Hugh B. Brown: Deus da Verdade

O Apóstolo Hugh B. Brown elaborou em discurso para alunos da BYU sobre os conceitos de verdade, da busca intelectual pela verdade, liberdade intelectual, dogmatismo, e pensamento crítico.

Hugh B. Brown

Hugh B. Brown serviu como Apóstolo entre 1958 e 1975, e Conselheiro na Primeira Presidência entre 1961 e 1970 para David O. McKay

“Nós somos muito gratos na Igreja e nesta grande universidade, que a liberdade, a dignidade, e a integridade do homem é fundamental na doutrina da Igreja, bem como na democracia. Aqui nós somos livres para pensar e expressar as nossas opiniões. O medo não vai sufocar o pensamento, como é o caso em algumas áreas que ainda não surgiram da idade das trevas. Mas o próprio Deus se recusa a subjulgar o livre arbítrio do homem, embora o seu exercício às vezes ensine lições dolorosas. Tanto a ciência criativa como a religião revelada encontram a sua expressão mais completa e mais verdadeira em uma atmosfera de liberdade.

Mas, enquanto vocês procedem a fazer suas declarações individuais de independência, eu espero que vocês evitem tornar-se radicais. Eu espero que vocês distinguirão entre liberdade e permissividade. Eu espero que vocês perceberão que a liberdade é apenas uma bênção se ela é acompanhada de sabedoria e inteligência. Então, eu diria, cuidado com o radicalismo. Mas, ao mesmo tempo peço-lhes para resistir o enorme peso da preguiça mental. Alguém já disse que isso leva ao endurecimento prematuro das artérias intelectuais.

Eu espero que vocês desenvolvam o espírito questionador. Não tenham medo de novas idéias, pois elas são os degraus para o progresso. Mas vocês deverão, evidentemente, respeitar as opiniões dos outros [mas não ter medo de discordar – se vocês estiverem bem informados]*.

Agora, eu mencionei a liberdade de expressar seus pensamentos, mas devo adverti-los que seus pensamentos e expressões devem enfrentar a concorrência no livre mercado de ideias, e dessa concorrência, a verdade emergirá triunfante. Apenas erro precisa temer a liberdade de expressão. Busquem a verdade em todos os campos, e nessa busca vocês precisarão de pelo menos três virtudes: coragem, entusiasmo, e modéstia. Os antigos colocaram esse pensamento na forma de uma oração. Eles disseram: ‘Da covardia que se encolhe de novas verdades, da preguiça que se contenta com meias verdades, da arrogância que pensa que tem toda a verdade, ó Deus da verdade, livrai-nos’.

Ciência e religião devem ambos evitar o dogmatismo. As pessoas religiosas sabem apenas o que Deus se limitou a revelar sobre Si mesmo e cientistas francamente admitem que a verdade de hoje pode ser modificada e ampliada pela descoberta de amanhã. “

Brown, Hugh B., O que é o homem e o que ele pode se tornar, em ‘BYU Speeches of the Year 1957-1958‘, 25 de março de 1958.
* Trecho incluído apenas no discurso publicado

Ouça uma gravação em áudio do discurso original aqui:

 

2 comentários sobre “Hugh B. Brown: Deus da Verdade

  1. Vejo muita sabedoria neste discurso, realmente o Espírito de Deus está na Igreja de Jesus Cristo dos S.U.D. , e ainda acrescento, que o inimigo trabalha com a vaidade humana e apego exagerado às idéias exageradamente “amadas”. Acredito que um homem puro de coração ama mais a verdade do que uma filosofia ou “corrente” específica.Em seu coração e em sua mente ,sempre sobra espaço! Pois ele vai limpando e tirando coisas velhas de sua alma para receber novas verdades belas e sublimes.

  2. Ufa, que alívio! Pois, sob a égide do pensamento de Brown, eu não estava errada quando fazia questionamentos na Igreja , ahaha. Contudo, não se pode deixar de considerar que Brown discursa para universitários da BYU, onde a liberdade de pensar e expressar opiniões é bem-vinda, o uso do advérbio (aqui) reforça a idéia de local. Um dos princípios democráticos universal é a liberdade de expressão ou seja, a liberdade de discordar e criticar algo e Brown, sabia que a medida que os universitários ampliassem o conhecimento com seus estudos, por certo, vão conflituar com o conhecimento aprendido na igreja. Quanto aos dogmas, na religião, são absolutos e obviamente ideológicos, levando o crente a desenvolver um entendimento oposto ao científico e racional. A 9ª regra de fé diz: “Cremos em tudo que Deus revelou em tudo que ele revela agora e que ainda revelará muitas coisas grandiosas e importantes relativas ao Reino de Deus”, ela inspira e determina o modo de vida e a crença na revelação continua, pois o crente vai receber as regras, as novas políticas como se fosse a vontade divina para eles. Lembrando que os dogmas religiosos por serem absolutos, não estão abertos a questionamentos. Parece-me que Brown esqueceu deste detalhe ou propositadamente o ignorou quando disse: “apenas o que Deus revelou sobre si mesmo”. E quanto a Ciência admitir que a verdade pode ser modificada, está absolutamente correta a menção que Brown fez, pois a medida que ela progride quanto as suas teorias mais afasta de si o dogmatismo.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s