Universidade Mórmon Investigada por Discriminação

A universidade da Igreja Mórmon, Brigham Young University, está sendo investigada por suspeita de discriminação.

Prédio da Faculdade de Administração na Universidade de Brigham Young

Prédio da Faculdade de Administração na Universidade de Brigham Young

O órgão público equivalente à OAB norte-americana, a American Bar Association (ABA, ou “associação de advogados americana”) está investigando as práticas e políticas oficiais da universidade mórmon com relação a expulsão de alunos que abandonam a religião oficial da escola.

O chamado “código de honra” da BYU determina que alunos que não sejam membros da Igreja SUD, ou que sejam de outras religiões, ou que não pertençam a nenhuma fé específica, possam estudar lá normalmente e converter-se à fé mórmon em qualquer momento de sua vida acadêmica sem problemas. Contudo, se um aluno é membro da Igreja SUD e expressa o desejo de mudar de fé, ele(a) pode ser expulso imediatamente.

Uma ONG chamada FreeBYU (ou “BYU Livre”) está determinada a mudar essa política. Caleb Chamberlain, fundador da FreeBYU e ex-aluno explica:

“Há muitos alunos estudando na BYU atualmente que simplesmente escondem suas mudanças de fé, por pura necessidade, caso desejem formar-se. No meio do meu mestrado eu corria o risco de não poder me formar apenas por estar passando por uma transição na minha fé.”

No ano passado, quase 3 mil pessoas assinaram uma petição protestando a faculdade de direito da BYU por violar as explícitas regras éticas da ABA ao discriminar contra alunos LGBT ou contra alunos que mudaram de crenças ou afiliações religiosas. Consequentemente, a ABA enviou um investigador para entrevistar alunos e administradores e determinar se há descumprimento ético por parte da faculdade mórmon, e depois enviar as recomendações apropriadas para o comitê de acreditação do órgão.

Antes de 1993, a universidade aceitava alunos membros e não membros da Igreja igualmente, apenas distinguindo-os nos valores das mensalidades cobradas. Em 1993, porém, a universidade alterou sua política oficial para permitir a expulsão de alunos que decidissem abandonar a fé mórmon. Estudiosos da história mórmon recente reconhecerão o ano como o mesmo em que a Igreja conduziu uma caça a bruxas contra intelectuais, excomungando e ameaçando com excomunhão vários membros fiéis simplesmente por serem acadêmicos e estudiosos.

A ONG ‘BYU Livre’ é composta por alunos, ex-alunos, e pais de alunos que desejam fomentar o espírito de liberdade religiosa dentro do contexto universitário da BYU, acreditando ser injusto punir alunos acadêmica, financeira, e profissionalmente por causa de suas crenças religiosas. O site da ‘BYU Livre’ oferece explicações básicas sobre como funciona, especificamente, esse tipo de discriminação religiosa, além de testemunhos de alunos que sofrem ou sofreram esse tipo de discriminação por parte da Universidade.

É a esperança do movimento ‘BYU Livre’ ver liberdade religiosa ser não apenas um princípio a ser ensinado pela Igreja, mas também vivido e praticado por ela.


Se você deseja apoiar a causa da ‘BYU Livre’, junte-se a outros membros da Igreja e assine o seu abaixo-assinado adereçado ao Presidente da Universidade de Brigham Young.

 

2 comentários sobre “Universidade Mórmon Investigada por Discriminação

  1. si ustedes creen verdaderamente que es la iglesia verdadera aceptaran en las decisiones que tomen nuestros lideres porque ellos son guiados por el espíritu , si nuestros lideres colocaron reglas nosotros no somos quien para refutarlas .

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s