David Bednar: Mórmons Devem Ser Intolerantes

O Apóstolo David Bednar, além de afirmar que “não há homossexuais na Igreja”, ofereceu um alerta apostólico para os membros d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias de que devem insistir em ser intolerantes contra tais pessoas.

Em uma reunião com transmissão via satélite para a América Latina, e em resposta a uma pergunta previamente vetada pela organização do evento, disse o Apóstolo Bednar:

Esta uma pergunta do Chile. Nossa tradução tem de ser “perfecto”. Pronto?

Como podem homossexuais membros da igreja viver e permanecer firmes no evangelho?

Primeiro eu quero mudar a pergunta. Não há membros homossexuais na igreja.

A primeira reação de Bednar à pergunta “como podem homossexuais membros da igreja viver e permanecer firmes no evangelho”, obviamente motivada pelo sofrimento e desafios de pessoas LGBT resultante da discriminação oficial da Igreja SUD, é rejeita-la como uma pergunta válida. Homossexuais, diz ele, não existem.

Nós não somos definidos pela atração sexual. Não somos definidos pelo comportamento sexual.

Bednar passa a contradizer a própria doutrina e teologia Mórmon que preconiza o casamento como instituição final da própria existência humana, para o qual “atração sexual” serve função tão primordial que figura proeminentemente no ritual templário. Além disso, Bednar ignora o alto nível de controle que a liderança SUD impõe sobre seus membros exatamente sobre “comportamento sexual”, o que mais que prova como membros da Igreja são “definidos” pela liderança baseado em seus “comportamentos sexuais”.

Bednar argumenta que essa uma característica (i.e., “atração sexual”) não deve nos definir enquanto pessoas, mas em nenhum momento ele explica porquê deve-se, portanto, ignorar a sua existência. Cor de cabelo tampouco nos define enquanto pessoas, mas será que Bednar diria que “não há membros ruivos na Igreja”? Cor de pele tampouco nos define enquanto pessoas, mas até 1978 os líderes da Igreja SUD definiam-nas dignos ou indignos baseado nessa característica, também.

Somos filhos e filhas de Deus e todos nós temos diferentes desafios na carne. Existem muitos tipos diferentes de desafios. Não seria um desafio ser muito bonito ou muito atraente, e no mundo em que vivemos, nunca desenvolver um caráter profundo, porque somos capazes de abrir portas e ter sucesso apenas por causa da nossa aparência física? E nós nos tornamos pessoas fúteis e superficiais em muitos aspectos de nossas vidas.

Isso pode ser um desafio na carne.

Ser bonito e atraente é o primeiro e melhor exemplo que Bednar  sugere como “desafio na carne” equivalente ao de “ser homossexual” (que, de acordo com Bednar, não existe). Será que há uma taxa elevada de suicídios entre jovens membros da Igreja bonitos e atraentes, como há entre jovens homossexuais?

Algumas pessoas têm limitações físicas. Elas podem nascer com um corpo que não seja totalmente funcional, ou podemos ter uma inclinação a ser atraídos por pessoas do mesmo sexo.

Para Bednar, homossexualidade é o mesmo que uma deficiência física. Em parte, isso não é equivocado ou mesmo novidade. Líderes da Igreja SUD já aceitam que orientação sexual é uma característica inata e biológica, e não uma opção pessoal. Contudo, será que Bednar defende discriminar contra deficientes físicos, também? Cadeirantes não poderão mais se casar no templo?

Por meio da expiação de Jesus Cristo somos abençoados com a agência moral. Agência é a capacidade de agir, e não simplesmente receber ação.

Esta é uma garrafa de água. É um objeto. Ela não tem a capacidade de agir. É um objeto que só pode receber ações. Portanto, este objeto se move se eu fizer com que ele se mova, ou se alguma outra força fizer com que ele se mova. Minha esposa está com medo que eu vou bater-lhe com a garrafa d’água.

Você e eu não somos objetos. Somos agentes. Bem-aventurados com a agência por causa da expiação de Cristo, e com essa agência estamos a agir e não sofrermos a ação. Este organismo nos dá a capacidade de determinar como vamos reagir à variedade de desafios que iremos experimentar na carne. Então, você escolhe, você age de acordo com os ensinamentos de Cristo.

Simplesmente ser atraído por alguém do mesmo sexo não é pecado. Há muitos membros da igreja que podem ter alguma manifestação desta atração. Eles honram seus convênios, eles guardam os mandamentos, eles são dignos. Eles podem receber as bênçãos do templo e eles podem servir na igreja. É quando agimos de acordo com a inclinação ou a atração – que é quando ele se torna um pecado.

Assim, Bednar explica que homossexuais membros da Igreja tem a liberdade de escolha: Eles podem sofrer discriminação e preconceito institucional da Igreja SUD, mas apenas se quiserem. Ao escolher permanecer na Igreja, membros homossexuais escolhem de livre vontade própria fazer parte de uma minoria discriminada. (Infelizmente para Bednar e para a Igreja, milhares de membros estão escolhendo não compactuar com isso!)

E aqui está a resposta à pergunta inicial. Como podem homossexuais membros da igreja viver e permanecer firmes no evangelho? Aceitando sofrer as indignidades de ser tratados como pessoas menos importantes e menos relevantes, e submeter-se ao celibato e à uma vida pessoal e familiar menos (muito menos, de acordo com a doutrina Mórmon) espiritual e feliz que os membros heterossexuais.

Assim, a razão pela qual eu comecei a minha resposta como eu fiz, é que nesta questão, a palavra “homossexual” foi usada para descrever ou rotular um membro da igreja. É um rótulo impreciso. Somos filhos e filhas de Deus e nós determinamos como respondemos à variedade de desafios que experimentamos na mortalidade através do exercício correto da nossa agência moral.

Bednar se contradiz ao argumentar que membros sentem “atração por alguém do mesmo sexo” involuntariamente e ainda podem escolher “exercício correto da… agência moral” (através do celibato), mas mesmo assim não podem ser “rotulados” como “homossexuais”. Ser uma pessoa homossexual significa sentir “atração sexual pelo mesmo sexo”, independente se o indivíduo abraça ou rejeita essa atração. Contudo, Bednar insiste em despersonalizar homossexuais, negando-lhes a descrição honrosa (e precisa) de suas características pessoais inatas.

Agora eu quero falar muito diretamente a você. O mundo ensina que devemos ser tolerantes e inclusivistas. Há algumas coisas que nós não aceitamos ou toleramos. Nós amamos todas as pessoas com todos os desafios que qualquer pessoa enfrenta. O propósito do evangelho de Jesus Cristo e da Igreja do Salvador é ajudar as pessoas em receber a força para lidar com seus desafios. Então, nós não discriminamos, e não somos fanáticos. Nós estendemos amor semelhante ao de Cristo a todos os filhos e filhas de Deus.

Bednar avisa, a partir de seu ofício apostólico, que “o mundo ensina que devemos ser tolerantes e inclusivistas”. Membros da Igreja não devem seguir o mundo. Membros da Igreja devem ser intolerantes e exclusivitas, não tolerando que pessoas homossexuais sejam aceitas como pessoas normais (não podem nem ser chamadas de homossexuais — ruivos e canhotos seriam os próximos?) e excluindo pessoas LGBT, famílias LGBT e até crianças em famílias LGBT!

Bednar aproveita para fechar o estereótipo do preconceituoso ao se definir com adjetivos que se contrapõe exatamente aos seus atos e aos seus ensinamentos. “[N]ós não discriminamos, e não somos fanáticos”! Enquanto supremacistas brancos clamam “não somos racistas, apenas estamos protegendo a raça branca”, e nativistas clamam “não somos xenofóbicos, apenas estamos protegendo o nosso país dos imigrantes”, Bednar avisa que “não discriminamos” enquanto ele evita ajudar um membro da Igreja sofrendo dúvidas sobre sua orientação sexual justamente para defender políticas discriminatórias contra ele.

Mas qual é o propósito do plano do Pai? Chegamos à terra, nós somos abençoados ao receber um corpo físico. O casamento entre homem e mulher foi ordenado por Deus e a família é essencial ao plano do Pai para o destino eterno e felicidade de seus filhos.

Nós não somos definidos por nossas atrações sexuais, disse Bednar. Exceto se essa atração for heterossexual, então ela é o propósito de tudo que Deus faz por nós!

Esse plano é interrompido em qualquer coisa exceto em um casamento entre um homem e uma mulher.

Um homem e uma mulher?

Uma mulher?

Uma mulher para um homem?

Esse é o plano de Deus de acordo com a teologia Mórmon?

Agora, Joseph Smith não criou o plano. Thomas Monson não criou o plano. Deus o Pai Eterno criou o plano. O Salvador através de sua expiação torna o plano operacional, eficaz em nossa vida, e o pai não mudou de idéia sobre como o plano deve operar. Então, por favor, não deixe que as vozes do mundo confundam-no ou levem-no em uma direção diferente, enquanto você chega a compreender melhor o plano do Pai, então você vai entender o propósito para o casamento entre um homem e uma mulher. Espero que esteja respondendo à questão.

Bednar, em nenhum momento, respondeu à pergunta de uma maneira caridosa ou com compaixão. Algum membro da Igreja, sofrendo por causa de sua homossexualidade ou com a de algum parente seu, gostaria de ouvir dicas de como fazer para manter-se firme e fiel na Igreja. Bednar, pelo contrário, decide lhe explicar porque sua homossexualidade não existe, ela é tão difícil quanto ser uma pessoa linda e atraente, e é tão simples que só nunca se apaixonar, nunca namorar, nunca se casar, nunca formar uma família, nunca demonstrar carinho e afeto e companheirismo por outra pessoa.

Qualquer coisa que alguém gostaria de acrescentar?

Um ponto relacionado é que há uma diferença divinamente projetada entre um espírito feminino e um espírito masculino. Você precisa ler e estudar várias vezes a proclamação da família. Ela ensina que o genêro é uma característica essencial das vidas pré-mortal, mortal e da identidade eterna e do propósito eterno.

Atração sexual não define enquanto pessoas, disse Bednar. Nossas genitálias nos definem enquanto pessoas. Um pênis ou uma vagina são as reais características que definem quem somos, nossos talentos e potenciais eternos.

Assim, sempre que você tomar essas diferenças divinamente desenhadas – as capacidades e talentos do espírito feminino e do espírito masculino, e eles são selados pelo poder do sacerdócio, ele cria uma unidade e uma singularidade, um todo, que não pode ser alcançado de qualquer outra maneira.

Famílias homossexuais nunca poderão ser felizes ou plenas ou relevantes. Famílias de religiões diferentes, que não são selados no templo, tampouco podem ser felizes, plenas, ou relevantes.

Minha mulher e eu estamos casados há 41 anos. Ela é, além do Espírito Santo, ela é a maior professora que já tive. Ela não pensa como eu penso. Ela não vê o que eu vejo, e eu aprendo muito com as coisas que ela pensa e vê que são diferentes de mim. Às vezes, homens e mulheres ficam frustrados uns com os outros, porque eles não vêem as coisas da mesma maneira. Eles não deveriam ver as coisas da mesma maneira. E a educação que vem de um homem e uma mulher em um casamento ordenado por Deus é uma das mais ricas bênçãos nesta vida.

E Bednar finalmente nos oferece uma explicação racional de porquê famílias LGBT não conseguirem ser famílias felizes, ou plenas, ou relevantes. Um casal homossexual, cada um com seu penis, são incapazes de ter pontos-de-vista e ideias e opiniões diferentes e complementares entre si. Um casal homossexual, cada uma com sua vagina, são incapazes de diálogos e conversas inteligentes, profundas, e iluminadoras. Apenas um casal que, entre eles, possuam um pênis e uma vagina, conseguem ter esse tipo de relacionamento interpessoal onde um adiciona ao outro insights e ensinamentos de vida.

Agora temos tomado muito tempo para responder a esta pergunta, mas espero que você possa sentir que a duração dessa resposta enfatiza a importância do tema no mundo em que vivemos. É por isso que temos tido bastante tanto tempo.

Você pode asssitir toda a resposta de Bednar, com tradução simultânea para o espanhol, aqui:

O Apóstolo Bednar tem razão? Deveria a Igreja SUD, e seus membros, insistir na intolerância a pessoas LGBT? Devem continuar a rejeição de esforços para uma sociedade mais inclusivista e menos preconceituosa?

20 comentários sobre “David Bednar: Mórmons Devem Ser Intolerantes

  1. Eu ainda me mantenho na mesma posição, agir como os EUA nos anos 60 contra os comunistas, traz mais problemas que soluções, nós cristãos somos conhecidos pela nossa mansidão em conduzir questões sociais, alguns líderes insistem em manter uma posição bem rigorosa em seus discursos.Estou curiosos para ir observando o fruto de todo esse rigor, vai valer a pena? Trazer bons frutos? Nas minhas ponderações espirituais, ainda não me convenci dessa necessidade de caça aos homossexuais.Penso que a agressividade do movimento LGBT nas suas imposições e manifestos escandalosos deveriam testemunhar contra eles.E nós SUD deveríamos ser reconhecidos como compreensivos e que resolvemos todas as questões com muita mansidão.Uma vez vi um youtuber elogiando a igreja , porque centenas de membros saíram numa passeata junto com os gays defedendo eles com cartazes de apoio.Tudo na tranquilidade e na paz, dando o exemplo que não deve existir conflitos desnecessários.

  2. Eu sou da opinião que Deus não irá mudar seus mandamentos só pq o mundo agora resolveu dizer que a homossexualidade é normal. Eu me coloco no lugar de um gay e imagino que deva ser muito difícil, mas o amor a Deus deve ser maior que nossos desejos sexuais. O evangelho é justamente para isso, mudar nossa natureza humana, e nos tornar em novas criaturas. Nada é impossível para Deus e não há nada que não possa ser superado. A igreja não pode compactuar com a opinião do mundo e ir contra o que Deus diz nas escrituras. Os líderes estão em uma posição muito difícil, é complicado responder as inúmeras perguntas, mas precisam ser firmes. Há coisas que só serão respondidas pelo próprio Pai Celeste. Nossa obrigação é apenas ser obedientes. Um dia o próprio Salvador em Seu reinado irá responder, e quero ver quer irá ousar ir contra o que O Senhor dizer. O que o profeta e apóstolos falam, é a vontade Dele, caso contrário, Deus os tiraria de seus chamados. Essa é minha fé.

    • Dave, Concordo plenamente com você que Deus não vai mudar suas leis para acomodar as mudanças da sociedade, porém o problema em torno dessa nova regra com relação ao batismo de crianças cujos pais são gays, é se eles receberam uma revelação autorizando o que o Senhor já havia revelado antes sobre o batismo de crianças. Essa nova regra é algo muito sério porque mudou algo já revelado é que se encontra nas escrituras tanto no LM como em D&C. Para mudar isso somente uma nova revelação deveria ser dado e é justamente isso que nenhum líder até agora declarou, se uma revelação foi dada ao “Profeta” então por que ele não declarou em conferência como instruído pelo Senhor? Por que não foi apresentado por escrito para a Igreja como instruído pelo Senhor? O porque tal informação foi vazada para a mídia e depois defendida pelo departamento de publicidade da igreja? E até agora o suposto Profeta ainda não se manifestou sobre o assunto?

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.