Revelação inédita de 1831


"Mulher Sioux", de Howard Terpning

Trecho da revelação dada por intermédio de Joseph Smith, no Condado de Jackson, Missouri, em 17 de julho de 1831, conforme o relato de William W. Phelps.

Em verdade, em verdade, diz o Senhor, vosso Redentor, o próprio Jesus Cristo, a luz e a vida do mundo que não podeis discernir com vossos olhos naturais, o desígnio e propósito de teu Senhor e teu Deus em trazê-los ao ermo, para uma prova de vossa fé – e para serdes testemunhas especiais para prestar testemunho desta terra, sobre a qual a Sião de Deus deverá ser construída nos últimos dias, quando for redimida.

Em verdade, uma vez que estais unidos em clamar ao meu nome para saber minha vontade acerca de quem pregará aos habitantes que deverão se reunir neste dia para aprender nova doutrina que tenhais para ensiná-los, haveis feito sabiamente – pois assim fizeram os Profetas antigos, mesmo Enoque, Abraão e outros; e, portanto, é minha vontade que meu servo Oliver Cowdery deva abrir a reunião com oração; que meu servo W. W. Phelps deva pregar o discurso; e que meus servos Joseph Coe e Ziba Peterson devam prestar testemunho como forem movidos pelo Santo Espírito. Isto será aprazível ao olhar de vosso Senhor.

Em verdade, vos digo que estais assentando a fundação de uma grande obra para a salvação de tantos quanto acreditarem e se arrependerem e obedecerem às ordenanças do Evangelho e continuarem fieis até o fim: pois assim como vivo, diz o Senhor, assim viverão.

Em verdade vos digo que a sabedoria do homem, em seu estado decaído, não conhece os propósitos e privilégios do meu santo sacerdócio, mas vós sabereis quando receberdes uma plenitude em razão da unção; pois é minha vontade que, em tempo, deveis tomar para vós esposas dentre os lamanitas e nefitas, para que sua posteridade possa tornar-se branca, deleitosa e justa, pois mesmo agora suas mulheres são mais virtuosas do que as gentias.

Cingi vossos lombos e estais preparados para a grandiosa obra do Senhor – para preparar o mundo para minha segunda vinda -, para encontrar as tribos de Israel, de acordo com as predições de todos os santos profetas desde o princípio; para a desolação final e os decretos sobre Babilônia; pois como o Evangelho Eterno é levado a partir desta terra, em amor pela paz, para reunir meus eleitos dos quatro cantos da terra, para Sião – assim deverá rebelião se seguir, rapidamente,

Em verdade vos digo que o dia de aflição e vingança está próximo às portas desta nação, quando homens iníquos, ímpios e ousados se levantarão em ira e poder e avançarão em ódio, como o pó é levado por um vento terrível; e serão o meio de destruição do governo e causarão a morte e miséria de muitas almas; mas os fieis entre meu povo serão preservados em lugares santos durantes todas estas tribulações.

Sejais pacientes, portanto, possuindo vossas almas em paz e amor, e mantei a fé que vos é agora entregue para a reunião da Israel dispersa, e eis que estou convosco, ainda que não possais me ver, até que eu venha: assim seja; Amém.

Relatada por William W. Phelps em carta a Brigham Young, em 12 de agosto de 1861. In Collier, Fred. Unpublished Revelations, 10:4, p.58. Tradução para o português de Antônio Trevisan Teixeira. Não utilizei acima a versificação introduzida no texto por Collier.

Leia mais sobre o contexto da revelação.

Leia aqui mais um importante texto histórico mórmon em português.

*A pintura que ilustra este texto é “Mulher Sioux” de Howard Terpning.

11 comentários sobre “Revelação inédita de 1831

  1. O evangelho de “Yahooshua” foi pregado a todos indempendente de “cor”. Na ressurreição todos serão iguais perante “Yahoo” para serem julgados segundo suas obras. A cor da pele é o que menos vai importar. Existem muitos assassinos, estrupadores e ladrões (loiros de olhos azuis). Esta revelação foi relatada por William, mas foi recebida porquem? A começar pela falta de conhecimento e cultura, Cristo seria ignorante se se referisse a sí mesmo como “Jesus” nome grego que significa “Deus-cavalo”. e referência ao nomes “Zeus”. Pena que nem todas pessoas tem esta informação correta e alguns pensam ter. Para mim, teria que ter começado pelo nome certo “Yahooshua”. Já errou no nome, não pode estar certo no resto…

    • Estudante,

      Você pode nos referir a alguma revelação já registrada em que o personagem se identifica como Yahooshua?

      Você deve estar ciente do fato de que não há consenso sobre como seria o nome histórico de Jesus. Yeshua? Yehoshua?

      Se o nome “Jesus” torna uma revelação falsa, todas as revelações recebidas por Joseph Smith se encaixam nessa categoria. Levando o raciocínio mais adiante, imagino que isso também seria o caso de todas as respostas a orações feitas ao Pai “em nome de Jesus Cristo”.

      Claro que não posso questionar sua crença sobre uma revelação ser falsa ou verdadeira. Crenças são pessoais.

  2. Resposta perfeita, irmão Teixeira.

    Veja o que diz Estudo Perspicaz das Escrituras (a enciclopédia bíblicas das Tj’s): “O nome Jesus (gr.: I‧e‧soús) corresponde ao nome hebraico Jesua (ou, na forma mais plena, Jeosué), que significa “Jeová É Salvação”

    A língua pouco importaria para os Deuses santos. Se fôssemos atrás desse detalhe e Eles indicasse que isso seria importante, não teriam (1) dado vários nomes aos mesmos personagens bíblicos (Jesus é chamado na bíblia de “Siló”, “Emanuel” e de Jesus) e (2) qual os nomes deles lá nos domínios espaciais e que não conseguiríamos mencionar por ser língua diferente?

    O fato é que Jesus viveu durante uma época em que haviam três línguas dominantes: Hebraico/aramaico judeu; grego e latim, de roma. Como não haveriam nomes diferentes, de acordo com a língua? Ademais, eles nunca questionaram isso. Pedro ou Simão? Tanto fazia para ele. Jesus hebraico, grego ou nas hoje milhares de línguas? Não importa para ele esse detalhe, contando que aprendam sobre a pessoa dele que é o mais importante.

    O irmão do “Yahoo” deve está querendo fazer propaganda do portal.

    Wandrey
    ARSBI

    • Estudante e Wandrey,

      acho que nos falta uma tradução das escrituras em que os nomes usados no original sejam transcritos e explicados. Isso nos ajudaria tanto numa leitura histórica, acadêmica do texto bíblico, quanto numa leitura devocional. Entre outros benefícios, isso evitaria fazermos “fetiche” (se permitem usar esse termo com certa ironia) de um determinado nome, uma vez que a bíblia hebraica traz centenas de nomes/títulos para Deus.

      O primeiro versículo de Gênesis traz “Elohim”, uma palavra plural, que significa literalmente “deuses”. E há diversas outras formas de El, incluindo El Elyon, o “Deus Altíssimo”, como geralmente lemos nas traduções. Por que não deveríamos nos referir a Deus como El? Cristo, no seu momento de maior agonia, chama o Pai de El – “Eli, Eli”.

      No caso de YHWH, a pronúncia simplesmente foi perdida e qualquer leitura que demos não passa de uma tentativa de reconstruir possibilidades, sendo Jeová, por ex., uma palavra impossível de haver existido em hebraico.

      Wandrey, a forma Yahoo aparece em papiros aramaicos, muito antes do servidor de internet 🙂

      Abraços!

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.