauvoo, Illinois, em 9 de março de 1845:

Brigham Young

Brigham Young ao Quórum dos Sumos Sacerdotes em Nauvoo, Illinois, 9 de março de 1845 (ênfases nossas):

“Sobre se a Sociedade de Socorro vai se reunir novamente. Eu vos digo que amaldiçoarei todo homem que deixar sua esposa ou filhas se reunirem novamente, até que eu lhes diga que possam. Para que serve a Sociedade de Socorro? Para nos livrar dos nossos melhores homens. Elas nos livraram de Joseph e Hyrum. Para isso é o que elas nos vão levar. Não quero o conselho ou a opinião de nenhuma mulher. Elas nos levariam ao inferno. Não há mulher na face da terra que possa se salvar. Mas se ela quiser entrar no Reino Celestial, ela deve ser conduzida por algum homem. Deus sabia o que era Eva. Ele estava familiarizado com mulheres milhares e milhões de anos antes.”

O secretário que anotou esses trechos do discurso de Young, Lucien Foster, terminou essas anotações com um resumo:

“Ele fez algumas observações em relação ao reavivamento da Sociedade de Socorro Feminina e a desaprovou isso.”

Brigham Young ao Quórum dos Setenta em Nauvoo, Illinois, 9 de março de 1845 (ênfases nossas):

“O Presidente Brigham Young levantou-se e disse que faria comentários relativos a algo em que muitas de nossas irmãs já estiveram envolvidas.

Elas não têm o direito de se intrometer nos assuntos do Reino de Deus fora do alcance disto. Elas têm o direito de se intrometer, porque muitas delas são mais sagazes e perspicazes e mais competentes para cuidar das questões financeiras. Elas nunca podem possuir as chaves do Sacerdócio além do seu marido. Quando eu quiser que as irmãs ou as esposas dos membros desta igreja organizem a Sociedade de Socorro, eu as convocarei a meu auxílio. Mas até lá, deixe-as ficar em casa e, se vocês homens virem as mulheres se encontrando, vetem essa ocorrência. E se elas disserem que foi Joseph quem começou [a Sociedade de Socorro], diga-lhes que isso é uma mentira maldita porque sei que ele nunca a encorajou. Mas eu sei onde o broto foi plantado, mas estou determinado a suspender estes procedimentos [da Sociedade de Socorro], pois foi com isso que nossos melhores homens foram tirados de nós. Um grama de preventivo é melhor que um quilograma de cura.”

Contexto histórico

Emma Smith, esposa oficial e legal de Joseph Smith, era veementemente contra o princípio de poligamia. Smith se casara secretamente em 1833 com uma adolescente que morava com eles e trabalhava pra ela, e o resultado havia sido desastroso para a paz familiar quando Emma descobriu tudo em 1835.

Em 1841, Smith começou a retomar os matrimônios plurais, e nos próximos dois anos, casou-se com mais de 30 mulheres, sempre às escondidas, tanto do público, como de Emma. Esta continuava a se opor, e inclusive sequestrou toda a agenda da recém-formada Sociedade de Socorro, quando foi designada sua Presidente em março de 1842, para explicitamente combater poligamia. Emma organizou as irmãs da Sociedade de Socorro para investigar e denunciar os casos clandestinos de poligamia.

Não obstante sua ferrenha oposição, Emma não havia sido capaz de controlar os casamentos secretos de Smith, e nem sequer capaz de impedi-lo de se encontrar com suas esposas plurais secretas. Smith institui as cerimônias de investidura e selamento, porém proibiu Emma de participar (ou se selar a ele para eternidade) enquanto ela não o apoiasse na poligamia. Sob essa ameaça, Emma aquiesceu e permitiu o casamento dele com duas adolescentes que trabalhavam para ela e moravam com eles (e, com quem Smith já era casado secretamente). Não obstante, Emma as expulsou de casa ao flagrar atos sexuais, supostamente sob a crença que tais casamentos seriam apenas “espirituais” em natureza. Em outra ocasião, Emma descobriu de outra esposa adolescente secreta, e briga conjugal subsequente resultou em atos de violência doméstica que até jornalistas regionais cobriram.

As brigas entre os dois apenas se intensificaram com o passar dos meses. Emma passou a exigir um marido plural para ela, e para alfinetar seu marido, decidiu demandar seu Conselheiro na Primeira Presidência, William Law. Após relutar por meses, ridicularizando e ofendendo-se com a sugestão, Smith decidiu aceitar a proposta desde que Sarah Jane, a esposa de Law, pudesse ser sua. Compreensivamente, os Laws rejeitaram as propostas, ofendendo-se, e criando um racha entre ambas famílias que terminaria em tragédia. Eles publicaram um jornal, o Nauvoo Expositor, ameaçando expor todos os casos secretos de poligamia de Smith e demais líderes da Igreja SUD. Smith, por sua vez, ilegalmente ordenou o confisco e a destruição do jornal dos Laws, que fugiram de Nauvoo temendo violência. Os irmãos Joseph e Hyrum Smith foram presos por este ato ilegal, e uma turba aproveitou-se dessa prisão – e da revolta pública agitada em torno deste ato ilegal – para assassina-los.

É nesse contexto que, menos de um ano após o assassinato dos irmãos Smith, Young acusara a Sociedade de Socorro, liderada por Emma Smith, de contribuir com a morte deles.


Referências

Bushman, Richard, Joseph Smith: Rough Stone Rolling, Alfred A. Knopf, 2005

Compton, Todd, Fanny Alger Smith Custer: Mormonism’s First Plural Wife? em Journal of Mormon History Vol. 22, No. 1, 1996

Compton, Todd, In Sacred Loneliness: The Plural Wives of Joseph Smith, Signature Books, 1997

Foster, Lawrence, Review of Todd Compton, In Sacred Loneliness: The Plural Wives of Joseph Smith em Dialogue: A Journal of Mormon Thought 33:184–86.

Johnson, Benjamin F. Johnson, My Life’s Review, Zion’s Printing and Publishing Co., 1947

Ludlow, Daniel (ed.), Oliver Cowdery em Encyclopedia of Mormonism, Brigham Young University, 2001

Newell, Linda e Avary, Valeen, Mormon Enigma: Emma Hale Smith, University of Illinois Press, 1994

Van Wagoner, Richard, Mormon Polygamy: A History, Signature Books, 1989

16 comentários sobre “Brigham Young: Sociedade de Socorro Matou Joseph Smith

  1. Sempre achei o Brigham Young um senhor sem noção, com todo respeito aos familiares dele. Embora ele fosse um lider, ele falava coisas que não tinha nada a ver. Além do mais, ele jamais teria moral para dizer que iria amaldiçoar alguém mesmo porque ele não tem poder para isso e um lider jamais diria isso.

  2. sou mormom com muito orgulho e me aperfeiçoo-o mantendo o Evangelho comigo, mas a que ter nuncao de uma coisa,O homem entende a mensagem conforme se encontra espiritualmente, e quando se aborda um tema de Tao grande envergadura será necessário sabermos do que estamos a falar, senao somos nos que nos responsabilizamos pelo que dissermos no dia do julgamento.

  3. Tão importante quanto as declarações de Young, são também os motivos que o levaram a dizê-las. Interessante que os documentos com as tais declarações desabonadoras,constam no acervo histórico da igreja.
    Será que passou desapercebido aos olhos do historiador?
    O que levou Young a dizer tal coisa?
    Convém lembrar que Foster foi escomungado em 1846.

    • Convém lembrar? Convém por que? Foster foi excomungado em 1846, e as anotações citadas acima são de 1845. Teria Foster sido excomungado por incompetência escriturária ou desonestidade actuária? Como a excomunhão de 1846 influencia retroativamente as anotações realizadas em 1845 e mantidas em poder da Igreja, e não de Foster?

      • Foster, em 1845, já era Strangita de coração, e de fato em 1846, com sua excomunhão e apoio a Strang.
        Observando as fotos dos originais, vê-se claramente, junto as tais declarações, uma linha vertical à esquerda, fazendo um destaque do texto. Teria sido Young que ao ler mais tarde os registros, fez tal destaque? Teria sido o próprio Foster? Por qual motivo?
        Não devemos dar crédito a um registro tão desafavorável a Young, feito por um Strangita.
        Quanto aos motivos da excomunhão, a desonestidade actuária poderia ser um dos motivos, além do apoio velado ou não, a James Strang. Talvez Foster tivesse interpretado a seu favor o que BY disse na reunião.
        A Igreja foi honesta em manter os registros. Bastaria um belo copo de água para transformar num borrão o tal registro. Afinal, nada mais natural que ocorressem danos num documento de mais de 150 anos.

      • Então, você consegue ver dentro dos corações das pessoas, Marco?

        E ainda consegue enxergar dentro dos corações das pessoas que viveram 174 anos atrás?

        É só você ou tem mais pessoas com esse super-poder?

    • Nota biográfica: Lucian Rose Foster (1806–1876), fotógrafo, contador, e escrivão, nasceu em Massachussets e se converteu ao mormonismo em dezembro de 1840. Lá serviu como secretário da conferência (equivalente a secretário da Estaca) e presidente de ramo. Em 1843 serviu como secretário da conferência em Nova Iorque, e em 1844 emigrou para Nauvoo, Illinois. Lá imediatamente foi chamado como membro do comitê central de correspondência da campanha presidencial de Joseph Smith e foi induzido à Loja Maçônica da Nauvoo. Após a morte de Smith, foi chamado como membro do conselho dos 50, onde serviu como secretário de Brigham Young. Foi casado com Harriet Eliza Burr, Mary Ann Graham, Ann Mariah Still, e Eliza Leeman Ulrich. Mudou-se de Nauvoo para Nova Iorque em 1846 e foi excomungado em 13 de setembro de 1846 por “apostasia”, escolhendo então abandonar o profeta Brigham Young e alinhar-se com o profeta James Strang.

  4. Com certeza não, Vozes Mórmons. Mas as evidências mostram que Foster já pensava na doutrina de Strang, uma vez que optou por seguí-lo de forma tão rápida, sequer se deu ao trabalho de participar de sua ação disciplinar, defender-se, etc…

    • As “evidências”? Quais “evidências mostram que Foster já pensava na doutrina de Strang” em 9 de março de 1845?

      Aliás, qual era a “doutrina de Strang” em março de 1845?

      Se Foster já “pensava na doutrina de Strang” em março de 1845, por que Brigham Young o convidou para o ultra-secreto Conselho dos 50 em março de 1845?

      Como é que você sabe que Foster “sequer se deu ao trabalho de participar de sua ação disciplinar, defender-se, etc…(sic)”? Super-poderes?

      • Com a morte de JS, em 1844, como os senhores sabem, muitos quiseram ser o novo líder da Igreja. Ser o profeta. Strang era um deles. Teve sua “candidatura” rejeitada. Fundou então a igreja Strangita. Quanto à doutrina, tem muita coisa semelhante; os senhores sabem melhor do eu, devido à seus estudos. Foi excomungado em 1844. Foster, que conheceu Strang, foi excomungado em 1845. Estamos falando sobre fatos acontecidos a mais de 160 anos. Desconheço registros de conversas entre os dois sobre tal assunto. As “evidências” residem no fato que, pela lógica se conheceram, certamente conversaram sobre a sucessão, doutrinas, etc… Foster, ainda como secretário, decidiu abandonar a igreja que seria liderada por Young, e seguir Strang. Quanto ao fato de Foster ter sido convidado para o Conselho dos 50, faço um paralelo: Jesus Cristo convidou Judas Escariotes para para ser um dos 12 apóstolos. Cristo não conhecia o coração de Judas? Não conheço documento algum indicando que Foster fora convidado a participar de sua ação disciplinar, nem tão pouco, algum da parte de Foster, informando que não participaria. Atualmente, muitos irmãos se recusam a participar de sua ação disciplinar. Questão de lógica, Vozes Mórmons, não de super-poderes. Por que alguém se daria ao trabalho de defender-se de algo que o resultado não lhe interessa mais?

      • Continuamos perguntando:

        Como é que você sabe que Foster, em março de 1845, enquanto servia como um dos secretários de Brigham Young, enquanto Young o iniciava ao ultra-secreto Conselho dos 50, já abraçava a “doutrina de Strang”?

        Como é que você sabe que ele “conheceu Strang” antes de março de 1845?

        Como é que você sabe que ele e Strang “conversaram” antes de março de 1845?

        Como é que você sabe que ele “ainda como secretário, decidiu abandonar a igreja”?

        Como é que você sabe que ele inventou um discurso para denegrir a imagem de Young em março de 1845?

        Como é que você sabe que ele não se deu “ao trabalho de defender-se”?

        Como é que você “sabe” tudo isso por “questão de lógica” sem ter nem uma única peça de evidência?

        Qual é o tipo de lógica que permite alguém inferir as motivações íntimas de uma pessoa de 174 anos atrás sem nenhuma peça de evidência?

        E Foster foi excomungado em setembro de 1846, e não “em 1845”. Disso nós temos evidência.

  5. Evidências materiais, registros, etc.. de que aconteceu como falei, não tenho nenhuma. tudo o que disse, foi baseado no que imagino ter sido o mais razoável ter acontecido. Lógico, pode ter sido o inverso.
    Foster poderia ter sido fiel a young, ter sido excomungado por motivos outros que não a rebeldia, ou até mesmo expulso por inimigos na liderança. Pode mesmo ter havido uma tal carta de Smith nomeando Strang como lider, Foster pode ter tido acesso a tal documento, enfim, só eles mesmos é que podem dar a resposta.

    • “Evidências materiais, registros, etc.. (sic) de que aconteceu como falei, não tenho nenhuma.”

      Pronto, Marco. Você precisa acabar o seu raciocínio aqui. Fim.

      Todo o resto de sua confabulação nada mais é que especulação e fantasia imaginativa.

      “Supor” não é evidência, especialmente quando não há evidências sequer para sustentar tal suposição.

      Como você mesmo disse, não há nenhum motivo racional ou lógico para sequer suspeitar que em março de 1845 Foster 1) conhecesse Strang, 2) fosse seguidor de Strang, 3) fosse seguidor secreto de Strang, 4) tivesse interesse em prejudicar Young, 5) estivesse adulterando documentos atuariais para prejudicar Young junto a historiadores 100 ou 200 anos mais tarde.

      Em conclusão, em absolutamente nada “[c]onvém lembrar que Foster [seria] e[x]comungado” 18 meses após anotar esses comentários de Brigham Young. Se você encontrar “[e]vidências materiais, registros, etc[.]” do contrário, avise-nos e revisitaremos o assunto.

  6. Em tempo:

    Foster chegou a navoo em de abril de 1844 e Strang excomungado em agosto de 1844. Strang trabalhava com impressão de jornais, e Foster fotografia. Ambos conheceram JS. Nada mais natural em supor que se conheceram.

  7. Observando tudo que vem acontecendo na igreja atualmente, chego a conclusão que a Sociedade de Socorro queria apenas socorrer as irmãs daquilo que elas mais temiam: a poligamia.

  8. Não duvido BY ter falado isso, já vi líderes nos dias atuais falarem o mesmo rsrs…E nunca leram nenhum livro de BY! O carregamento cultural machista do século 19 está carregado na alma de BY. E a sociedade ainda é testemunha diariamente de pensamentos desse tipo.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.