Site Oficial da Igreja Mórmon Mente?

Frequentemente circulam, entre membros da Igreja SUD pelas redes sociais, campanhas urgindo demais membros a apenas ler sites oficiais da Igreja.

A motivação para, e a problemática de, tal visão miópica foram habilmente abordadas em recente artigo de Emanuel Santana.

Contudo, a questão ainda não abordada é o que fazer quando o site oficial da Igreja mente?Nós já ilustramos um episódio de quando a página oficial da Igreja no Facebook mentiu para seus membros. Ontem, nós recebemos de um leitor uma notificação de um artigo publicado no site oficial da Igreja contendo informações desonestas e dissimuladas.

O artigo em questão é entitulado ‘Journal of Discourses’.

DISCURSOS DOS PROFETAS E APÓSTOLOS

O ‘Jornal dos Discursos‘, conhecido em inglês como ‘Journal of Discourses’, e comumemente abreviado como J.D. ou JOD ou JoD, é uma coleção de 26 livros publicados oficialmente pela A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias contendo os discursos dos seus Profetas e Apóstolos entre 1854 e 1886.

A ideia original para essas publicações veio de George Watt, estenógrafo pessoal de Brigham Young. Watt vinha anotando vários discursos com o inovador método de taquigrafia desenvolvido por Isaac Pitman em 1837 quando abordou Young com a sugestão de imprimi-los na Inglaterra, onde a Igreja mantinha missionários e impressão era muito mais barata. A Primeira Presidência imediatamente aprovou o conceito e designou Watt para preparar e publicar a primeira edição.

Watt pessoalmente supervisionou o trabalho de mais 11 estenógrafos, além de suas próprias transcrições, rendendo os primeiros 12 volumes da série. Young arrastava Watt para onde quer que fosse e praticamente todos os seus discursos públicos entre 1854 e sua morte em 1877 foram minuciosamente registrados por Watt e publicado no Jornal. Young pessoalmente editava e corrigir os manuscritos de seus próprios discursos antes de publicação, e selecionava dentre os demais para escolher quais seriam publicados e como seriam editados.

Originalmente, os discursos eram publicados em folhetins quinzenais para servir como o principal material impresso da Igreja SUD, especialmente para os membros que viviam na periferia da Igreja e não tinham acesso ao jornal diário Deseret News. Eventualmente, os folhetins foram sendo editados e compilados em volumes de livros impressos sob o título (originalmente nos primeiros 5 volumes, depois encurtado) ‘O Jornal dos Discursos de Brigham Young, Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Seus Dois Conselheiros, os Doze Apóstolos, e Outros’.

MENTINDO SOBRE O PASSADO

No site oficial da Igreja lê-se sobre o ‘Jornal dos Discursos’ informações que simplesmente não são verdadeiras.

O site oficial da Igreja minimiza a posição “oficial” da publicação, distanciando-a da Igreja (ênfases nossas):

O Journal of Discourses não é uma publicação oficial da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Trata-se de uma compilação de sermões e outros materiais dos primeiros anos da Igreja, que foram transcritos e depois publicados. Incluía algumas instruções doutrinárias, mas também ensinamentos práticos, alguns dos quais tinham natureza especulativa e outros tinham apenas interesse histórico.

O site oficial da Igreja minimiza a acurácia e fidedignidade da publicação, questionando seus méritos técnicos (ênfases nossas):

O conteúdo do Journal of Discourses foi transcrito, às vezes de modo inexato, e publicado entre 1854 e 1886, na Inglaterra… A exatidão de algumas transcrições foi questionada. Não havia tecnologia e processos modernos para verificar a exatidão das transcrições, e alguns erros importantes foram documentados

O site oficial da Igreja minimiza a importância doutrinária dos discursos, questionando seus méritos teológicos (ênfases nossas):

Essa compilação continha algumas declarações de doutrina bem como outros materiais de interesse dos santos dos últimos dias que moravam longe do centro da Igreja, incluindo discursos proferidos em diversas ocasiões, discursos fúnebres, relatórios de missionários que retornavam do campo, orações e os procedimentos de um julgamento… O Journal of Discourses inclui ensinamentos interessantes e esclarecedores proferidos por antigos líderes da Igreja; contudo, por si só, não é uma fonte autorizada de doutrina da Igreja.

Todos esses três pontos são sabidamente inverídicos e desonestos.

CONHECERÃO A VERDADE E A VERDADE OS LIBERTARÁ

Consideremos os fatos documentados e facilmente descobertos:

1. Journal of Discourses não é uma publicação oficial?

O ‘Jornal dos Discursos’ obviamente era uma publicação oficial da Igreja e toda evidência histórica demonstra isso. A Enciclopédia do Mormonismo, editada e publicada pela Igreja SUD em 1992, diz (ênfases nossas):

O Journal of Discourses fora uma publicação bissemanal privada por assinatura de 16 páginas, impressa em Liverpool, Inglaterra, entre 1854-1886. Ele servia como a palavra impressa d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, particularmente para membros que não tinham acesso ao Deseret News em Lago Salgado.

Após 1852, [George D.] Watt transcrevia os discursos das Conferências da Igreja para o Deseret News. Mas porque o [Deseret] News não se encontrava disponível fora da central em Utah e porque Watt recebia pouco por seu trabalho, ele propôs publicar privadamente e vender edições bissemanais do Journal of Discourses contendo uma seleção dos discursos das Autoridades Gerais. A venda dessas edições para os Santos em geral permitiria a Watt seu ganha-pão com sua habilidade taquigráfica. Ele foi apoiado em sua proposta por Brigham Young, quem o autorizou a publicar seus sermões.

Embora a publicação original tecnicamente não era um veículo impresso da Igreja, o seu conteúdo era criado e editado sob supervisão pessoal de Brigham Young, e era o mesmo conteúdo criado e editado para publicação para o órgão oficial impresso da Igreja, o Deseret News.

Sobre isso escreveu Ronald G. Watt, o Arquivista Sênior do Departamento Histórico d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (ênfases nossas):

Watt pôs-se a trabalhar transcrevendo e editando esses e outros discursos e ao final do mês havia completado os discursos de [Brigham] Young e [Orson] Pratt e os entregue a Young para revisão. Thomas Bullock, secretário no escritório do Presidente, lia os discursos de Young em voz alta, e Young o corrigia. Passaram assim vários dias cuidadosamente lendo as transcrições de Watt. Em 1 de junho de 1853, a Primeira Presidência oficialmente autorizou Watt com o privilégio de preparar e publicar os discursos… Watt transcreveria e publicaria todos os futuros discursos do Presidente Young e outros líderes da Igreja. A Primeira Presidência encorajou todos a comprarem o jornal para o benefício do Élder Watt. Watt agora tinha uma renda fixa, e um emprego oficial no escritório da Primeira Presidência. Ainda mais importante para a Igreja, a publicação do ‘Jornal dos Discursos’ foi um marco, essencialmente o início de uma publicação mundial para a Igreja. Embora o ‘Jornal dos Discursos’ tivesse sido um empreendimento privado, tratava-se de uma publicação oficial da Igreja

Sabendo que todos os contemporâneos, inclusive o Presidente da Igreja, consideravam-na uma publicação oficial da Igreja, é razoável ou honesto afirmar o contrário?

2. O JoD foi transcrito “de modo inexato” e “questionado” contendo “erros importantes”?

Sobre isso escreveu Ronald G. Watt, o Arquivista Sênior do Departamento Histórico d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (ênfases nossas):

O processo transcorrendo desde as anotações taquigráficas até a publicação final era longo. Cada discurso transcrito era enviado ao respectivo orador para sua cuidadosa revisão. Albert Carrington, que servia como o secretário pessoal de Brigham Young, assumiu a responsabilidade de cuidadosamente editar todos os manuscritos do Journal [of Discourses] antes que Watt os enviasse para Liverpool para publicação.

Sabendo que todos os discursos eram revisados e corrigidos por seus autores originais antes de publicação, é razoável ou honesto citar problemas técnicos de transcrição?

3. O Journal of Discourses não é uma fonte autorizada de doutrina da Igreja?

A importância teológica e doutrinária dada a esses volumes na época fica evidente nos comentários dos próprios Profetas e Apóstolos citados neles.

Brigham Young, 2o Presidente da Igreja SUD, disse:

“O Irmão [Apóstolo] Orson Hyde referiu-se a alguns que reclamam por não obter revelações. Vou fazer uma declaração aqui que tem sido movida contra mim como um crime, talvez, ou como uma falha na minha vida. Não aqui, eu não vou aludir a qualquer coisa do tipo neste lugar, mas nos conselhos das nações – que Brigham Young disse que “quando ele envia seus discursos para o mundo as pessoas podem chamá-los de Escritura“. Eu digo agora, quando eles são copiados e aprovados por mim, eles são tão bons enquanto Escritura como as que se encontram na Bíblia, e se você quiser ler revelação, leia as palavras de quem conhece a mente de Deus … ” — Brigham Young (Journal of Discourses, 13:264)

George Q. Cannon, Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência escreveu:

“O Jornal dos Discursos merecidamente se classifica como uma das obras-padrão da Igreja, e cada Santo sensato vai certamente acolher com alegria cada número (edição), assim que ela for publicada.” — George Q. Cannon (Journal of Discourses, Prefácio, Volume 8)

O Apóstolo Orson Pratt escreveu:

“Cada volume sucessivo destes discursos é uma rica mina de riqueza, contendo gemas de grande valor, e o pesquisador diligente vai encontrar uma ampla recompensa por seu trabalho. Depois que os pais e as mães desta geração fizeram deles o estudo de suas vidas, os filhos de seus filhos vão achar que eles ainda não estarão esgotados, e regozijarão que este registro tenha sido transmitido por seus pais para também ajudá-los a seguir o caminho da vida.” — Orson Pratt (Journal of Discourses, Prefácio, Volume 3)

Joseph F. Smith, então Conselheiro na Primeira Presidência, e sexto Presidente da Igreja, escreveu:

“É impossível dar um valor monetário para os volumes já impressos desta publicação, … Aqueles que lêem as declarações dos servos de Deus, contidas neste livro, sob a mesma influência pelo qual os oradores foram inspirados, não podem deixar de receber lucro da leitura. ” — Joseph F. Smith (Journal of Discourses, Prefácio, Volume 18)

O Apóstolo Albert Carrington escreveu:

“Temos o grande prazer de apresentar aos Santos e ao mundo … o Jornal dos Discursos, que eles vão decobrir contém ricos tesouros de informações sobre os princípios gloriosos da vida eterna, como revelado através de servos ungidos de Deus nestes últimos dias. Todos que leram os discursos contidos neste volume são recomendados seriamente a adaptá-los às suas vidas pela prática, e nós podemos confiantemente assegurar-lhes que, ao fazer isso, eles estão colocando-se uma loja de conhecimento que vai salvar e exaltá-los no reino celestial.” — Albert Carrington  (Journal of Discourses, Prefácio, Volume 18)

É uma doutrina axiomática da Igreja que os seus Profetas e Apóstolos são “Profetas, Videntes, e Reveladores” e que seus pronunciamentos representam a mente e a vontade de Deus. Para os Santos no século 19, esses discursos eram como as escrituras, e evidentemente os Profetas e Apóstolos da época os encorajavam a assim pensar e crer.

Sabendo que os Profetas e Apóstolos contemporâneos consideravam-na uma publicação oficial da Igreja e de fundamental relevância espiritual, teológica, e doutrinária, é razoável ou honesto afirmar o contrário?

CONCLUSÃO

O site oficial da Igreja SUD mente hoje ao afirmar que o ‘Jornal dos Discursos’ não era uma publicação oficial da Igreja. Ele poderia ter dito que a Igreja não o publica mais hoje em dia, mas fingir que nunca fora uma publicação oficial contradiz os fatos e é simplesmente desonesto.

O site oficial da Igreja SUD mente hoje ao afirmar que o ‘Jornal dos Discursos’ continha erros de transcrição, considerando que os discursos eram revisados antes de sua publicação. Ele poderia ter dito que a Igreja não concorda com os ensinamentos e as doutrinas ali impressas hoje em dia, mas fingir que nunca foram doutrinas ou ensinamentos no passado contradiz os fatos e é simplesmente desonesto.

O site oficial da Igreja SUD mente hoje ao afirmar que o ‘Jornal dos Discursos’ não fora uma fonte autorizada de doutrina da Igreja. Ele poderia ter dito que a Igreja não o autoriza mais hoje em dia, mas fingir que nunca autorizara contradiz os fatos e é simplesmente desonesto.

O site oficial da Igreja SUD poderia evitar toda essa desonestidade simplesmente admitindo que a Igreja mudou doutrinas e ensinamentos que, outrora abraçadas por líderes e pela Igreja, hoje não mais pertencem ao corpo da fé. Não obstante toda dissimulação para passar a ilusão de constância, as crenças e as doutrinas aceitas no século 21 não alteram o passado e não tornam os fatos históricos inexistentes.

Então, voltamos à nossa pergunta inicial. O que fazer quando o próprio site oficial da Igreja SUD mente para seus membros?


O Jornal dos Discursos pode ser acessado e lido em sua íntegra aqui. Ele também pode ser lido em cópias facsímiles, publicadas no site oficial da Igreja SUD aqui. Eles podem ser até baixado para computadores pessoais e celulares, ou lidos online, aqui.

Nós publicamos uma coletânea de traduções de trechos interessantes aqui. Leia-os e entenda porque o site LDS.org está mentindo sobre o Jornal dos Discursos.

Saiba mais sobre os bastidores do site LDS.org aqui.

Saiba mais sobre a perspectiva de membros do site LDS.org aqui.

15 comentários sobre “Site Oficial da Igreja Mórmon Mente?

  1. Quando eu vi essa mentira eu já conhecia as citações de Brigham Young dizendo que era escritura e do Elder Cannon dizendo que era Obra Padrão da Igreja… fiquei muito impressionado quando vi o site oficial negando ser oficial. É como se daqui alguns anos dissesse que Liahona não é oficial ou que o site oficial não era oficial… Agora pergunto, a mentira vem de Deus? A intenção da Igreja é cada vez mais clara em tentar mudar os fatos históricos e esconder pontos cruciais dos membros, como o sacerdócio para as mulheres, as doutrinas criadas por Brigham Young e seus sucessores, etc. Nunca aprendi nem no instituto, nem no seminário e nem na escola dominical sobre o Patriarca Presidente… tudo o que aprendi foi que era o chamado de Joseph Smith Sênior, como se ele fosse um patriarca de estaca…O controle de informação foi uma das características da apostasia e da Idade das Trevas. A Igreja incentiva a leitura e o estudo, desde que sejam o que ela “selecionou”, quem estuda fora disso acaba excomungado (Michael Quinn) ou cai no ostracismo (Juanita Brooks). Quanto tempo levará para termos as escrituras confiscadas, proibidas de serem lidas e ter um pedaço delas ser considerado heresia?

    E o que acontece? Os pensantes, os de opinião critica são chamados de hereges, apostatas, servos do demônio, pela grande massa de manobra religiosa. A lenha para a fogueira da inquisição está sendo preparada…

    • @João Foi isso que aconteceu comigo. Eu era membro há 23 anos quando comecei a estudar a fundo realmente, e encontrei algumas doutrinas difíceis de ser digeridas. Procurei meus lideres para me esclarecerem e o que recebi foi que eu estava sendo influenciada por satanás, e até hoje sou vista como uma pessoa que enfraqueceu das faculdades mentais. Vê se pode isso! Me afastei não pelo fato de perder a fé em Deus e Jesus Cristo, não, mas por não saber que caminho eu estava tomando ali. Eu passei anos aprendendo de uma forma, e quando fui estudar por mim mesma, fui tachada de louca. Hoje frequento outras igrejas na busca de me sentir bem em alguma delas, mas nunca mais consegui sentir o espirito santo forte em nenhuma delas.

      • Infelizmente toda e qualquer Igreja são formadas por pessoas, com todas suas qualidades e defeitos. Se vc sentia for a presença do Espirito, volte pra Igreja e não se importe com o que as pessoas vão dizer. Infelizmente os seres pensantes geralmente são deixados no ostracismo, pois pessoas que pensam questionam e há muitos líderes que não querem ser questionados. Não devemos esquecer que Judas também foi apóstolo e líder escolhido a dedo por Jesus. O maior problema é que muitos membros não conhecem e não sabem lidar com a história da Igreja, inventam teorias e explicações sobre algumas delas, criam mitos populares, etc.Toda religião comete erros em seu inicio, mas, assim como os homens, ela evolui, amadurece. A restauração foi em 1830, mas nos anos seguintes Deus continuou dando novas revelações e continuou realizando a restauração, linha sobre linha, o amadurecimento leva tempo =)

  2. Frequentei a Instituição Mórmon de 1997 a 2013. Fui missionário, servi em vários chamados, bispo inclusive, mas causa-me imensa tristeza o fato de não ser possível negar: a mentira permeia o universo mórmon com uma frequência cada vez mais assustadora.
    “… a verdade vos libertará…”
    Sou grato por estar livre hoje em dia!

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.