Por Que As Pessoas Se Afastam Da Igreja?

Por Que Se Afastam?

Por que as pessoas se afastam da Igreja SUD?

Essa é uma pergunta importante. Tão importante, que um post explorando o assunto de quase um ano atrás continua gerando comentários, discussão, e debate até hoje. Ontem, o site Why Mormons Questionpublicou os resultados de uma pesquisa realizada com mais de 3 mil pessoas sobre a questão “por que as pessoas perdem a fé”.

Surpreendentemente, a pesquisa demonstrou claramente que “perder a fé” não é a mesma coisa que “se afastar”!
A pesquisa, intitulada ‘Compreendendo Descrença Mórmon: Por que alguns Mórmons perdem seus testemunhos, e o que lhes ocorre quando isso acontece’ tabula questões postas a mais de 3.000 voluntários que, de uma maneira ou de outra, deixaram de acreditar no que normalmente criam antes.

Alguns dos resultados são bastante interessantes.

1) O que mais me chamou a atenção foi o fato de 20% dos participantes, apesar de não manter nenhuma fé na Igreja ou na Fé Mórmon, ainda frequentavam a Igreja normalmente, isto é, seguiam como SUD ativos! Isto significa que nem todas as pessoas que deixam de acreditar se afastam! Aliás, um quinto dos descrentes seguem ativos como qualquer crente. Outro dado interessante sobre esse grupo é o fato deles não manifestarem sua descrença ou suas dúvidas a seus pares. 92% deles escondem suas dúvidas dos outros membros de suas alas, 72% escondem de seus Bispos, 85% escondem de seus familiares (com 73% escondendo de seus filhos, 66% de seus pais, e 58% de seus irmão), e até 14% escondendo dúvidas e descrenças de seus próprios cônjuges.

2) Entre os fatores mais importantes para deixarem de crer ou duvidar da Igreja e da Fé Mórmon estão doutrina ou teologia (74%), história (70%), Joseph Smith (70%) e o Livro de Mórmon (70%). Entre os fatores menos importantes estão falta de amizades (6%), ser abusado por alguém na Igreja (7%), vontade de participar em atividades vistas com pecaminosas (4%), e ser ofendido por alguém na Igreja (4%).

3) Entre os fatores para deixarem de crer ou duvidar da Igreja e da Fé Mórmon, apenas 12% dos participantes disseram que 4 ou menos fatores determinaram essa mudança religiosa. Comparado com 41% que laudaram 5-15 fatores fundamentais, e 46% que nomearam mais de 15 fatores.

4) Entre os fatores históricos mais relevantes, os participantes mencionaram: poligamia/poliandria (59%), o Livro de Abraão (59%), a Proibição ao Sacerdócio (55%), DNA e o Livro de Mórmon (45%), e Maçonaria (43%).

5) Entre os fatores mais significativos para as mulheres, os participantes mencionaram: Posição da Igreja sobre mulheres; Mulheres e o Sacerdócio; Posição da Igreja sobre Homosexuais; Poligamia; Abuso dentro da Igreja.

6) Entre os fatores mais significativos para os homens, os participantes mencionaram: Fé em Deus/Cristo; Ciência; Anacronismos no Livro de Mórmon; Livro de Abraão.

7) Entre os fatores mais significativos para os jovens, os participantes mencionaram: Fé em Deus/Cristo; Posição da Igreja sobre Homosexuais; Falta de Experiência Espiritual; Problemas com a Cultura Mórmon; Vontade de “pecar”.

8) Entre os fatores mais significativos para os “mais velhos”, os participantes mencionaram: Restauração do Sacerdócio; Escândalo do Mark Hofmann; Massacre de Mountain Meadows; Livro de Abraão; Placas de Kinderhook.

9) Entre os fatores mais significativos para os descrentes continuarem a frequentar as reuniões, os autores calcularam: tempo de Igreja — quanto mais tempo de Igreja, mais ativo (61%); juventude — quanto mais jovem, mais ativo (40%); educação formal — quanto maior escolaridade, mais ativo (40%); chamados — quanto mais chamados, mais ativo (20%).

10) Entre os fatores que não tiveram impactos em graus de atividade: serem ofendidos; falta de fé em Joseph Smith ou no Livro de Mórmon ou no Livro de Abraão; falta de confiança em líderes ou nas Autoridades Gerais; questões de história ou doutrina.

Esse é basicamente um resumo do estudo. Eu recomendo a qualquer pessoa interessada no assunto a le-lo na íntegra. Há muitos dados interessantes e que levam à muitas outras ponderações relevantes.

Certamente, o estudo apresenta falhas e pontos fracos, que os autores prontamente admitem e prometem corrigir na próxima expansão do estudo. Não obstante, este já é um excelente ponto de começo para se discutir realmente quais os fatores importantes nesse processo de desconversão, e se há passos que se podem tomar para evita-lo.

Os autores perguntaram aos participantes o que, se mudado, poderia lhes trazer de volta à atividade na Igreja. 24% dos participantes estipularam que voltariam sob determinadas circunstâncias, enquanto os demais não voltariam. Dentre as sugestões/condições mencionadas pelos 24% estão:

1) Maior abertura e aceitação para pessoas com dúvidas ou com crenças não-literais.

2) Maior transparência e honestidade com relação a questões históricas e controversas.

3) Maior aceitação e tratamento igual para homosexuais.

4) Maior respeito, sensibilidade, e igualdade para mulheres.

Existe muita especulação sobre por que as pessoas se afastam da Igreja. Nos comentários do outro post vemos uma tendência a culpa-las por serem pecadoras, fracas, preguiçosas, descompromissadas, ou mesmo más. Esse estudo sugere que nenhuma dessas caracterizações é válida, e bom-senso rege que nenhuma é construtiva.

Num país onde 70-75% de todos os Mórmons sequer se consideram Mórmons, independente dos registros e estatísticas oficiais, talvez seja hora para se ponderar a questão com mais racionalismo, com mais caridade, e um pouco de introspecção.

Vamos olhar ao redor para os nossos amigos pessoais, ex-colegas de alas ou missão, e parentes, e pensar justamente o que lhes levou a sair. O que acham que diriam? Você já perguntou-lhes diretamente alguma vez? O que disseram? Como você acha que a Igreja pode mudar para melhor acomodar os que têm dúvidas ou incertezas, ou os que sequer acreditam? Ou você acha que é melhor que saiam, mesmo?

Leia também: Quem são os nossos samaritanos?

24 comentários sobre “Por Que As Pessoas Se Afastam Da Igreja?

  1. Pingback: O que faz as pessoas se afastarem da Igreja? | Vozes Mórmons

  2. Marcello,

    existe um lado muito positivo em iniciativas como essa pesquisa, uma vez que se busca desfazer certos mitos sobre a inatividade na Igreja. Mas, como explicado acima, a pesquisa é sobre a perda de fé e não afastamento das reuniões da Igreja. Mais especificamente, sobre não acreditar mais que a Igreja sud é “a igreja verdadeira”. O problema é que as coisas já são vagas desde o princípio. Para uma pessoa que acredita que a Igreja sud é “a igreja verdadeira”, tal afirmação pode significar muitas coisas; o mesmo vale para alguém que diz não acreditar mais nisso.

    Os autores da pesquisa fazem diversas pressuposições e dão ao participante opções que não são claramente explicadas, mas são inclusive inclusivas umas das outras. Por ex., (1) “eu perdi fé em Joseph Smith”, (2) “eu estudei história da igreja e perdi minha crença” e (3) “eu parei de acreditar na doutrina/teologia da igreja”. Alguém consegue estabelecer diferenças claras entre as três opções?

    A pesquisa gera no participante uma fácil identificação com os elementos listados e não abre espaço para uma expressão espontânea, como se os autores já soubessem de antemão todos os motivos possíveis para tal perda de fé.

    • Antônio,

      Como vc quantificaria os resultados da pesquisa com perguntas abertas?

      Na minha opinião, a única maneira de um testemunho ser sólido depende de duas coisas: 1) Fé em Jesus Cristo é fortemente relacionado a eventos relacionados a eventos que internamente vc sabe que são sobrenaturais, ou seja, que vc tinha quase certeza que não seria possível, mas continuou a orar fervorosamente, e o resultado foi positivo — a probabilidade de multiplas coincidencias é pequena.

      2) Sua fé em Jesus Cristo tem que ir além de sua fé no profeta ou outro líder da Igreja, e te causa a ser uma pessoa melhor (na realidade é 3, mas como eu disse 2, vou juntar as últimas duas 🙂

      Doutrina, história e medidas de “retidão” são ad-hocs pra dar estrutura a crença. Se vc tem mais fé nos ad-hocs do que nos primeiros dois, é questão de tempo pra vc sair fora.

      Essa é minha opinião.

    • ” O problema é que as coisas já são vagas desde o princípio”.
      -Esta sua frase foi perfeita, eu me batizei pelo “fogo do momento”,depois é que a gente pensa,que agiu por impulso,que aquela emoção foi de momento,amizade,pareceu algo algo diferente para mim,mas hoje vejo que foi só desejo de sentir!

Deixe uma resposta para Antônio Trevisan Teixeira Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.