Rússia Ameaça Liberdade Religiosa, Igreja Mórmon Responde

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou nesta semana uma lei antiterrorista que severamente restringe os direitos civis de seus cidadãos e ainda restringe liberdades religiosas no país.

Líderes das religiões tradicionais na Rússia e representantes estudantis celebram cerimônia com o Presidente Vladimir Putin dedicada à união nacional em 2012.

A lei que Putin assinou exige que empresas de telecomunicações armazenem gravações de ligações telefônicas, mensagens de texto, e uso de internet de todas as pessoas em território russo por no mínimo 6 meses, e obriga empresas de redes sociais (e.g., Facebook, Telegram, Twitter, WhatsApp, etc.) a fornecer códigos de decriptação para o serviço de inteligência governamental FSB (antiga KGB). Ademais, ela explicitamente proíbe expressões consideradas como extremistas, autorizando a vigilância de correios regulares e eletrônicos, e obrigando cidadãos a denunciar atividades suspeitas sob duras penas.

Além de infringir direitos civis de privacidade e liberdade de expressão de seus cidadãos e estrangeiros expatriados, a Lei Yarovaya, que entrará em vigor no final deste mês, restringe a liberdade religiosa de igrejas como a Igreja Mórmon ao proibir atividades de recrutamento, como proselitismo missionário. As Testemunhas de Jeová, por exemplo, imediatamente publicaram duras críticas ao governo russo por considerarem que tornarem-se alvos inocentes de uma lei teoricamente destinada a combater extremismo violento.

A Lei Yarovaya ainda proíbe pregações, orações, e disseminações de materiais religiosos em público fora de zonas especificamente designadas por agentes governamentais (i.e., igrejas, templos, capelas, sites online previamente aprovados, etc.), estabelecendo multas de até USD 15.500 para as instituições pegas quebrando a lei com tais atividades, mesmo sendo realizadas em residências particulares ou através de mídia impressa, mídia rádio ou televisiva, ou mídia eletrônica.

De acordo com a agência norte-americana Comitê pela  Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos:

“Missionários estrangeiros também devem provar que foram convidados por grupos religiosos registados pelo Estado e devem operar somente em regiões onde suas organizações patrocinadoras estão registradas; aqueles encontrados em violação sofrerão deportação e multas pesadas.”

O maior problema, tanto em questão de direitos civis, como em questão de liberdade religiosa, é que “extremismo” não é definido claramente pela lei.

“Acusações de ‘extremismo’ podem incluir a promoção pacífica de ‘superioridade da própria religião de cada um’, e [já] resultaram em textos religiosos sendo banidos e na prisão de membros de grupos muçulmanos não violentos e Testemunhas de Jeová.”

Líderes de comunidades evangélicas e protestantes, compondo meros 1% da população russa, já representaram agravo público contra o governo russo e organizaram-se para peticionar tanto Putin como legisladores e até a Suprema Corte do país. Desde o início do processo de tramitação do projeto-de-lei no Duma (câmara inferior do parlamento russo), esses líderes religiosos evangélicos e protestantes uniram-se para pressionar legisladores e protestar as emendas que tornaram-na ainda mais agressiva e invasiva, porém largamente sem sucesso.

Proposto pela deputada Irina Yarovaya, do partido que mantém folgado controle do legislativo, o Partido Rússia Unida,  o projeto-de-lei foi duramente criticado por essas petições de líderes religiosos por dificultar todos os grupos religiosos na Rússia exceto a Igreja Ortodoxa Russa, favorecendo-a enquanto religião amplamente majoritária e tanto cultural como legalmente dominante no país. Partidos políticos com aspirações nacionalistas, como o PRU (chefiado pelo próprio Putin), mantém fortes laços à Igreja Ortodoxa como força de expressão cultural nacionalista, em detrimento da liberdade e diversidade religiosa do povo russo, critica Sergei Ryakhovsky, líder da Liga das Igrejas Protestantes da Rússia. Ryakhovsky uniu-se a vários outros líderes evangélicos para pressionar legisladores russos a repensar ou reverter a política oficial do país, tanto durante o processo de tramitação no legislativo, como agora no planejamento para contestá-la nas cortes russas.

Enquanto isso, do outro lado do mundo, líderes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias emitiram nota oficial afirmando a intenção de manter seus missionários na Rússia e adequar-se para cumprir a lei em todos os seus requisitos:

“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias divulgou a seguinte declaração na sexta-feira, 8 de julho de 2016:

A Igreja reconhece que uma nova lei entrará em vigor na Rússia em 20 de julho de 2016, que terá um impacto sobre o trabalho missionário. A Igreja vai honrar, sustentar e obedecer à lei. Missionários permanecerão na Rússia e vão trabalhar dentro das exigências dessas mudanças. A Igreja continuará a estudar e analisar a lei e seu impacto uma vez que entrar em vigor.”


[ATUALIZAÇÃO 22/07/2016: Igreja anuncia mundança oficial em resposta à lei Yarovaya. Leia aqui.]

12 comentários sobre “Rússia Ameaça Liberdade Religiosa, Igreja Mórmon Responde

  1. “Acusações de “extremismo” podem incluir a promoção pacífica de “superioridade da própria religião de cada um”

    Tá aí uma das propostas de proselitismo missionário mais agressiva (embora com pouca fundamentação histórica por parte do líder fundador) é a famosa frase: “única igreja verdadeira e viva sobre toda a terra” (frase essa que os apóstolos e autoridades gerais evitavam falar em público até a ultima conferencia quando se sentiram intimidados com o movimento de Denver Snuffer e seu crescimento).

    Minha pergunta é: E aí, a doutrina dá uma mudadinha? Ou nunca foi doutrina? Ou é coisa dos membros “papagaio” para se sentirem validados e superiores a seus irmãos cristãos ?

  2. Bem sinto muito mas a SUD deveria sair rapidamente do território russo, extremismo é sinônimo de mormonismo para mim!

  3. A reação da igreja é vergonhosa!
    Ela se preza a levantar a bandeira da “liberdade religiosa” somente quando é pra atacar os direitos civis das pessoas LGBT.
    Mais uma evidência de que a igreja e seus profetas modernos, ao contrario dos profetas bíblicos que não tinham papas na língua pra chamar um rei ao arrependimento, se aliam aos poderes dominantes e não pregam contra o “status quo”, nem quando este prejudica de verdade a igreja.

    • Se realmente conhecesse, saberia sobre a 12º Regra de Fé Cremos na submissão a reis, presidentes, governantes e magistrados; na obediência, honra e manutenção da lei.

      Seria contraditório, se fizesse oposição ou “afronta” ao governo.
      Abraços

      • Se você realmente conhecesse, saberia o contexto que fez Joseph Smith afirmar isso a um jornalista estadunidense, ao mesmo tempo que conspirava para fundar sua própria republica (Sião) e tomar o poder dos EUA.

      • Boa tarde,
        Realmente a biblia no livro de ROM 13:1 e TITO 3:1 diz sobre estar sujeito mas quando os apóstolos enfrentaram oposição e inclusive foram presos pelo fato de pregarem sobre jesus demonstra que temos que tomar o lado que agrada a Deus antes que os conceitos e leis daqueles que não observam as normas de Deus. Atos 5:28,29
        O fato de Jerusalém estar sobre força de Roma demonstra que nem sempre a autoridade estaria do lado correto. Pensemos queridos.
        Saudações

  4. Sei que a igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos dias é verdadeira e única que tudo tem uma forma de ser e Deus está nos conduzindo na melhor forma por seus líderes.
    Não é por vocês não saberem ou não concordarem que algo deixa de verdadeiro

  5. A Igreja vai honrar, sustentar e obedecer à lei.
    Como a 12º Regra de Fé diz! “Cremos na submissão a reis, presidentes, governantes e magistrados; na obediência, honra e manutenção da lei.”
    Nos dias de hoje não seria prudente a nenhuma religião “bater de frente” com qualquer governo! Procuramos a paz, seria contraditório.Como diz a 13º Regra de Fé: Cremos em ser honestos, verdadeiros, castos, benevolentes, virtuosos e EM FAZER O BEM A TODOS OS HOMENS; na realidade, podemos dizer que seguimos a admoestação de Paulo: Cremos em todas as coisas, confiamos em todas as coisas, suportamos muitas coisas e esperamos ter a capacidade de tudo suportar. Se houver qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável, nós a procuraremos
    E além do respeito as leis, tem a 11º Regra de Fé: “Pretendemos o privilégio de adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência, e concedemos a todos os homens o mesmo privilégio, deixando-os adorar como, onde ou o que desejarem.”
    Ninguém é obrigado a nada, todos temos o livre arbítrio.

    Deixo essas palavras testemunhando de que sei que é verdade, e que se todos, tivessem o mesmo ideal, não teríamos que submetermos às leis tão radicais.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s