Igreja Mórmon Assume Remoção de Revelação

Porta-voz da Igreja SUD oficialmente confirmou a alteração de manual didático para excluir o testemunho do Apóstolo Russell Nelson sobre uma revelação recebida pelo Profeta Thomas Monson.

Capa do manual "Domínio Doutrinário Novo Testamento Material do Professor"

Capa do manual “Domínio Doutrinário Novo Testamento Material do Professor”

Entenda o caso.

Como havíamos noticiado no começo da semana, A Igreja SUD alterou, sem anúncios públicos, o seu currículo do Seminário, em provável resposta a pressões sociais e críticas públicas.

As mudanças, realizadas na surdina, alteraram o manual do Novo Testamento destinado a professores para o planejamento de aulas, justamente no começo do ano letivo, para remover ou abrandar pontos severamente criticados na mídias e redes sociais.

Não obstante, a Igreja voltou atrás e alterou as alterações ainda na mesma semana. Apenas para no dia seguinte, alterá-las novamente.

Leitores assíduos lembrar-se-ão das inclusões recentes no currículo para adolescentes que receberam cobertura neste site. Os novos manuais para o atual ano letivo, por exemplo, incluíam ensinar para os jovens membros d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que a política racial de discriminar contra negros, vigente entre 1852 e 1978, havia sido divinamente inspirada diretamente por Jesus Cristo. O Apóstolo Russell Nelson testificou que a nova política teria vindo através de uma revelação recebida pelo Profeta Thomas Monson, e confirmada por todos os Apóstolos, e o manual destacava o testemunho de Nelson para exemplificar como a Igreja atual é dirigida por revelações diretas.  [Leia mais sobre essa aula aqui]

Ademais, incluíam ensinar para os jovens que a atual política de discriminação contra crianças em lares LGBT, vigente desde novembro de 2015, havia sido divinamente inspirada diretamente por Jesus Cristo a Thomas Monson. [Leia mais sobre esse anúncio oficial aqui]

E, ainda, um curioso exercício de classe para “demonstrar” que a Igreja não cede a pressões sociais, ou “vacinar” os jovens contra pensarem isso:

“Durante um jantar em família seu tio expressa sua opinião de que, dado pressão social suficiente, a atual posição da Igreja a respeito de uma questão social vai mudar no futuro para estar mais em consonância com a posição da sociedade. Para sustentar esta afirmação, ele menciona que a Igreja mudou sua posição sobre a prática do casamento plural e permitiu que membros de ascendência africana negra recebessem o sacerdócio e as ordenanças do templo. Outros membros da família expressaram opiniões diferentes sobre o assunto. Desde a discussão você já se perguntou se o seu tio tinha razão, e você têm ponderado a seguinte pergunta: Por que a Igreja às vezes parece ceder à pressão social ao fazer mudanças na política? (Faça esta pergunta no quadro negro.)”

[Leia mais sobre a intenção publicamente expressa dos líderes da Igreja em “vacinar” os jovens contra pensarem por si mesmos]

Inesperadamente, várias pessoas começaram a notar nesta semana que os três exemplos citados acima haviam sorrateiramente desaparecido do manual publicado online no site oficial da Igreja SUD, e notícias das mudanças se alastraram como fogo em mata virgem pelas redes sociais.

Então subitamente, ao final da semana, a Igreja alterou novamente o manual e retornou à inclusão plena de todos os ensinamentos de que Deus havia inspirado a discriminação contra negros e contra famílias LGBT, e a irônica inclusão da lição que a Igreja não cede a pressões sociais.

Não obstante esse retorno ao plano de estudo original repentino, a Igreja alterou-o novamente. Em pleno sábado, o site oficial publicou um novo manual, novamente sem quaisquer menções ou notas ou avisos, que mais uma vez removiam todos os três exemplos citados acima.

Compare todas as diferentes versões do capítulo “Os Profetas e a Revelação” no manual “Domínio Doutrinário Novo Testamento Material do Professor”, em ordem cronológica, aqui:

A jornalista e autora Jana Riess, que habilmente destrinchou essa curta e bagunçada saga de mudanças bruscas, pontificou seu significado:

“Será isso uma série de erros humanos comuns – publicar a versão errada, em seguida, tentar corrigi-la? Será reflexo de discussões internas sérias sobre se a proibição do sacerdócio foi realmente inspirada por Deus ou apenas um subproduto de um racismo muito humano?  (…) Para uma igreja que tem, por tanto tempo, contado com um processo totalmente obscuro e anônimo de criação de currículo, isso deve ter sentido como um pesadelo em RP ao se ver essas mudanças sendo publicadas e analisadas em tempo real. Além disso, as mudanças pareciam ser, ao menos parcialmente, uma resposta à pressão social e escrutínio público intenso.”

De qualquer modo, um porta-voz da Igreja entrou em contato com o jornal The Salt Lake Tribune e confirmou a remoção do testemunho do Apóstolo Nelson como exemplo de uma revelação divina guiando um profeta na atualidade. Por que a Igreja teria tomado a decisão súbita de remover essa afirmação profética e divina para uma política oficial? Estaria a Igreja se preparando para se distanciar dessa política no futuro, permitindo uma distinção entre “política” e “revelação” como se faz com outras políticas desagradáveis do passado que hoje são vistas como antiéticas, que curiosamente é um dos focos dessa lição?


Como havíamos notado há alguns dias atrás, é interessante notar que a versão brasileira desse mesmo manual não contém nenhum dos exemplos citados acima, exibindo um plano de aula notória e drasticamente mais simplificado. Para os alunos brasileiros, não há quaisquer menções de se discutir mudanças nas políticas de discriminação aos negros ou a crianças em lares LGBT ou na prática de poligamia, como se os jovens aqui jamais tivessem ouvido ou tomado conhecimento de tais fatos históricos.

E, talvez ainda mais interessantemente, deve-se notar que o atual manual para o estudo do Novo Testamento não aborda o Novo Testamento em si para estudá-lo, como fazia o antigo manual, mas limita-se a discutir tópicos doutrinários mórmons com apenas pontuais e escassas citações e leituras de passagens, e dependendo pesadamente de citações de profetas e apóstolos atuais.

 

4 comentários sobre “Igreja Mórmon Assume Remoção de Revelação

  1. A Igreja Mórmon sempre atuou com mudanças. Sejam elas internas ou externas ( estas de maior impacto em seu curso doutrinário pois a Igreja precisa de aceitação social já que tem muitas empresas) para melhor ser aceita na sociedade.A peça teatral sobre o Livro de Mórmon na Broadway a fez anunciar o fim da doutrina de que seremos criadores de mundo.O interessante é que em português não foi dada muita ênfase sobre o tópico : http://www.dailymail.co.uk/news/article-2569583/Mormons-People-dont-planets-afterlife.html
    Se a Igreja cede a pressões?Claro que sim! Quem pode provar ao contrário?Por que Deus só iria liberar o sacerdócio ao negros em 1978 se em todas as outras religiões ditas cristãs os negros possuíam e possuem autoridade desde o século XVIII?Por que Deus autorizaria a poligamia no século XIX se nenhuma outra religião dita cristã jamais usou praticar tal ato desde o tempo que surgiram as cisões religiosas com a Reforma Protestante?Vc pode alegar é porque a Igreja é verdadeira.Okay.Mas se ela é verdadeira porque Deus nega e depois oferece o que nega a um grupo específico se Ele não faz acepção de pessoas?

    • Ser verdadeira não significa ser perfeita. Joseph também ensinou que Deus dá mandamentos conforme o contexto da época. E também há criações de líderes ensinadas como vontade de Deus como foi o caso da proibição do sacerdócio.

      • A verdade não é perfeita, não entendi; me parece um paradoxo, para não dizer completamente contraditório.

  2. “Foi o nosso privilégio como apóstolos sustentar o que havia sido revelado ao Presidente Monson.” Apóstolo Russell Nelson

    A remoção (ou seria revogação?) da Revelação de Jesus Cristo recebida pelo Profeta Thomas Monson não seria um indício de que o deus mórmon tem lido jornais e blogues da internet?
    Afinal, como disse João I. Vendemiatti (06/09/2016 at 5:58 pm, in “A Arca de Noé”), “Vemos que mesmo um Deus sem corpo não possui a perfeição e o crescimento de um Deus com corpo e com a experiência da mortalidade. =) Deuses e homens evoluem. =)”.

    Muito feliz porque deus tem evoluído mais rapidamente do que eu esperava!

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s