Senador Mórmon Critica Igreja SUD

Membro ativo da Igreja SUD, o Senador Estadual Steve Urquhart criticou a Igreja por se posicionar oficialmente contra projeto-de-lei que classificaria como hediondos os crimes cometidos especificamente por causa de discriminação contra “ancestralidade, deficiências, etnia, gênero, identidade de gênero, nacionalidade, raça, religião, orientação sexual”.

Senador Stephen Urquhart, Republicano de St. George, Utah, critica Igreja SUD por se opor à legislação que protege minorias contra discriminação (Foto: Ravell Call, Deseret News)

Senador Stephen Urquhart, Republicano de St. George, Utah, critica Igreja SUD por se opor à legislação que protege minorias contra discriminação (Foto: Ravell Call, Deseret News)

Entenda o caso:

A legislação do estado de Utah passou uma lei em 2015, com o apoio público da Igreja SUD, que criminalizava discriminação contra homossexuais em contratos trabalhistas e habitacionais (i.e., locação e compra/venda de imóveis). Contudo, essa lei isentava profissionais nessas situações de responsabilidade criminal ao expressar discriminação pessoal sob a guisa de crenças religiosas.

O atual projeto-de-lei, apoiado por grupos religiosos e de interesses minoritários em Utah e até pela Igreja Católica, não redefine atos discriminatórios ilegais, aceitando-os como presentemente definidos no código penal, porém os classificaria como hediondos, aumentando assim as penas e punições legais em casos de condenações.

A isso a Igreja SUD opos-se sem margens para dúvidas:

“A Assembléia Legislativa de Utah conseguiu algo extraordinário no ano passado ao passar uma lei que protege tanto os direitos à liberdade religioso como os direitos LGBT. Interesses de ambos os lados do espectro político estão tentanto alterar esse equilíbrio. Nós cremos que o delicado equilíbrio alcançado através de equanimidade deva ser mantido.”

Com esse pronunciamento público, a Igreja SUD signalizou aos legisladores sob seu controle e influência que se opõe à essa legislação e que devem trabalhar para derrota-la.

O Senador Urquhart, contudo, apesar de membro ativo e fiel da Igreja, recusou-se a aceitar essa intimidação da Igreja. Ao seu ver, o projeto-de-lei não viola os direitos à liberdade religiosa de ninguém (inclusive, protege-a explicitamente contra discriminação) e oposição à essa legislação nada mais é que uma perpetuação da discriminação contra minorias, especialmente LGBT.

“Eu peço desculpas à comunidade judaica e ao Estado de Utah visto que as proteções legais não serão fornecidas contra tais ameaças, por causa de um comunicado de imprensa emitido pela minha Igreja … Qualquer alegação de que o meu projeto-de-lei precisa ser excluído por causa de uma falta de equilíbrio é uma falsa acusação. Essa descaracterização deve ser corrigida. É a nossa igreja que tem especificamente rejeitado essa abordagem equilibrada … Quando eu era uma criança em uma situação escura, a Igreja Mórmon brilhou uma luz na minha vida [mas essa] luz tem piscado sobre questões LGBT [e com o recente comunicado de imprensa], essa luz simplesmente se apagou.”

A Igreja SUD notoriamente controla a legislação de Utah através de sua influência sobre os legisladores, e por isso muitos analistas e políticos profissionais creem que o projeto será derrotado por causa dessa oposição oficial. Urquhart, contudo, promete lutar até o fim para conseguir transformar o projeto em lei.

Desde a repercussão pública negativa do envolvimento da Igreja SUD nas eleições de 2008 para ilegalizar casamento homossexual na California, líderes da Igreja adotaram a tática de fingir proteger “liberdades religiosas” para manter sua discriminação contra LGBT socialmente justificável. Algumas concessões sociais e jurídicas foram feitas desde então para despistar do entricheiramento de uma posição anti-ética crescentemente impopular, mesmo entre membros, e especialmente entre os jovens. Esta oposição à uma lei desenhada para proteger minorias de todas as classes parece estar sendo motivada exclusivamente pelo ímpeto à discriminação de uma delas. Aparentemente, para poder discriminar contra LGBT, a liderança da Igreja SUD opõe-se proteger quaisquer minorias, mesmo religiosas, segura na realização de que, ao menos em Utah, ela não é minoria e não será discriminada.

2 comentários sobre “Senador Mórmon Critica Igreja SUD

  1. Ah, amigos, a Igreja faz aquilo que todo partido político no poder (ou tentando obtê-lo) faz; o que me é muito doloroso reconhecer, pois minhas expectativas de uma organização que se declara arauto de Cristo não copiaria atitudes de homens.

    E o que seria essa atitude? Simples, fazer algo para promover sua ideia interna e aprová-la e ao ‘povo comum’ dizer outra coisa. Consegue-se assim, com combinações internas a força do voto, e por ilusão das massas, apoio externo. Só que as massas fazem apoio a uma ideia vendida enquanto que o que é aprovado é bem diferente ou possui detalhes não explícitos (que facilmente causariam constrangimento às mesmas massas que apoiaram).

    É aquela história: “conte uma ‘verdade’, mas não toda ela”.

    E quando tentamos conversar sobre o assunto com qualquer correligionário (e irmão) já percebemos que a ideia foi muito bem vendida, pois seus argumentos baseiam-se em algo que não está em discussão, enquanto que o que se pretendia debater era outra coisa. Exemplo: quando tentamos falar sobre crimes cometidos por base discriminação (e aqui poderia caber a religiosa) o primeiro argumento que se ouve é em relação ao padrão de família definido por Deus; e quando se tenta informar que não é isso que está em pauta a próxima resposta é: “mas aprova isso pra ver se daqui a pouco não vão querer casar em nossos templos?”. Sério isso?

    Sinceramente, eu nunca vou entender ‘qual é’ a da corporação (i.e. Igreja). Pois eu não preciso renegar minhas crenças familiares para defender os direitos de integridade física e emocional dos que não professam minha fé.

  2. Concordo plenamente irmão, a comunidade LGBT tem o direito de ser respeitada, assim como temos o direito a ter nossa liberdsde religiosa, qual é o medo dos 12? Que seus jovens tornem se gays da noite para o dia? (Como se a missões não tivessem vários enrustidos) e onde está aquela ideia de “dai a césar oq é de césar e a Deus oq é de Deus”???? Oq cristo faria? Dá um tempo, casais gays não vão pedir pra entrarem no templo, a maioria se afastam da igreja, eles já sofrem o suficiente será que é necessário a igreja gastar tempo e dinheiro com isso?

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s